Important Announcement
PubHTML5 Scheduled Server Maintenance on (GMT) Sunday, June 26th, 2:00 am - 8:00 am.
PubHTML5 site will be inoperative during the times indicated!

Home Explore 52 - Revista da Indústria FIERN

52 - Revista da Indústria FIERN

Published by Sistema FIERN, 2022-01-10 12:41:35

Description: Revista da Indústria publicada bimestralmente pelo Sistema FIERN

Search

Read the Text Version

INDÚSTRIAREVISTA DA N 52o Ano IX Novembro e Dezembro / 2021 DO RIO GRANDE DO NORTE PLANO DIRETOR DE NATAL PROPOSTA APROVADA PELA CÂMARA DE VEREADORES TEVE O ENDOSSO DA POPULAÇÃO, REVELOU PESQUISA INÉDITA DA FIERN Hidrogênio Verde Evolução Premiação Chamada Pública SENAI-CTG SESI-RN vence Olimpíada do IEL-RN premia melhores Brasil soma R$ 186 milhões Futuro com Jujuba Nutrinim práticas de estágio no RN

2 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SUMÁRIO 4 PALAVRA DO PRESIDENTE 6 MEDALHA MÉRITO 17 ENTREVISTA INDUSTRIAL Jorge Lima, assessor do Ministério da Economia FIERN homenageia industriais do RN 20 BR DO MAR FIERN 10 PESQUISA Estímulo à navegação de cabotagem FIERN/CONECTAR 22 SONDAGEM ESPECIAL 87% dos natalenses aprovam Dificuldades da indústria do RN Novo Plano Diretor 28 NOTAS 14 MAIS RN 36 JUJUBA NUTRINIM Tecnologia 5G e a COP26 são temas de publicações Prêmio Evolução Olimpíada do Futuro SESI 40 AÇÃO PELA VIDA Programa termina com 363 mil doses aplicadas SENAI 30 HIDROGÊNIO VERDE IEL 43 PRÊMIO ESTÁGIO Edital atrai R$ 186 milhões IEL entrega premiação 34 EDUCAÇÃO 46 SOLUÇÕES 4.0 PROFISSIONAL Resultados do Edital Mais de 23 mil matrículas 48 INOVAÇÃO Ecossistema do RN concorre a prêmio EXPEDIENTE REVISTA DA INDÚSTRIA DO Gerente Corporativa Redação Aldemar Freire, Anna Cláudia Costa, RIO GRANDE DO NORTE de Comunicação David Freire, Josilma Lopes, Renata Moura Ano IX – Número 51 - SETEMBRO e OUTUBRO de 2021 Juliska Azevedo Estagiária Maria Alice Daronco Publicação bimestral da Federação das Indústrias do Consultor de Comunicação Estado do Rio Grande do Norte editada pela Unidade de Ricardo Rosado Publicitário Thúlio Rêgo (capa) Comunicação Corporativa do Sistema FIERN (UNICOM). Tel: 55 (84) 3204-6270 Chefia de Redação Fotos Fotos Equipe Unicom, Agência CNI, Home: www.fiern.org.br Sara Vasconcelos Moraes Neto E-mail: [email protected] Twitter: @SISTEMAFIERN Editora Diagramação e Publicação Digital Sara Vasconcelos Terceirize 3REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

Amaro Sales de Araújo, PALAVRA DO Presidente do Sistema FIERN e PRESIDENTE Secretário da CNI 2022: novos 4 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN sonhos e renovados desafios Acada ano, novas esperanças! E como é, de fato, interessante vencermos o calendário de um exercício, iniciar- mos outro com novas sonhos, metas e pro- jetos. O dia seguinte, iniciando um novo ano, se apresenta sempre como marco divisor… Alguns até lançam o balizador temporal do ano para “depois do carnaval”, mas, justiça se faça, cada vez mais estamos começando o ano, realmente, em janeiro! E precisamos começar o ano já trabalhan- do, produzindo, articulando projetos e negó- cios… A melhor saída para eventuais crises é pela produção! O Brasil é um país de dimen- sões continentais com múltiplas e ricas po- tencialidades. Precisamos emprestar nosso esforço para etapas e exercícios que resul- tem em produtividade, produtos com agre- gação de valor, dinheiro circulante, vendas internas e externas, criação e manutenção de empregos formais. A indústria, em particular, tem um estra- tégico protagonismo neste contexto, tanto pela produção propriamente dita, quanto pelas ações de sustentabilidade e de respon- sabilidade social que empreende. A indús- tria brasileira está preparada para uma eta- pa mais pujante e efetivamente realizadora. Consequentemente, agricultura, comércio

e serviços, igualmente, noticiarão melhores DIREÇÃO resultados, suscitando, ao final, um cresci- mento maior que o esperado para 2022. PRESIDENTE: Amaro Sales de Araújo Para tanto, apesar de todos os esforços já 1º VICE-PRESIDENTE: feitos, o Estado precisa construir uma pauta Pedro Terceiro de Melo mais ousada em relação a reformas, privati- zações e crédito. Uma tarefa, aliás, que pre- VICE-PRESIDENTES: cisa ser compartilhada por todos os Poderes Antônio Thiago Gadelha Simas Neto, Francisco Públicos. A pauta de convergência nacional, Vilmar Pereira, Sílvio de Araújo Bezerra, Sérgio por exemplo, deve apoiar a Lei de Respon- Henrique Andrade de Azevedo, Sílvio Torquato sabilidade Fiscal e ajudar aos Governos – Fernandes, Maria da Conceição Rebouças Duar- nos três níveis – para que tenham recursos te Tavares, Álvaro Coutinho da Motta financeiros disponíveis para investimentos, fator que estimula e dinamiza a economia. DIRETOR 1º SECRETÁRIO: Lamentavelmente a disputa por espaços no Heyder de Almeida Dantas Orçamento Público é tão intensa que, não raro, alguns Governos se transformam em DIRETOR 2º SECRETÁRIO: “carimbadores de folha de pagamento de Djalma Barbosa da Cunha Júnior pessoal” não, dispondo, neste contexto, de meios para animar a economia com novas DIRETOR 1º TESOUREIRO: obras, projetos e outras iniciativas que valo- Roberto Pinto Serquiz Elias rizem o empreendedorismo ou promovam o combate à miséria e à inclusão social. DIRETOR 2º TESOUREIRO: José Garcia da Nóbrega A pauta de convergência nacional, caso fosse formatada para 2022, também teria de DIRETORES: direcionar mudanças – com regras de tran- Francisco Ferreira Souto Filho, Francisco Assis de sição – para o ambiente tributário brasileiro, Medeiros, João Batista Gomes Lima, Pedro Alcân- ainda muito cheio de entraves e pouco atra- tara Rego de Lima, Francisco Vilmar Pereira Se- ente para a produção. Além da busca pela gundo, Antônio Leite Jales, Jorge Ricardo do Ro- segurança jurídica, a reforma tributária pre- sário, Geraldo Orlando Santos Gadelha Simas, José cisa simplificar o processo e a estrutura for- Zélito Nunes, Edilson Batista da Trindade, Carlos mal do meio tributário institucional. Neste Vinícius Aragão Costa Lima, Marinho Herculano de caso, em particular, a tecnologia pode ajudar Carvalho, Ricardo Valença Gomes significativamente como, a bem da verdade, já o faz. Contudo, ainda sem a simplificação CONSELHO FISCAL: necessária e sem os ajustes devidos para Francisco Pereira Soares, Alberto Henrique Se- que a produção seja, considerado o princí- rejo Gomes, Jorge José da Silva Bastos Filho pio da justiça fiscal, ainda mais estimulada. Suplentes: Gustavo Henrique Calafange Motta, Tennyson Brito Holder da Silva, Euzim Alves dos Se não conseguirmos uma pauta de con- Santos vergência nacional em torno da produção, pelo menos, aproveitemos o debate eleitoral DELEGADOS JUNTO À CNI: de 2022 para sabermos, de todos os partici- - EFETIVOS: Amaro Sales de Araújo, Flávio José Ca- pantes, o que eles pensam acerca do em- valcanti de Azevedo preendedorismo e quais medidas efetivas - SUPLENTES: Antonio Thiago Gadelha Simas adotariam em favor do desenvolvimento Neto, Roberto Pinto Serquiz Elias econômico sustentável. Já será um começo! DIRETOR DO SERVIÇO NACIONAL DE APREN- DIZAGEM INDUSTRIAL (SENAI-RN): Emerson da Cunha Batista SUPERINTENDENTE DO SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA (SESI-RN): Juliano Martins SUPERINTENDENTE DO INSTITUTO EUVALDO LODI (IEL): Juan Saavedra SUPERINTENDENTE CORPORATIVO DO SISTEMA FIERN: Gláucio Wanderley FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Av. Senador Salgado Filho, 2860 Lagoa Nova Natal/RN - CEP: 59075-900 Fone: 55 (84) 3204.6200 / Fax: 55 (84) 3204.6278 5REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN Comenda foi entregue em solenidade realizada no Olimpo Recepções MEDALHA DO MÉRITO INDUSTRIAL FIERN e CNI homenageiam industriais do RN ENTREGA DAS MEDALHAS WALTER BYRON DORE E DA ORDEM DO MÉRITO INDUSTRIAL REUNIU EMPRESÁRIOS, GESTORES PÚBLICOS E DIREÇÃO DO SISTEMA FIERN 6 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN Por David Freire origem a entidade. Ele ressaltou que, a cada final de Em reconhecimento ao em- preendedorismo, trabalho ano, a história de personalidades para o desenvolvimento da que fazem parte da indústria poti- indústria e em defesa da livre inicia- guar é celebrada. “Com a entrega da tiva, a Federação das Indústrias do Medalha do Mérito Industrial Wal- Rio Grande do Norte (FIERN) home- ter Dore, homenageamos a própria nageou personalidades com a en- a indústria do Rio Grande do Nor- trega da Medalha do Mérito Indus- te, afinal, se trata da condecoração trial Walter Byron Dore, principal merecida destes empresários, que honraria da instituição, entregue são demonstrações e exemplos da em solenidade realizada no Olimpo capacidade empreendedora do Recepções, em 14 de dezembro. empresário potiguar”, afirmou. E destacou que o Sistema FIERN e a A Medalha da Ordem do Méri- CNI continuam firmes no propósi- to Industrial - a mais importante to de apoiar todos os industriais e condecoração da indústria brasi- empreendedores. leira outorgada pela Confedera- ção Nacional da Indústria (CNI) - Presente ao evento, a governa- também foi entregue na ocasião. dora Fátima Bezerra disse que as A comenda é dedicada aos em- homenagens são importantes e presários que contribuem para o que que a Medalha Walter Byron fortalecimento da indústria nacio- Dore tem também um caráter nal e para o crescimento sustenta- pedagógico e significa o reconhe- do da economia brasileira. cimento e valorização do empre- endedorismo pelo papel que os Foram homenageados, com a empresários representam no con- Medalha do Mérito Industrial Wal- texto do desenvolvimento econô- ter Byron Dore, os empresários mico e social. Álvaro Coutinho da Motta (in me- morian), Eduardo José de Farias, “A medalha é incentivo e apoio Etelvino Patrício de Medeiros, Fran- à trajetória empresarial de cada cisco Ferreira Souto Filho e Gabriel um dos homenageados e um re- Calzavara de Araújo. conhecimento de quanto contri- buem para o estado do Rio Grande Já a Medalha da Ordem do Mé- do Norte. Porque o empreendedo- rito Industrial da CNI foi entregue rismo de vocês (empresários) traz ao empresário potiguar Antônio emprego e dignidade ao povo do Leite Jales. RN”, afirmou Fátima Bezerra, ao mesmo tempo que destacou o Presidente da FIERN e chance- diálogo entre o Governo e o setor ler da Ordem do Mérito Industrial produtivo do Rio Grande do Norte. da CNI, Amaro Sales de Araújo, re- “Que continuemos assim”, disse. cordou que, em 14 de dezembro, a Federação completa 68 anos “na Entre os seis homenageados, luta dos legítimos interesses da in- cinco com a comenda da FIERN e dústria potiguar com ações emba- um com a da CNI, estão industriais sadas na responsabilidade social, dos setores de curtume e confec- sustentabilidade e desenvolvi- ções, sucroalcooleiro, reciclagem, mento industrial”. A data marca a pesca, sal e alimentos do Rio Gran- entrega da Carta Sindical que deu de do Norte. 7REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN HOMENAGEADOS DESTACAM INICIATIVA DA FEDERAÇÃO E CNI Durante a solenidade de en- um porto seguro, uma carta de trega das medalhas, os home- navegação aos gestores públi- nageados destacaram a inicia- cos do Rio Grande do Norte, do tiva da FIERN e da CNI com a Nordeste, ao gerar instrumentos concessão das honrarias. para a formulação de políticas públicas”. Em nome dos homenagea- dos com a Medalha do Mérito E enfatizou que “é aonde nós, Industrial Walter Byron Dore, o líderes empresariais, estaremos presidente do Sindicato da In- posicionados diante desse novo dústria de Pesca do Estado do momento do nosso país”. Rio Grande do Norte (SINDIPES- CA-RN), Gabriel Calzavara, afir- Para o presidente do SINDI- mou que “a FIERN passou a ser PESCA-RN, Gabriel Calzavara, a medalha significa “uma honra Antônio Jales Leite recebe comenda da CNI muito grande em ser reconheci- do pelos meus pares pelo traba- Eduardo Farias é agraciado com lho desenvolvido em um perío- Medalha Walter Byron Dore do tão difícil”. 8 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN O presidente do presidente do Sindicato das Indústrias de Re- ciclagem e Descartáveis do RN (SINDIRECICLA-RN), Etelvino Pa- trício de Medeiros, comentou que receber a medalha é “motivo de muita alegria e emoção. É o reco- nhecimento de todo um traba- lho”. Para ele, ser homenageado assim “é um apoio, dizer que vale a pena e precisamos continuar em nossa caminhada gerando empregos e divisas para o estado fazendo com que a indústria do Rio Grande do Norte se fortaleça e seja o grande diferencial econô- mico do estado”. À frente da presidência do Grupo Farias, Eduardo Farias lembrou que estão há quase 50 anos no Rio Grande do Norte e, atualmente, são quase 2.500 empregos diretos gerados. “Essa medalha nos anima a trabalhar por muito mais tempo. Estamos comprometidos com o Rio Grande

do Norte e o Brasil”, afirmou. FIERN Falando em nome do homena- Francisco Souto recebe Medalha concedida pela FIERN geado Álvaro Coutinho da Motta (in memorian), a professora Karla Álvaro Coutinho da Motta é homenageado (in memorian) Motta lembrou que o pai sempre foi muito empreendedor. “Um ho- Gabriel Calzavara recebe Medalha Walter Byron Dore mem da indústria do Rio Grande do Norte. Sempre teve como foco Etelvino Patrício também foi agraciado a promoção do desenvolvimento com a comenda da FIERN do estado por meio de incentivo à indústria, à geração de empregos e 9REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN - riqueza. A vida dele foi dedicada à essa causa e é muito significativo para nós essa homenagem”, disse. Ao receber a comenda concedi- da pela CNI, o empresário Antônio Leite Jales relembrou sua trajetória à frente da indústria de sorvetes, polpa de fruta e água mineral Ster- bom, iniciada há 30 anos, “com um freezer emprestada”. Hoje, com cerca de mil funcionários, a empre- sa atende mercados de sete esta- dos, sendo também a maior indús- tria de casquinhas de sorvetes. “É um momento de muita emoção [receber a Medalha da Ordem do Mérito Industrial]. É um sonho”, disse. Toinho da Sterbom, como é mais conhecido, foi indicado pelo presidente Amaro Sales, que é chanceler da Ordem do Mérito Industrial da CNI, e pelo vice-pre- sidente da FIERN, Vilmar Pereira, para receber a comenda da in- dústria nacional. Há dois anos, ele foi agraciado com a Medalha Wal- ter Byron Dore. Ele também destacou o apoio da Federação das Indústrias aos empresários da indústria local. “A FIERN teve papel muito im- portante junto ao governo para não deixar fechar empresas. Gra- ças a Deus estamos aqui. Somos todos vitoriosos”, concluiu.

FIERN Seminário reúne gestores públicos, parlamentares e especialistas na Casa da Indústria PESQUISA FIERN/CONECTAR 87% dos natalenses aprovaram revisão do Plano Diretor PESQUISA INÉDITA FOI DIVULGADA NO SEMINÁRIO “NOVO PLANO DIRETOR - COMO NATAL PENSA” Por Aldemar Freire a pedido da FIERN, apresenta- da durante o seminário “Novo Entre os moradores de Na- Plano Diretor — Como Natal tal, 87% afirmam que são Pensa”, promovido pela FIERN e favoráveis à proposta de Tribuna do Norte, dia 13 de de- revisão do Plano Diretor (PDN), zembro, na Casa da Indústria. O enquanto 8% dizem ser contra e PDN foi aprovado pela Câmara 5% não souberam responder. Os Municipal no final de dezembro. números integram a pesquisa do Instituto Conectar, realizada De acordo com a sondagem, 77% das pessoas que residem 10 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN da cidade estão “a favor do in- voráveis e 22% contra); permi- centivo a prédios mais altos tir que bairros como Tirol e Pe- em regiões mais valorizadas” e trópolis, no entorno do Parque consideram que isso vai trazer das Dunas, possam ter prédios melhorias na qualidade de vida, de 20 andares (67% favoráveis e enquanto 18% são contra e 5% 29% contra); e a liberação para não responderam. que no Conjunto dos Professo- res, Potilândia, Nova Descober- “Três em cada quatro mora- ta e região possam ter prédios dores de Natal concordam que, com mais de 40 andares (61% a de fato, é melhor e deveria ha- favor e 35% contra). ver uma verticalização maior nestas regiões”, disse Maurício A preservação das áreas am- Garcia, diretor do Conectar, ao bientais da cidade também apresentar o relatório da son- conta com o apoio da grande dagem, durante o seminário. maioria. A pesquisa aponta também A pesquisa — feita para a que 66% dos entrevistados res- FIERN — contou com 600 en- ponderam que a construção trevistados das quatro regiões de prédios mais altos significa da cidade e foi realizada em no- progresso, enquanto que, para vembro. O objetivo foi identificar 28%, implica em atraso. Essa o que a opinião pública de Natal pergunta foi feita, porque uma pensa sobre a revisão do Plano das propostas da revisão do Diretor. A margem de erro é de PDN é a possibilidade de Natal 4% para mais e para menos. ter prédios mais altos, com cer- ca de 40 andares, assim como Maurício Garcia, diretor do Conectar, apresenta Recife e João Pessoa, em deter- resultados da pesquisa durante o seminário minadas áreas. A maioria dos residentes na cidade também aprova “trans- formar os terrenos baldios na margem da Roberto Freire — da rotatória da Via Costeira até a rotatória da Rota do Sol — em casas, restaurantes, área de la- zer (80% a favor, ante 16% con- tra); autorizar construções mais altas na Zona Norte para gerar desenvolvimento econômico para seus moradores (74% fa- 11REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN Para Amaro Sales, atualização do PDN irá atrair investimentos e garantir sustentabilidade ‘MOMENTO É AGORA’, DIZ PRESIDENTE DA FIERN A revisão do Plano Diretor é tura do evento. inadiável porque a cidade preci- A FIERN acompanhou toda a sa desta atualização para atrair investimento e garantir um de- discussão sobre o PDN e o proje- senvolvimento sustentável. Esse to tem a participação da entida- foi o tom dos pronunciamentos de, por intermédio do Sindicato na abertura do Seminário. “Está das Indústrias da Construção Ci- tudo pronto, com uma discus- vil (SINDUSCON-RN) e da Comis- são amadurecida. Esse seminá- são Temática do Meio Ambiente rio complementa os debates, (COEMA). “É um tema do qual a inclusive com a apresentação da FIERN não poderia se afastar. Fi- pesquisa que destaca a opinião zemos uma pesquisa para ouvir popular. O momento é agora”, o povo também e que comple- destacou o presidente da Fe- menta a discussão na Câmara”, deração das Indústrias do RN, acrescentou. Para Sales, a revisão Amaro Sales de Araújo, na aber- do PDN permitirá o desenvolvi- mento sustentável da cidade. 12 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN FIM DE RESTRIÇÕES O prefeito de Natal, Álvaro Dias, letivo, o saneamento, a segurança, o disse que as limitações impostas emprego, os colégios, os postos de pelo PDN para a verticalização nos saúde, os hospitais, ficaram impedi- principais corredores da cidade e dos [de ter construções verticaliza- adjacências implicaram na cidade das]”, apontou o prefeito, afirmando perder 300 mil habitantes. “Foi a que, como consequência, houve o partir das restrições que as pessoas despovoamento e o desestímulo ao se sentiram expulsas. Os principais crescimento econômico de bairros corredores, onde há o transporte co- como a Ribeira. “PESQUISA CREDENCIA APROVAÇÃO DO PROJETO DE REVISÃO DO PDN” Os números da pesquisa FIERN/ consideração a qualidade de vida Conectar credenciam a proposta de das pessoas; e a base econômica, revisão do Plano Diretor de Natal. A que precisa estar presente”. afirmação é do diretor tesoureiro da FIERN e presidente da Comissão de Para o presidente do SINDUS- Meio Ambiente da FIERN (COEMA), CON-RN, Sílvio Bezerra, a revisão do Roberto Serquiz. “A pesquisa sobre PDN poderia ser ainda mais atua- a opinião dos moradores credencia lizada, contudo, ele reconhece que a aprovação do projeto de revisão do proporcionará “avanços”. “A propos- PDN, ao revelar que 61% da popula- ta está aquém do que gostaríamos, ção da cidade confia no documento mas é a possível e nos atende. O pro- e 87% é favorável à proposta”, disse. jeto vai fazer Natal avançar. Trata-se de uma proposta discutida e aprova- O acervo de contribuições dadas da consensualmente”, ressaltou. ao longo das diversas etapas de dis- cussões sobre o novo PDN, avalia SERVIÇO Serquiz, mostra que o projeto levará a cidade ao desenvolvimento sus- Acesse a pesquisa tentável. “Houve um processo de- na íntegra: mocrático de debate que permitiu a participação de diversos setores. O projeto tem como fundamento a questão da preservação do am- biente; o aspecto social, que leva em 13REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN MAIS RN Tecnologia 5G e a COP26 são temas de publicações ELABORADAS PELO MAIS RN, E-BOOKS TRAZEM DADOS E ANÁLISES ATUALIZADOS Por David Freire e Aldemar Freire to socioeconômico –, o MAIS RN lançou, no Observatório da In- Conectado às principais dústria, duas obras relevantes: tendências de mercado o e-book “A tecnologia 5G no e às inovações tecnológi- Brasil” e o “Caderno MAIS RN cas – e envolve desenvolvimen- Desenvolvimento Sustentável” 14 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN com base na COP26. O MAIS RN mero de aparelhos conectados é um Núcleo de Planejamento à internet (conexão e inter- Estratégico da FIERN que de- conectividade) avançando na senvolve plataformas digitais chamada “Internet das Coisas”; para análise de diversos setores maior velocidade de conexão da economia do Rio Grande do (facilitando os conteúdos por Norte. streaming) e impactando em economia de energia dos apa- Um dos temas mais relevan- relhos; e maior velocidade na tes envolvendo tecnologia e de- transferência de dados por se- senvolvimento, o “Leilão do 5G” gundo, diminuindo o tempo de é a maior licitação do setor de downloads e uploads. telecomunicações que já ocor- reu no país, chegando a movi- Para as empresas e indús- mentar R$ 47,2 bilhões. trias, Albuquerque enumera os três maiores impactos: o de- De forma geral, o 5G pode ser senvolvimento da automação, definida como a quinta geração o que faz com que as empre- de rede de internet móvel (atu- sas possam desfrutar de um almente o país utiliza a tecnolo- fluxo de trabalho mais otimiza- gia 4G iniciada em 2010). “Esta do; seguido pelo Big Data, de nova etapa permitirá conexão forma que as empresas esta- de equipamentos e dispositivos, rão melhor equipadas quando possibilitando o desenvolvimen- se trata de coletar, armazenar to de novos serviços e produtos. e analisar dados. E, por último, E possui maior alcance, veloci- a melhor experiência em co- dade até 100 vezes maior que o municação uma vez que a la- 4G”, destaca o gerente do MAIS tência baixa significa pouco ou RN, Pedro Albuquerque. nenhum atraso, permitindo re- ação em tempo real. Entre os principais benefí- cios do 5G estão o maior nú- Veja o antes e a previsão com a tecnologia 5G: Velocidade mais Antes do 5G Com a rápida: tecnologia 5G 200Mbps Latência: de 20 a 30 1 Gbps milissegundos Largura de Inferior a 1 Banda do Canal: 20MHz milissegundo 500MHz 15REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL O primeiro volume do “Caderno Segundo ele, uma nova cadeia MAIS RN do Desenvolvimento Sus- produtiva está nascendo no setor tentável” traz o contexto do debate industrial e com metas globais para internacional sobre o desenvolvi- redução de poluentes. Albuquer- mento sustentável, com base na que ressalta que o RN é referência 26ª Conferência das Nações Uni- na geração de energia eólica. das sobre Mudanças Climáticas (COP26). A obra traz uma linha do E lembrou ainda que durante a tempo com análises dos resultados COP26, a geração de hidrogênio da COP26 e o que isso representa verde, que é produzido sem o uso para o setor industrial, além disso de combustível fóssil, foi uma das mostra como o programa do Siste- áreas enfatizadas. “O Chile tem ma FIERN está alinhado ao evento um plano nacional de geração de com as orientações do manifesto hidrogênio verde. E em nível de Global Wind Energy para COP26.  Nordeste brasileiro, o ISI/CTGAS e a Federação das Indústrias do Ce- “Um dos assuntos em pauta fo- ará já têm estudos a esse respei- ram as energias renováveis e nós, to”, concluiu. aqui, na FIERN estamos direta- mente ligados, seja pelo ISI/CTGAS SERVIÇO através de pesquisas, atração de investimentos e empresas e trei- Conheça os ebooks do namentos na área; seja pelo MAIS Mais RN, clicando: RN acompanhando e divulgando os avanços nos indicadores de ge- MAIS RN “A tecnologia 5G ração”, explicou o gerente do MAIS no Brasil”: Ebook MAIS RN RN, Pedro Albuquerque. Entre os Tecnologia 5G temas destacados estão ainda aquecimento global, emissão de carbono e combustíveis fósseis. E o primeiro volume do Caderno Desenvolvimento Sustentável Pedro Albuquerque, gerente do MAIS RN 16 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN ENTREVISTA “Com o setor produtivo nos projetos de redução do custo Brasil, conseguiremos mudar o país” Por Juliska Azevedo Oassessor especial do Ministério da Economia, Jorge Luiz Lima, procura falar a linguagem do setor produtivo brasileiro. Após 25 anos de atuação em empresas privadas e, agora, como um dos homens fortes da área econômica do Governo Bolsonaro, ele é direto nas críticas às intervenções do Estado na economia e defende que os empresários tenham uma posição mais altiva para interferir nas decisões da cúpula política do país. Ele revelou esses pontos de vista em palestra concedida na Reunião da Dire- toria da FIERN, realizada no dia 24 de no- vembro, a convite do presidente Amaro Sales, e os reforçou na entrevista abaixo, concedida à gerente de comunicação da FIERN, Juliska Azevedo, após almoço com diretores da federação. FIERN – Suas palavras sobre a atuação quem trabalha para o Estado, não é o Es- do setor produtivo foram bem recebi- tado que trabalha para o setor produtivo. das pelos diretores desta federação. Em qualquer país desenvolvido ou em Por que as colocações do assessor desenvolvimento o setor produtivo tem especial do Ministério da Economia uma voz muito forte, tanto que o lobby é estão chamando tanto a atenção do algo de direito. O lobby que nós não que- empresariado? remos é o lobby nefasto. Mas o lobby legí- timo é de direito em qualquer outro país, Eu acho que de um ano e meio para cá Alemanha, França, Estados Unidos. Até nesse governo, o setor produtivo começou mesmo em países comunistas tem um lo- a entender o que é necessário entender. bby do setor produtivo muito forte. Então, O erro do Brasil é que o setor produtivo é 17REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN durante anos o setor produtivo ficou muito que temos de investimento em um país longe da participação efetiva de políticas tão grande como esse. Você tem a ques- econômicas. E hoje sinto que estão enten- tão de crédito no Brasil, que também é dendo que é necessário participar. O Brasil muito grande, questão de cadeia de insu- só melhora se nós reduzirmos o custo Bra- mos… ou seja, você tem 12 itens. O gran- sil, só melhora com reformas estruturantes. de problema do Custo Brasil são dois. Pri- E há um grau importante de participação meiro, ele é de R$ 1,5 trilhão por ano. Nós do Executivo e do Legislativo para que o já conseguimos em potencial – potencial setor produtivo se mova em determinada porque tem coisas que eu faço hoje que direção. O que é de direito. dá resultado amanhã – mas quando você pega a Lei do Saneamento, são 10 anos   para se ter o ápice na economia, a Lei do Como os empresários podem atuar Gás são sete anos, o Marco Elétrico são com essa visão, de fazer com que o go- cinco, então cada hora que eu atraso de verno trabalhe de acordo com os inte- resses do setor? “O papel do setor produtivo Primeiro, eu acredito muito na regiona- é conversar com os lidade. Você tem a federação aqui do RN congressistas com a visão com um trabalho brilhante do Amaro Sales, de economia de estado.” ele pode ver com os parlamentares regio- nais, deputados e senadores, uma agenda votar um projeto eu estou adiando em que interesse ao Estado e ao bem maior. 10 anos o Brasil chegar em um limite de Não podemos esquecer que não temos 27 1,5 de redução ao mês. O grande proble- estados, temos 27 países. Então você tem ma desse R$ 1,5 trilhão é que um trilhão que ver o arcabouço geral primeiro, que é deste valor passa pelo Congresso. Então o chamado Custo Brasil, e depois tem que tínhamos 24 projetos dentro do Congres- ver as políticas públicas que desenvolvem so que davam mais ou menos R$ 500 bi, o Estado. Eu acho que os canais de comu- votaram nove e faltam 15, e esses 15 estão nicação vão ser sempre as federações, o me preocupando porque eu estou com Sebrae, uma Associação Comercial, ou seja, medo de o começo do processo eleitoral você tem que movimentar um grupo que atrapalhar votações que a gente tem até comece a ter um diálogo com o Executivo março para aprovar. Esse é o estágio em e o Legislativo de uma forma proativa para que estamos. Precisamos avançar nas uma economia de Estado, e não uma eco- reformas porque cada dia que adiarmos nomia de governo. estamos perdendo 10 anos.     O Sr. já foi CEO do projeto Custo Brasil, O senhor revelou também, aos direto- que identifica os principais gargalos res da FIERN, ser um entusiasta da re- e o que é preciso fazer para combatê- forma administrativa. -los. Quais são esses gargalos? Sou. Pelos dois lados. Acho que a re- Na realidade são 12 itens. Os principais forma administrativa ficou com uma são Segurança Jurídica, que hoje é um processo incrível – você não consegue fazer nada no Brasil porque a Lei muda amanhã, você não tem segurança jurí- dica para fazer nada. Esse é um grande problema. A infraestrutura do Brasil é um grande problema, até pela pouca verba 18 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN imagem que é para reduzir. Sou contra importante para a gente”. Por exemplo, a essa visão, essa imagem. Não. O que BR do Mar é superimportante para o RN. precisamos ver é que o orçamento de O Marco do Reempreendedorismo é su- Tarcísio (ministro da Infraestrutura) é R$ per importante para o RN. O setor produ- 7,5 ou R$ 8 bilhões, e nós gastamos R$ 8 tivo tem a capacidade de mostrar que não bilhões com profissões que não existem é um projeto de governo, é um projeto de mais: ascensorista, operador de telex, estado. Então isso é a grande vantagem. operador de telefax… não dá. Eu enten- De março para frente temos aí a oportuni- do que tem cargos que realmente pre- dade de conversa do setor produtivo com cisam de estabilidade, mas outros que o Executivo. Tem muito trabalho infrale- não vejo ter a menor necessidade de ter gal que não depende do Congresso que estabilidade. Porém, também, eu acho a gente precisa avançar, e nós deveríamos que você tem que entrar com um salá- usar esse tempo para fazer esse movi- rio mais baixo, como é o setor produtivo, mento, senão a gente vai ficar parado. De mas esticar o salário, e não nesses tetos qualquer forma, eu sempre acredito que o que você tem hoje. No governo traba- setor produtivo é essa ponte, porque está lhei diretamente com algumas pessoas defendendo projetos que alavanquem que seriam vice-presidente ou diretor seu estado e alavanquem o Brasil. nas dez empresas em que fui presiden- te. Tenho certeza que em diretorias ga-   nhariam duas ou três vezes mais do que O Sr. tem uma longa carreira na inicia- ganham no governo. Então, a gente li- tiva privada, tendo sido CEO de com- mita todo mundo. Sou a favor de liberar panhias importantes. Qual é o seu a demissão, como é no setor produtivo, papel, ao seu ver, como membro do de manter a estabilidade em cargos que governo? têm risco maior como um auditor de re- ceita. E outra coisa é entrar com o salário O meu papel tem sido trazer hoje o mais baixo e ter um teto mais alto que aí setor produtivo para dentro dessa reali- você estica a carreira da pessoa. Porque dade do governo, de economia de Esta- senão a desmotivação vem. do. Estruturar projetos, colocar os proje- tos estruturantes, lutar pela redução do   custo Brasil, buscando o setor produti- Como é que o setor produtivo pode vo para dentro. Eu venho de 10 grandes atuar para ainda conseguir avanços empresas desde os meus 34 anos, mas antes que tenha início o novo período durante 25 anos eu só olhei para o meu eleitoral? umbigo. Olhava para o meu negócio, não olhava para o Brasil. Reclamava, mas não Aí tem dois caminhos que eu defen- queria nem chegar perto de governo. A do. Primeiro, conversando com o ministro conclusão que cheguei era de que eu era Paulo Guedes que é um entusiasta disso, cego, e hoje não sou mais. Por eu ter vis- com sua equipe, a gente pensa que te- to isso, tenho certeza de que com a par- mos que avançar rapidamente até março. ticipação do setor produtivo dentro dos O papel do setor produtivo é conversar projetos de redução do custo Brasil, nós com os congressistas com a visão de eco- conseguiremos mudar o Brasil. Não va- nomia de estado. Porque muitas vezes eu mos conseguir mudar o Brasil alienados, vou esbarrar em uma pessoa que está em longe do governo, deixando correr a cada outro partido político e vai dizer “ah, não. quatro anos. Vamos ficar sempre aqui na Ele é do governo, então não vou ajudar”. É espera no Brasil do futuro e não no Brasil diferente de o setor produtivo dizer “isso é do amanhã. Não acredito mais nisso. 19REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN BR DO MAR Estímulo à navegação de cabotagem PROJETO DE LEI QUE INSTITUI O PROGRAMA BR DO MAR É APROVADO NO SENADO E CÂMARA DOS DEPUTADOS Por Sara Vasconcelos e tração do Sal do RN (SIESAL/ Aldemar Freire RN) com o apoio da Federação das Indústrias do Rio Grande do Oprojeto de lei que institui Norte (FIERN) e da Confederação o Programa de Estímulo Nacional da Indústria (CNI). ao Transporte por Cabo- tagem, mais conhecido como O projeto tem o objetivo de BR do Mar - que vem a ser a incentivar a concorrência na movimentação de cargas entre prestação do serviço, ampliar a portos de um mesmo país – foi frota para a navegação de ca- aprovado pelo Senado Federal botagem, estimular o desen- e Câmara dos Deputados. E se- volvimento da indústria naval gue para sanção presidencial. do setor, incentivar a formação de marítimos nacionais e os A medida vinha sendo de- investimentos decorrentes de fendida por diversos segmentos operações de cabotagem em da indústria brasileira e, no Rio instalações portuárias, além de Grande do Norte, em especial, otimizar o emprego dos recur- pelo setor salineiro por meio do sos oriundos da arrecadação do Sindicato das Indústrias de Ex- 20 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN Adicional ao Frete para a Re- geiro, agradeço a todos àqueles novação da Marinha Mercante que participaram do esforço para (AFRMM). que se chegasse a esse desfecho favorável. Vamos agora à sanção “Uma vitória a se comemorar. Presidencial”, destacou. Parabenizo o SIESAL e o seu pre- sidente Airton Torres pela luta e O setor sai beneficiado, entre articulação junto ao setor sali- outros fatores, com a prorroga- neiro, à bancada federal, para- ção da isenção do AFRMM até benizo também a FIERN e a CNI 2027, que permitirá à indústria pela mobilização promovida em salineira potiguar enfrentar a torno da aprovação desse proje- concorrência com o sal do Chile. to de fundamental importância para o Rio Grande do Norte”, res- Amaro Sales, presidente da FIERN saltou o presidente Amaro Sales. O presidente do SIESAL, Air- ton Torres, também comemorou a aprovação do chamado de BR do Mar. “O setor salineiro do RN e todos os setores da economia na- cional, que dependem do trans- porte de cabotagem, estão bene- ficiados e, portanto, de parabéns. No que tange a economia salinei- ra do RN, que tanto necessita de isonomia para disputar o merca- do interno com o produto estran- PONTOS DE DESTAQUE DO BR DO MAR O texto prevê a criação da recursos do FMM e celebrados Empresa Brasileira de Investi- antes da pandemia; a garantia mento na Navegação (EBN-i), de mais empregos, com a exi- modifica a destinação de re- gência de que as embarcações cursos do Fundo da Marinha estrangeiras na cabotagem te- Mercante (FMM), ampliando as nham, no mínimo, um terço de hipóteses de uso pelo setor. E tripulantes brasileiros. prevê a prorrogação do prazo do Regime Tributário para Incenti- Atualmente, a cabotagem vo à Modernização e à Amplia- tem uma participação de ape- ção da Estrutura Portuária (Re- nas 11% na matriz de transpor- porto) até 31 de dezembro de te nacional, sendo que 7% das 2023; e o reescalonamento de fi- cargas transportadas por navios nanciamentos viabilizados com são de combustíveis e outros derivados do petróleo. 21REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SONDAGEM Principais dificuldades enfrentadas pela Indústria do Rio Grande do Norte Nas duas edições anteriores da Transformação como o da Cons- Revista da Indústria, fizemos um trução se encontravam em situa- balanço do desempenho do se- ção relativamente melhor do que tor potiguar no primeiro semestre em igual período 2020, ainda que, de 2021 e mostramos que, tanto o efetivamente não tenha ocorrido segmento Extrativo Mineral e de crescimento. 22 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

O mesmo foi verificado em re- em parceria com a CNI, e examinar lação a 2019, período anterior à a evolução destes entre o primeiro Covid-19, salvo, neste caso, no que e o terceiro trimestre do ano. diz respeito à intensidade de uso de recursos produtivos, como má- Constatamos que dificuldades quinas e equipamentos, que se surgidas com a pandemia, como a encontravam mais ociosos. Por- escassez e alta de preços de insu- tanto, uma questão que emerge mos e matérias-primas, se soma- é quais os problemas enfrenta- ram à tradicional e sistêmica ele- dos pelo setor que o impedem de vada carga tributária e à deficiente assumir um desempenho mais logística de transporte; ao súbito vigoroso, e de elevar os níveis de aumento do custo da energia elé- Utilização da Capacidade Instala- trica, que afeta principalmente o da - UCI do setor Extrativo Mine- segmento extrativo e de transfor- ral e de Transformação e a Utiliza- mação; à falta de capital de giro, à ção da Capacidade de Operação insegurança jurídica, e ao aumento - UCO, da Construção? dos juros, mais sentidos pela Cons- trução, e que, conjuntamente, mi- A presente edição objetiva apre- nam o potencial de crescimento sentar e classificar as principais di- do setor industrial. ficuldades enfrentadas pelo setor, segundo a avaliação dos próprios Antes de passarmos à aborda- empresários na Sondagem In- gem das dificuldades, apresen- dustrial e Sondagem Indústria da taremos uma síntese do desem- Construção, executadas pela FIERN penho do setor nos primeiros dez meses de 2021. A INDÚSTRIA POTIGUAR: BALANÇO JANEIRO-OUTUBRO No mês de outubro, o nível de ao compararmos janeiro-outubro produção da indústria Extrativa e de 2021 com o mesmo período dos de Transformação caiu, após cin- dois anos anteriores, verificamos co meses de crescimento. O per- um crescimento efetivo no nível centual médio de Utilização da de produção e estoques em equi- Capacidade Instalada - UCI tam- líbrio. Mesmo assim, a UCI conti- bém recuou, e a indústria regis- nuou inferior à média de 2019. trou acúmulo indesejável de esto- ques de produtos finais. Todavia, Na Indústria da Construção, a tendência mais recente é quase 23REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SONDAGEM inversa à verificada acima. Ou 2020 e 2019, constatamos que seja, o nível de atividade assina- ainda não há crescimento efeti- lou crescimento em setembro e vo no nível de atividade do setor, outubro, após declínio nos oito ao contrário do registrado pelo meses anteriores. O nível de Uti- segmento extrativo e de trans- lização da Capacidade de Ope- formação, embora o patamar ração - UCO também aumentou se encontre relativamente mais nos últimos dois meses. Quando elevado. Mesmo assim, o nível tomamos as médias de janeiro- da UCO aumentou tanto em re- -outubro de 2021 com as de lação a 2020 quanto a 2019. RN - Índices médios de nível de produção e de atividade na Extrat. e Transform. e na Construção (Em pontos*) pontos jan-out de 2019, 2020 e 2021 60,0 50,0 40,0 30,0 39,9 39,5 44,4 20,0 50,3 47,1 51,3 10,0 0,0 Construção - nível de atividade Extrat. e Transform. - nível de produção jan-out 2019 jan-out 2020 jan-out 2021 Fonte: Sondagem Industrial CNI/FIERN. Série histórica de indicadores: 2019 a 2021. *Médias acima de 50 pontos indicam crescimento; abaixo de 50, queda. Em % RN - Níveis médios de utilização da capacidade instalada - UCI e de operação - UCO da Extrat. e Transform. e da Construção (Em %) 80 jan-out de 2019, 2020 e 2021 70 60 71% 65% 70% 50 40 42% 38% 42% 30 20 10 0 Extrat. e Transform. - UCI Construção - UCO jan-out 2019 jan-out 2020 jan-out 2021 Fonte: Sondagem Industrial CNI/FIERN. Série histórica de indicadores: 2019 a 2021. 24 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

PRINCIPAIS PROBLEMAS ENFRENTADOS PELA INDÚSTRIA POTIGUAR A percepção dos empresários in- receberam os maiores percentuais dustriais em relação aos problemas de menções no trimestre julho-se- que mais afetam suas empresas é tembro de 2021, como um indicativo captada trimestralmente nas duas dos problemas recentes com maior sondagens industriais, mediante a gravidade. Esses mesmos destaques apresentação em questionário de foram comparados com a média dos uma listagem com 16 dificuldades percentuais respectivos dos dois tri- comuns à indústria nacional, das mestres anteriores com o intuito de quais até três podem ser marcadas. se avaliar as próprias tendências, se A presente seção selecionou as que se tornaram maiores ou se recuaram. MAIORES DIFICULDADES DAS RN - Principais dificuldades enfrentadas pela indústria no terceiro EXTRATIVAS E DE TRANSFORMAÇÃO trimestre e médias das assinalações do primeiro e segundo trimestre - Extrativas e Tranformação Na avaliação dos empresários do se- Falta ou alto custo da matéria-prima 74% tor Extrativo e de Transformação, foram Falta ou alto custo da energia 79% cinco as principais dificuldades enfren- Elevada carga tributária tadas por suas empresas durante o 24% 36% 40% 36% terceiro trimestre de 2021. A principal Dificuldades na logística de transporte 19% estava relacionada à Falta ou alto custo 21% da matéria-prima, assinalada por 79% Taxa de câmbio 22% das empresas; em segundo, coincidi- 21% ram em citações, a Falta ou alto custo Médias do 1o + 2o Trim 3o Trim da energia e a Elevada carga tributária, Fonte: Sondagem Industrial CNI/FIERN. Série histórica de indicadores: 2019 a 2021. (36% cada uma); Dificuldades na logís- tica de transporte e Taxa de câmbio 74% para 79%. Mas Falta ou alto custo também empataram (21%). da energia foi o tema que mais incre- Dos problemas selecionados acima, mentou citações no período, acumu- três haviam se expandido relativamen- lando 12 pontos percentuais (aumento te aos dois primeiros trimestres do ano. de 24% para 36%); Dificuldades na lo- A principal adversidade, Falta ou alto gística de transporte avançou dois pon- custo da matéria-prima, se encontra- tos percentuais (19% para 21%). Em con- va cinco pontos percentuais acima da trapartida, diminuíram as citações para média obtida do primeiro e segundo Elevada carga tributária, de 40% para trimestre, tendo os índices passado de 36% e Taxa de câmbio, de 22% para 21%. 25REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SONDAGEM DIFICULDADES DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Na indústria da Construção, seis dificuldades haviam se tornado dificuldades se destacaram em as- mais graves: Falta de capital de sinalações no trimestre julho-se- giro saltou 22 pontos percentuais tembro. Falta de capital de giro foi (de 39% para 62% de assinalações); classificada como a principal (62%); Insegurança jurídica, subiu 13 pon- em segundo lugar, empatados tos percentuais (de 18% para 31%); com 31% das citações, aparecem: Demanda interna insuficiente, dez Demanda interna insuficiente, Fal- pontos percentuais (de 21% para ta ou alto custo da matéria-prima, 31%) e Taxas de juros elevadas, 19 Insegurança jurídica e Elevada car- pontos percentuais (de 4% para ga tributária. Em terceiro, Taxa de 23%). Por outro lado, se tornaram juros elevadas (23%). relativamente mais brandas, a Fal- ta ou alto custo da matéria-prima Na comparação das médias dos (de 36% para 31%) e a Elevada carga dois primeiros trimestres com as tributária (de 32% para 31%). do terceiro, verifica-se que quatro RN - Principais dificuldades enfrentadas pela indústria no terceiro trimestre e médias das assinalações do primeiro e segundo trimestre - Indústria da Construção Falta de capital de giro 39% 62% Demanda interna insuficiente nça em Pontos percentuais Falta ou alto custo da matéria-prima 21% 31% 18% 36% Insegurança jurídica Elevada carga tributária 31% Taxa de juros elevadas 31% 32% 31% 4% 23% Médias do 1o + 2o Trim 3o Trim Fonte: Sondagem Industrial CNI/FIERN. Série histórica de indicadores: 2019 a 2021. 26 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

CONSIDERAÇÕES SOBRE AS DIFICULDADES DA INDÚSTRIA A elevada carga tributária é con- cas, em decorrência da menor ca- siderado um dos principais pro- pacidade de geração hidrelétrica. blemas estruturais que oneram a indústria brasileira, e costuma re- Além de captado pelas sonda- ceber as maiores frequências de gens industriais, o tema da difi- citações desde que as duas son- culdade de acesso a insumos e dagens tiveram início. matérias-primas pela indústria, surgido com a pandemia, foi ob- A demanda por moradias, con- jeto de quatro Sondagens Espe- siderada insuficiente por parte ciais pela CNI/FIERN, desde 2020, significativa dos empresários da das quais duas no presente ano, construção, é reflexo, por um lado, em fevereiro e outubro. Compa- da inflação e do desemprego, que rando-se as mais recentes, verifi- afetam a renda das famílias, e, por ca-se, em 2021, um aumento na outro, dos preços em alta dos in- proporção de empresas do seg- sumos, que encarecem os preços mento Extrativo e Mineral que dos imóveis. mencionaram enfrentar dificul- dades para adquirir insumos pro- Sobre a alta da tarifa de ener- duzidos no país, embora os ca- gia elétrica, é importante chamar sos considerados graves tenham a atenção que 80% do volume recuado. Concomitantemente, deste insumo consumido no Rio na Construção, diminuiu a pro- Grande do Norte é comerciali- porção de empresas afetadas. zado no mercado cativo, o mais Quanto ao prazo esperado para afetado pela extraordinária “ban- normalização da oferta, a maioria deira escassez hídrica”, criada em das empresas dos dois setores, 2021, com o intuito de cobrir os espera que esta ocorra até o se- custos - mais caros - decorrentes gundo semestre de 2022. do acionamento de usinas térmi- Acesse aqui Sondagem Especial Mercado de Insumos e Matérias-Primas e a Indústria Potiguar *Artigo por Sandra Lúcia Barbosa Cavalcanti e Silvana Maria de Araújo, da Unidade de Economia e Pesquisa da FIERN 27REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

NOTAS PRÊMIO ENERGIA Amaro Sales, presidente do Sistema FIERN, foi homenageado como uma das 15 personalidades do Rio Grande do Norte que contribuíram para o desenvolvimento do setor energético do estado. E recebeu o Prêmio Personalidade do Setor Energético entregue pelo Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energias (Cerne), no 6º Fórum Estadual de Energia e Sustentabilidade (FEERN 2021). Amaro foi representado pelo diretor regional do SENAI-RN, Emerson Batista. AÇÃO PRÓ-AMAZÔNIA O presidente da FIERN Amaro Sales de Araújo, participou, em Brasília, da solenidade pelos 30 anos da Ação Pró Amazônia e cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Amazônico Danilo Remor. A solenidade, no dia 30 de novembro, reuniu o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, presidentes de diversas federações e empresários. PRÊMIO JC CORDEIRO Em solenidade realizada dia 26 de novembro, o presidente da FIERN, Amaro Sales, foi agraciado com a 12ª edição do Prêmio de Excelência Gráfica José Candido Cordeiro. O Prêmio é realizado pelo Sindicato das Indústrias Gráficas do Rio Grande do Norte (SINGRAF-RN) e pela Associação Nacional das Indústrias Gráficas e da Comunicação (Andigraf). 28 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

REELEIÇÃO NOVA DIRETORIA O presidente O Sindicato do Sindicato das Indústrias da Indústria da Construção de Torrefação Civil de Mossoró e Moagem de (Sinduscon Mossoró) Café do Estado elegeu como novo do Rio Grande presidente da do Norte entidade, o industrial (SINDICAFÉ- Jorge Ricardo do RN), Heyder de Almeida Dantas, foi Rosário, e nova diretoria para o período de reeleito, dia 24 de novembro, para 2022 a 2025. A eleição aconteceu dia 8 de mais um mandato [2022-2026] dezembro, em Mossoró. Jorge do Rosário à frente da entidade. No novo sucederá a Sérgio Freire, que esteve à frente período à frente do SINDICAFÉ- da instituição por duas gestões. A posse da RN será dada continuidade à nova diretoria está marcada para o dia 3 de atuação de apoio às indústrias e fevereiro de 2022. defesa das medidas que propiciem melhorias de competitividade e RESTAURAÇÃO desenvolvimento das empresas do setor. Um dos marcos do patrimônio histórico e cultural de Natal, o Solar Bela Vista será REELEIÇÃO 2 plenamente reformado. O projeto de restauração está fase de execução, pelo SESI- A empresária RN, que investe na reforma, concebida e Maria da autorizada pelo Iphan, uma vez que se trata de Conceição um imóvel oficialmente tombado pelo órgão Tavares foi responsável pelo patrimônio artístico nacional. reconduzida A restauração garante a preservação de um para um novo patrimônio arquitetônico do Estado. período (2021 a 2025) na Presidência do Sindicato da Indústria de Material e Laminados Plásticos do RN (SindiplastRN). A eleição para a diretoria da entidade aconteceu dia 19 de novembro, na Casa da Indústria. 29REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SENAI ARTE: THÚLIO RÊGO O hidrogênio a partir de fontes renováveis de energia, como eólica, é apontado como opção para reduzir os impactos do efeito estufa HIDROGÊNIO VERDE Chamada Pública SENAI-CTG Brasil soma de R$ 186 milhões COM 36 PROJETOS DE TODO PAÍS, MISSÃO ESTRATÉGICA HIDROGÊNIO VERDE ATRAI 10 VEZES A CIFRA DE RECURSOS PREVISTOS NO EDITAL 30 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SENAI Por Renata Moura “Atrair projetos que A“Missão Estratégica Hi- correspondem a 10 drogênio Verde”, maior vezes o valor do chamada pública no edital representa Brasil para apoio a projetos de uma sociedade Pesquisa, Desenvolvimento & preocupada com Inovação (PD&I) com foco em combustíveis mais Hidrogênio Verde, recebeu um limpos e a adesão total de 36 inscrições, oriundas das empresas a esse de 14 estados do país, com va- novo pensamento.” lor somado de R$ 186 milhões em propostas. A cifra é mais de RODRIGO MELLO, DIRETOR DO ISI-ER 10 vezes a prevista no edital (R$ 18 milhões) e está concentrada Rodrigo Mello, diretor do ISI-ER: Resultado retrata principalmente em projetos para preocupação da sociedade com combustíveis mais limpos e produção do chamado “combus- adesão das empresas a esse novo pensamento tível do futuro”. A Chamada Pú- blica é uma parceria entre o Ser- 31REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN - viço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e a CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa no País. O Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER), que coordena nacionalmente a ação, observa que o edital atraiu desde startups até grandes em- presas. O objetivo, segundo os organizadores, é impulsionar so- luções em PD&I capazes de gerar negócios. Entre as ideias apresen- tadas, 74% focam na produção de hidrogênio, 20% no uso industrial, 3% no transporte e outros 3% em certificações do produto. “Atrair projetos que corres- pondem a 10 vezes o valor do edital, envolvendo 50% das uni- dades da federação, represen- ta o momento que a gente está vivendo, de sociedade preocu- pada com combustíveis mais limpos e a adesão das empresas a esse novo pensamento”, diz o

SENAI diretor do ISI-ER, Rodrigo Mello, verde e com essa envergadura. É observando que os R$ 186 milhões uma área que começa a crescer relativos aos projetos incluem R$ agora no país e esses resultados 21 milhões em contrapartidas das confirmam que o interesse que empresas proponentes para fi- desperta é absoluto”, acrescenta o nanciamento, um dos requisitos diretor do ISI-ER. previstos no edital.   “Investimos na matriz energéti- ca brasileira, com foco na diversifi- “O hidrogênio verde cação de nosso portfólio de ativos e na complementariedade das terá papel fundamental fontes de geração de energia. Para na transição da matriz atingir esses objetivos, contamos energética mundial e com parcerias estratégicas, como queremos fazer parte essa. O hidrogênio verde terá pa- desse movimento.” pel fundamental na transição da matriz energética mundial e que- SILVIO SCUCUGLIA, DIRETOR DE remos fazer parte desse movimen- ESTRATÉGIA E DESEMPENHO to. Conhecer todas essas iniciativas EMPRESARIAL DA CTG BRASIL inscritas na chamada estratégica, nos faz ter a confiança de que te- SELEÇÃO remos projetos relevantes de hi- A primeira fase da seleção se- drogênio verde para apoiar, desen- volver e implantar nos próximos gue agora com a análise das pro- meses”, ressalta Silvio Scucuglia, di- postas. Segundo Mello, os projetos retor de Estratégia e Desempenho que avançarem para a segunda Empresarial da CTG Brasil. etapa passarão por uma curado- ria para identificação de possíveis ESTADOS sinergias e aprovação final da CTG De acordo com os dados levan- Brasil, que destina recursos à cha- mada pública por meio do progra- tados, as propostas apresentadas ma Pesquisa & Desenvolvimento tiveram valor médio de R$ 6 mi- (P&D) da ANEEL. lhões. No Paraná, estado que li- dera em participação, a soma dos Já no início de 2022 inicia-se um projetos alcança R$ 24,2 milhões. novo ciclo: a prospecção de possí- Os estados de Santa Catarina (R$ veis parceiros internacionais para 17,20 milhões), Ceará (R$ 16,4 mi- o desenvolvimento das ideias se- lhões), Rio Grande do Norte e Ama- lecionadas. Não há uma estimati- pá (empatados com R$ 14,5 mi- va de quantos dos inscritos serão lhões) aparecem em seguida no contratados. Os projetos escolhi- ranking. Mato Grosso do Sul, Bahia, dos terão prazo de execução de Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, até 36 meses, a partir da assinatu- Minas Gerais, Pernambuco, Espírito ra do contrato. Santo, São Paulo e Maranhão tam- bém entraram na disputa. “Essa é uma iniciativa inédita no Brasil com foco no hidrogênio 32 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SENAI SAIBA MAIS SERVIÇO A “Missão Estratégica Hidrogê- Para saber mais sobre nio Verde” foi lançada em outubro Missão Estratégica deste ano, durante inauguração do Hidrogênio Verde - a Habitat de Inovação da CTG Brasil maior chamada pública no Hub de Inovação e Tecnologia do país, acesse: (HIT) do SENAI-RN, em Natal. A empresa foi a primeira empresa 33REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN - do setor de energia a instalar um escritório de inovação no espaço. Uma das áreas de interesse da companhia, o hidrogênio verde a partir de fontes renováveis de ener- gia, como eólica e solar, é alternativa à produção a partir de gás metano - mais comum hoje e mais poluente. Conhecido como “combustível do futuro”, o hidrogênio verde é apontado globalmente como opção para reduzir os impactos do efeito estufa, substituindo, por exemplo, combustíveis fósseis em meios de transporte e insumos usados na li- nha de produção da indústria.

SENAI Acor EDUCAÇÃO PROFISSIONAL SENAI-RN supera meta e atinge 23 mil matrículas PARA 2022, O OBJETIVO SÃO 3,5 MILHÕES DE HORAS/AULAS DE FORMAÇÃO AOS POTIGUARES Por Aldemar Freire Centros de Educação e Tecnolo- gia de Natal e do interior e nas OServiço Nacional de unidades móveis. Esses cursos, Aprendizagem Industrial que ultrapassaram a meta de no Rio Grande do Norte quantidade de matrículas de- encerra 2021 com 23 mil matrí- finida para o ano (21.300), leva- culas nos cursos de formação ram formação profissional para profissional — presenciais e a os 167 municípios do Rio Grande distância — oferecidos nos seus do Norte. 34 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SENAI E, para 2022, o planejamento já cionados com metal mecânico e está delineado com metas de pros- petróleo e gás. As demais áreas seguir e ampliar a formação profis- ainda tiveram procuras acentu- sional no Rio Grande do Norte. O adas, como as que se dedicam objetivo são 3,5 milhões de horas/ à formação na produção de ali- aulas de formação aos potiguares. mentos, para construção civil e Neste ano, foram 2,840 milhões. costura industrial. A quantidade de matrículas, que sempre é superada, está, para o “As parcerias e o interesse cres- próximo ano, com a meta de 21.312. cente da indústria pela qualifica- ção impulsionaram a atuação do Os números do SENAI ao longo SENAI-RN na qualificação e capa- de 2021 mostram que, também no citação profissionais no Rio Grande Rio Grande do Norte, a instituição do Norte”, destacou o diretor regio- tem desempenhado a função de nal do SENAI, Emerson Batista. garantir formação profissional e contribuir para o futuro da indús- Um dos programas executados tria. O SENAI é o principal com- em parceria é o Emprega Mais, plexo de educação profissional da por intermédio do qual trabalha- América Latina e detentor da maior dores da indústria se mantêm rede privada de Institutos de Tec- atualizados e os desempregados nologia e Inovação para a indústria podem se qualificar e voltar ao nessa região do mundo. mercado de trabalho. Os cursos são de qualificação e aperfeiçoa- No Rio Grande do Norte, englo- mento, presenciais e semipresen- ba cinco Centros de Educação e ciais, com carga horária média de Tecnologias: CET (voltado ao setor 120 e 240 horas. da construção civil); CETCM (vol- tado às indústrias de alimentos, Esse programa garantiu pers- vestuário e moda); CETIB (cursos pectivas a pessoas que estavam diversos para a indústria); CETAB desempregadas. Esse foi o caso (vestuário, construção e outros), e de Ednilza Ramos do Nascimento, CTGAS-ER, principal referência do 20 anos, estudante que precisava SENAI no Brasil para educação e trabalhar e não tinha uma for- serviços com foco nas indústrias de mação voltada às empresas. Ela energias renováveis e do gás. A atu- mora em Ceará-Mirim e graças ao ação no RN se dá ainda por meio Emprega Mais conseguiu o pri- do Instituto SENAI de Inovação meiro emprego. “Quando apare- em Energias Renováveis (ISI-ER), ceu a oportunidade com costura, na capital, e do Instituto SENAI de resolvi aceitar”, comemorou. Tecnologias em Petróleo e Gás (IST- -PG), em Mossoró. Os convênios no RN também foram feitos com prefeituras para Neste ano, entre os cursos pro- levar o programa de qualificação fissionalizantes mais procurados profissional Emprega Mais ao in- estiveram os que são ofertados terior, o que multiplicou as opor- pelo CTGAS-ER, especialmente tunidades. os relacionados com segurança no trabalho e energias renováveis. O diretor regional lembra ain- Também se destacaram os rela- da que o SENAI também cum- pre o compromisso de 66% de gratuidade. 35REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SESI Premiação é o estágio mais avançado da Olimpíada do Futuro, quando os alunos viabilizam o projeto como produto para o mercado PREMIAÇÃO SESI RN conquista Prêmio Evolução na Olimpíada do Futuro COM JUJUBA PARA PACIENTES ONCOLÓGICOS, ALUNOS DA SESI ESCOLA NATAL E SGA VENCEM PRÊMIO NACIONAL Por Jô Lopes e David Freire conhecimento nacional foi conquistado com o projeto Aequipe Nutrinim da “Jujuba Nutrinim – alternativas SESI Escola RN é ven- para restituir sentidos gustati- cedora do Prêmio Evo- vos aos pacientes oncológicos”. lução na Olimpíada do Futuro, A premiação é o estágio mais realizada em Foz de Iguaçu avançado da Olimpíada do Fu- (PR), dia 3 de dezembro. O re- turo – quando os alunos conse- 36 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SESI guem viabilizar o projeto como projeto”, acrescentou. produto para o mercado. Com o prêmio, a Nutrinim A equipe é formada pelos alu- terá uma mentoria de equipe nos da SESI Escola Natal e São técnica em administração de Gonçalo do Amarante Cailany empresas e marketing. “Vamos Cavalcante, Maria Alice Gomes, ter uma equipe jurídica que Elton Oliveira, Gustavo Araújo e dará assessoria para patentear Dailton Lima, com orientação do o projeto”, disse o orientador. professor Diego Bezerra Caval- cante. A disputa pelo Prêmio Na- Diego Cavalcante destacou cional contou com dez finalistas. o apoio recebido pelo SESI-RN e também o “apoio de médicos A jujuba Nutrinim é destina- para testar o produto do projeto da a pacientes oncológicos, que em vivo [em pessoas] uma vez fazem uso da quimioterapia e que há todo um protocolo”. radioterapia, como forma de re- cuperar o paladar e olfato me- “Traçamos uma meta para lhorando a nutrição. este ano poder mostrar o pro- jeto para o mundo e colocamos Os estudantes venceram ano como objetivo algumas das Fei- passado a Olimpíada do Fu- ras mais importantes de Ciên- turo e isso os credenciou para cias”, comenta o professor. disputar o prêmio Evolução na edição deste ano.  Responsável Com objetivos a curto e mé- pela orientação dos estudantes, dio prazo, o professor citou a Fe- o professor explicou que isso foi brace, considerada maior feira iniciado com a participação de da América Latina em São Pau- Cailany na Olimpíada de Medi- lo ano que vem. “Submetemos cina e depois na Olimpíada do o trabalho e seremos finalistas. Futuro, em 2020. “Ao avançar de Se ganharmos, devemos ir aos fases, ela teve que montar um Estados Unidos para disputar a grupo para desenvolver um pro- Feira Internacional de Ciências jeto com mais quatro colegas”, e Engenharia (Intel ISEF), consi- informou Diego Cavalcante. derada a maior feira internacio- nal”, disse. Ele comentou que o prêmio recebido representa muito para Para a gerente de Educação toda equipe e para a instituição e do SESI-RN, Ana Karenine Me- coroa os esforços em um contex- dina, é fantástico e motivador to de pandemia. “Nós consegui- saber que esse projeto foi de- mos isso durante um ano muito senvolvido por alunos do Ensino difícil. Evoluir o projeto ao ponto Médio do SESI-RN, pensando no de ter boas expectativas de colo- bem das pessoas que apresen- car nosso produto no mercado”, tam dificuldades após um trata- declarou. “Conseguimos mudar mento contra câncer. “Torço para a formulação, dar visibilidade ao que continuem o projeto e consi- gam ajudar o próximo”, concluiu. 37REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SESI A aluna Cailany Cavalcante, líder da Equipe Nutrinim, recebeu a premiação COM PROJETO DA JUJUBA, EQUIPE ACUMULA PREMIAÇÕES A equipe da SESI Escola RN de fins lucrativos e politicamente Natal e de São Gonçalo do Ama- independente, que visa desen- rante acumula uma lista de con- volver a cultura científica entre quistas com a Jujuba Nutrinim os jovens por meio da organiza- – alternativas para restituir sen- ção da ciência e programas de tidos gustativos aos pacientes tecnologia. É organizado pela oncológicos. Em novembro, os ARCITECO RED – Rede Argen- estudantes ficaram em segun- tina de Recreação em Ciência, do lugar na 27° Feira Internacio- Tecnologia e Comunicação. nal Ciência Jovem, na categoria Desenvolvimento Tecnológico, A gerente de Educação do onde concorreram com outras SESI-RN, Karenine Medina, lem- 55 equipes de todo Brasil. bra que o trabalho da equipe vem sendo desenvolvido desde A classificação os credenciou agosto 2020, sendo o vencedor para participar de um evento da Olimpíada do Futuro daque- internacional, a MILSET Lati- le ano e tendo se destacado em namerican Expo-Sciences, que outras competições. acontecerá na Argentina, em 2022. O ESI AMLAT é um even- “Durante o ano de 2021, o tra- to do Movimento Internacional balho evoluiu com testagens para a Recreação Científica e laboratoriais, alcançando resul- Técnica da América Latina (MIL- tados satisfatórios e animadores SET AMLAT), uma organização para a continuidade do projeto”, juvenil não governamental, sem comemora a gerente de Educa- ção do SESI. 38 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SESI CONHEÇA O PROJETO A jujuba Nutrinim é desti- nutrição, fator importante du- nada a pacientes oncológicos rante a terapia. que fazem uso da quimiotera- pia e radioterapia e, devido ao A jujuba é feita a partir de tratamento, apresentam per- óleo essencial de hortelã pi- da do paladar, incapacidade de menta – responsável por esti- sentir odores e baixa produção mular as papilas gustativas e de saliva. Esses fatores levam a de agir também como descon- desmotivação alimentar ocasio- gestionante nasal, permitindo nando desnutrição, sendo uma o retorno sensitivo do paladar e das maiores responsáveis pelas do olfato -; e por glutamato mo- mortes durante o tratamento. nossódico, que estimula alguns receptores específicos da lín- O doce, desenvolvido pela gua, influenciando os sabores; equipe do SESI-RN, é capaz de além de outros ingredientes recuperar os sentidos perdidos naturais. A Nutrinim é livre de promovendo uma melhora na açúcar, lactose e glúten. Jujuba é feita a partir de óleo essencial de hortelã pimenta e glutamato monossódico 39REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SESI CÉLIO DUARTE/SECOM PMM Encerramento do Ação pela Vida, em Mossoró, reúne diretores e gestores da FIERN, prefeito e secretários VACINAÇÃO Ação pela Vida atinge 363 mil doses aplicadas APÓS SETE MESES DE ATIVIDADES EM NATAL E MOSSORÓ, SESI ENCERRA POSTOS DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 Por David Freire tos de vacinação contra a Covid-19 do programa Ação pela Vida. Ao Com 184.585 doses do imu- todo, o Ação pela Vida, realizado nizante aplicadas na se- pelo Sistema FIERN – FIERN, SESI, gunda maior cidade do SENAI e IEL -, aplicou 362.944 do- Rio Grande do Norte, o SESI-RN ses em todo o Rio Grande do Nor- encerrou, em Mossoró, dia 30 de te. Sendo 178.359 doses, em Natal, novembro, os trabalhos nos pos- e outras 184.585, em Mossoró. 40 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SESI Entre os trabalhadores da in- A todos os profissionais, volun- dústria, o número em todo Rio tários que tanto se dedicaram. Grande do Norte chega a 29.397 Uma grande iniciativa do Siste- doses. Das quais, 22.627 doses na ma FIERN, do SESI, instituições capital e 6.770 em Mossoró. parceiras que realizam o trabalho de excelência em uma parceria O encerramento das ativida- com o Município e podem levar des contou com a participação ao povo de Mossoró a felicidade do vice-presidente da FIERN, Vil- de ter sido um local privilegiado mar Pereira, o prefeito Allyson com a maior aplicação de vacinas Bezerra, o presidente da Câma- no Rio Grande do Norte”, frisou o ra Municipal, Lawrence Amorim, prefeito Allyson Bezerra. a secretária de Saúde Morgana Dantas, o gerente do SESI Mosso- O apoio do Departamento Re- ró, Denilson Santana, além de ve- gional do SESI-RN foi fundamen- readores e todos os profissionais tal para avanços significativos na envolvidos. aplicação do imunizante contra a Covid-19, que resultou no alcance “Nos sentimos honrados em da população vacinável com a D1 podermos contribuir com este em 75% e com a D2 em 60%. trabalho de imunização durante esses sete meses. O prefeito e a O programa Ação pela Vida, secretária de Saúde manifesta- do Sistema FIERN, colocou o Rio ram satisfação pela ação no SESI Grande do Norte entre os três es- Mossoró. Um reconhecimento tados brasileiros com números pela ajuda dada pelo Sistema mais expressivos nas parcerias do FIERN, por meio do SESI, à toda Serviço Social da Indústria (SESI) cidade”, destacou Vilmar Pereira. — com governos estaduais e pre- feituras — para vacinação contra O superintendente regional Covid-19. do SESI-RN, Juliano Martins, des- tacou que o Ação pela Vida foi a Juliano Martins explicou que, contribuição da FIERN para agi- no tocante ao SESI, coube a res- lizar a imunização da população ponsabilidade por “infraestrutu- daquele município. “Sinto-me ra, logística e gestão do processo muito honrado por o SESI poder de vacinação”. O “Ação Pela Vida” ter ajudado com este trabalho”, surgiu para ampliar os pontos de enfatizou Juliano Martins. vacinação e cobertura da imuni- zação em Mossoró. Em Mossoró, desde o dia 22 de abril, dez postos para atendi- Para o presidente do Sistema mento a pedestres instalados no FIERN, Amaro Sales, a iniciativa foi Ginásio do SESI atenderam a po- fundamental para acelerar a va- pulação da região contribuindo cinação tanto na capital, quanto para ampliar a cobertura vacinal na segunda maior cidade do RN. contra o coronavírus. “O Sistema FIERN participou ati- vamente para proporcionar uma A iniciativa do Sistema FIERN maior velocidade à vacinação da foi realizada em parceria com a população e para garantir a rápi- Prefeitura da cidade. da imunização dos trabalhadores da indústria”, assinalou. “Gratidão a todos que parti- ciparam deste trabalho incrível. 41REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SESI CÉLIO DUARTE/SECOM PMM (esq. para dir) Denilson Santana (SESI), Morgana Dantas (SMS), prefeito Allyson Bezerra, Vilma Pereira (FIERN) AÇÃO PELA VIDA EM NATAL, MAIS DE 178 Números da vacinação MIL DOSES contra a covid-19 DE VACINA APLICADAS RN Doses aplicadas (D1, D2, D3) Em Natal, de 5 de abril a 2 de D1 – 182.675 doses outubro, o programa “Ação Pela D2 – 163.532 doses Vida” resultou na aplicação de D3 – 16.737 doses 178.359 doses do imunizante. Doses em Industriários – 29.397 doses Com relação aos trabalhadores Total de doses aplicadas – 362.944 doses da indústria, foram 22.627 traba- lhadores vacinados. Mossoró – 22/04 a 30/11/2021 Doses aplicadas (D1, D2, D3) Na capital, o ponto de drive D1 – 88.041 doses do SESI foi fundamental para D2 – 83.792 doses alcançar os 90% da população D3 – 12.752 doses vacinável com a D1 (primeira Doses em Industriários – 6.770 doses dose), superando a média esta- Total de doses aplicadas – 184.585 doses dual e brasileira.   Natal – 05/04 a 02/10/2021 Foram instalados 25 pontos Doses aplicadas (D1, D2, D3) de vacinação, sendo 15 tendas D1 – 98.634 doses em sistema drive thru no es- D2 – 79.740 doses tacionamento do CTGAS-ER D3 – 3.985 doses e 10 pontos de vacinação para Doses em Industriários – 22.627 doses pedestres, no Ginásio da SESI Total de doses aplicadas – 178.359 doses Clínica, em Lagoa Nova, com capacidade para 4 mil atendi- mentos diários. 42 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

IEL PRÊMIO IEL DE ESTÁGIO Premiação reconhece as melhores práticas PRÊMIO CONCEDIDO PELO INSTITUTO EUVALDO LODI RN ANUNCIA VENCEDORES EM SOLENIDADE NO ESPAÇO CULTURAL CANDINHA BEZERRA Por David Freire Casa da Indústria, no dia 9 de novembro. A edição é referente Principal honraria refe- ao ano de 2020, que não havia rente às boas práticas de sido entregue devido a pande- gestão de estágio no Rio mia da Covid-19. Grande do Norte, o Prêmio IEL de Estágio - concedido pelo Ins- O superintendente do IEL- tituto Euvaldo Lodi no Rio Gran- -RN, Juan Saavedra, frisou que de do Norte (IEL-RN), entidade a premiação visa contemplar que integra o Sistema FIERN - as melhores práticas de estágio anunciou seus vencedores em em conformidade com a Lei de solenidade realizada no Espaço Estágio e premia tanto os es- Cultural Candinha Bezerra, na tudantes quanto as empresas e as instituições de ensino. “O 43REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

IEL Prêmio vem realmente para fo- inovadoras. “A importância é fa- mentar o Programa de Estágio zer com que essa prática tenha uma vez que o propósito do es- cada vez mais aderência à legis- tágio é ser um programa socio- lação de estágio”, comentou. educativo”, ressaltou. Os projetos avaliados estão in- Nesta edição, explica ele, o seridos em temas como desburo- prêmio passou por uma refor- cratização, transformação digital, mulação e hoje está com o foco tecnologia e sustentabilidade. em projetos inovadores. “Então, a proposta é buscar projetos de Para a reitora do Centro Uni- estágio que tenham essa ‘pe- versitário Facex, Candice Figuei- gada’ da inovação, da transfor- redo, que venceu na categoria mação digital”, disse. Inovação Educadora, é uma “fe- licidade e emoção [conquistar o Além disso, ele ressalta que, prêmio] depois de um ano tão com a pandemia, a era digital desafiador”. Ela disse também “veio pra ficar”. “O prêmio veio que foi uma oportunidade para casando com esse momento se reinventar e foi “gratificante de transformação digital, in- estar [na solenidade de premia- dústria 4.0 e, para 2022, a ex- ção] presencialmente”. pectativa são projetos inova- dores que busquem trazer não O Ministério Público do Rio só benefício para o estagiário Grande do Norte (MPRN) saiu como também para a empre- vencedor em duas categorias: sa”, acrescentou. Empresa Inovadora e Projeto Inovador (Empresa Grande Por- Coordenador do Prêmio IEL te). O chefe do Setor de Está- de Estágio no RN, André Pereira, gios, Alexandre Lima, reforçou explica que a premiação congre- a importância que representa ga a prática entre alunos, insti- o prêmio. “A conquista mostra tuições de ensino e setor de Re- que estamos no caminho cer- cursos Humanos de empresas to”, disse. focando na inovação e práticas Vencedora na categoria Pro- Lhayana Macedo, vencedora na categoria Projeto jeto Inovador (Empresa Médio Porte), Lhayana Macedo, do Se- brae, falou sobre a conquista do 1º lugar. “Espero continuar fazendo esse tipo de projeto”, comentou. Para ela, iniciativas como esta do IEL são “muito in- teressantes”. “Faz a gente ficar motivado”, afirmou. Este ano, não ocorreu a en- trega do Prêmio IEL de Estágio nacional. Prevista somente para 2022, quando será realizada uma nova etapa estadual e os finalistas poderão concorrer a etapa nacional. 44 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

IEL Ministério Público do RN vence nas categorias Empresa Inovadora e Projeto Inovador (Empresa Grande Porte) FÓRUM ESTÁGIO DO RN No mesmo dia, foi realizada de estágio. Presença de institui- a 10ª Reunião do Fórum de Es- ções de ensino, empresas im- tágio do RN, presidida pelo su- portantes como MPRN, Guarara- perintendente do IEL-RN, Juan pes, Sebrae, Senac. “Esse Fórum Saavedra. O Fórum é uma ini- junta essas partes importantes ciativa do IEL-RN e, segundo ele, para o programa de estágio e se trata-se de uma boa prática em discute boas práticas, melhorias que se busca envolver as partes para ter um programa exemplar necessárias para um programa no estado”, concluiu. Juan Saavedra, superintendente do IEL-RN PRÊMIO IEL DE ESTÁGIO Confira os vencedores: Empresa Inovadora – Ministério Público do RN Projeto Inovador (Empresa Grande Porte) – Alan Ferreira da Silva – Engenharia da Computação/UFRN, Empresa: MPRN Projeto Inovador (Empresa Médio Porte) – Lhayana Vieira de Macedo – Economia/UFRN, Empresa: Sebrae-RN Educação Inovadora – Centro Universitário Facex - Unifacex 45REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

IEL NEGÓCIOS INOVADORES Soluções inovadoras e empresas com potencial para investir RESULTADO DO EDITAL DO PROGRAMA SOLUÇÕES 4.0 PARA STARTUPS E EMPRESAS INVESTIDORAS FOI DIVULGADO E MOSTRA ÊXITO DA INICIATIVA 46 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

IEL Por Aldemar Freire planeja um sistema de inspeção de falhas na costura da bainha Vinte e três startups com de lençóis de cama. soluções inovadoras para aumento de competiti- O edital de Inovação do IEL- vidade e 14 empresas e institui- -RN foi aberto em julho e envol- ções com potencial para investir veu três fases: na primeira, se nesses projetos aderiram e pre- inscreveram startups interessa- encheram os critérios do edital das em apresentar ideias ino- do Programa Soluções 4.0 – Ne- vadoras para empresas investi- gócios Inovadores, lançado pelo doras; na segunda, ingressaram Sistema FIERN, por intermédio as empresas que desejavam co- do IEL-RN. O resultado foi publi- nhecer novos projetos, investir cado no dia 10 de novembro. O em inovação com foco em ne- programa desenvolve o primei- gócios sustentáveis, escaláveis ro edital, no Estado, de incentivo e de base tecnológica. Depois, a startups para inovação voltada as empresas receberam do IEL às indústrias. as análises das inscrições das startups, apresentando seu por- As startups que aderiram ao tfólio de soluções, e indicaram edital - e tiveram seus projetos seu interesse em aportar inves- aprovados pela Comissão de timentos. Análise - apresentaram diversas soluções, desde automação a Entre os resultados previstos melhorias de relacionamentos para Programa Soluções 4.0 – Ne- com fornecedores e logística. gócios Inovadores estão o fortale- cimento de um ecossistema de Uma das soluções é para im- inovação competitivo e rentável; plementar um processamento a criação de um fundo de inves- de dados para melhorar a efici- timentos com estratégia e foco ência e automação na geração para o negócio; além estimular e de vapor. Há também projeto dar oportunidade às startups que para desenvolver uma estação construam soluções inovadoras e inteligente de recarga para ve- com diferenciais para incremen- ículos elétricos. Outra startup tar e ampliar mercados. SERVIÇO Clique e confira o Resultado final do edital do Programa Soluções 4.0 - Negócios Inovadores, do IEL-RN. 47REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

IEL AMBIENTE DE INOVAÇÃO ‘Ecossistema do RN’ concorre a Prêmio Nacional PROJETO ARTICULADO ENTRE ENTIDADES EMPRESARIAIS, ÓRGÃOS PÚBLICOS E INSTITUIÇÕES ACADÊMICAS DISPUTA PREMIAÇÃO DA CNI E SEBRAE Por Aldemar Freire inovadora, concorre ao Prêmio Nacional de Inovação, uma ini- OEcossistema articulado ciativa realizada pela Confedera- no Rio Grande do Norte ção Nacional da Indústria (CNI) e entre entidades empre- pelo Serviço Brasileiro de Apoio sariais, órgãos públicos e insti- às Micro e Pequenas Empresas tuições acadêmicas, com o ob- (SEBRAE), com edições a cada jetivo de estimular iniciativas dois anos. 48 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

IEL Na edição 2021/2022, foi inserida a Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) categoria “Ecossistema de Inovação” e modelos de negócio e gestão, em no Prêmio, que também tem “Ges- parceria com instituições do Brasil e tão da Inovação” e Inovação — com do mundo, por fim oportunidade de as subcategorias, Produto, Processo e formação no Master in Business In- Sustentabilidade. Os trabalhos foram novation (MBI) do SENAI. desenvolvidos pelo NAGI (Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação do RN), Igualmente relevante, o prêmio instituído em 2011, pelo Comitê de Li- oferece ampla divulgação na mídia deranças Empresariais pela Inovação dos finalistas e vencedores em mí- e o pelo Comitê de Inovação, Ciência e dias digitais e impressas (jornais e Tecnologia, que têm a participação da revistas) de relevância empresarial e iniciativa privada, academia e gover- alcance nacional. nos. As entidades e instituições parcei- ras identificaram que essa experiência De acordo com o Regulamento poderia ser submetida nessa catego- do Prêmio, um “Ecossistema de Ino- ria “Ecossistema de Inovação”. vação (EI) se caracteriza por ser um ambiente composto por diferentes “O time formado pela FIERN, Se- atores que promovem articulação, brae, UFRN/IMD, Sempla/Comcit, Se- interação e cooperação entre eles, dec e a empresa Água Mineral Cristali- estimulando iniciativas e redes de re- na, envolvendo seus parceiros IEL-RN, lacionamento que fomentam ações SENAI-RN, SESI-RN, ISI-ER, IFRN, Fa- visando o benefício mútuo e tendo a pern, Apec, Seahub Coworking, Repin inovação como elo e foco principal.” e BQMIL, organizou uma força tare- fa para apresentar suas atividades e A avaliação contempla o fortaleci- ações, bem como, alguns resultados mento do E.I. por meio da demons- que hoje são alcançados, buscando tração de esforço realizado, resultados o enquadramento na categoria Ecos- obtidos, impactos gerados e a evolu- sistema de Inovação em Desenvolvi- ção obtida nos últimos dois anos. mento”, destacou a gestora do NAGI- -RN, Susie Macêdo. PRÊMIO O Prêmio Nacional de Inovação Ela acrescentou que “um dos mo- tivadores para se abraçar esse desa- tem edições a cada dois anos. Trata- fio de candidatura ao prêmio, desta- -se de uma iniciativa da Mobilização cando suas experiências, é o fato de Empresarial pela Inovação (MEI), re- que cada candidato receberá um re- alizada pela Confederação Nacional latório de avaliação personalizado de da Indústria (CNI) e pelo Serviço Bra- todas as instituições inscritas, com sileiro de Apoio às Micro e Pequenas feedbacks, identificação de pontos Empresas (Sebrae), com patrocínio fortes e oportunidades de melhorias, da Financiadora de Estudos e Proje- além do comparativo entre as candi- tos (FINEP). datas da mesma modalidade”. O Rio Grande do Norte, ao longo Outro aspecto, disse a gestora do destas edições, obteve reconheci- NAGI, são os prêmios que irão opor- mentos expressivos, entre os quais tunizar experiências de Imersão em da Empresa BQMIL – Brasil Química Ecossistema de Inovação, Acesso que na edição 2019 2020, na catego- a tecnologias, Infraestrutura para ria “Empresas de médio porte em processos inovadores”, foi reconhe- cida nacionalmente. 49REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

NOTASSINDICATOS FILIADOS Sindicato da Indústria de Álcool dos Sindicato das Indústrias de Reciclagem e Sindicato das Indústrias da Extração de Estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Descartáveis do Estado do Rio Grande do Metais Básicos e de Minerais Não Metálicos Piauí – SONAL Norte – SINDRECICLA-RN do Estado do Rio Grande do Norte – SINDIMINERAIS-RN (84) 3204-6296 (84) 3204-6294 [email protected] [email protected] (84) 3204-6166 PRESIDENTE: Arlindo Cavalcanti de Farias PRESIDENTE: Etelvino Patrício de Medeiros [email protected] PRESIDENTE: Mário Tavares de Oliveira Sindicato da Indústria de Produtos de Sindicato da Indústria da Extração do Sal Cavalcanti Neto Cimento do Estado do Rio Grande do Norte no Estado do Rio Grande do Norte – SIESAL – SIPROCIM-RN Sindicato da Indústria de Sorvetes, (84) 3317-0556 Congelados e Derivados do Estado do Rio (84) 3204-6344 [email protected] Grande do Norte – SINDISORVETE-RN [email protected] PRESIDENTE: Airton Paulo Torres PRESIDENTE: Antônio Medeiros de Oliveira (84) 3204-6330 / 3204-6168 Sindicato da Indústria de Panificação e [email protected] Sindicato da Indústria de Pesca do Estado Confeitaria do Estado do Rio Grande do PRESIDENTE: Zauleide de Queiróz Leite do Rio Grande do Norte – SINDIPESCA/RN Norte – SINDIPAN/RN Sindicato das Indústrias de Curtimento de (84) 3204-6342 (84) 3346-3279 Couros e de Peles do Estado do Rio Grande [email protected] [email protected] do Norte – SINDCOUROS/RN PRESIDENTE: Gabriel Calzavara de Araújo PRESIDENTE: Ivanaldo Maia de Oliveira (84) 3204-6160 Sindicato das Indústrias de Panificação e Sindicato das Indústrias de Mármore, PRESIDENTE: Gustavo Henrique Confeitaria de Mossoró e Região Oeste e Granito e Pedras Ornamentais do Estado Calafange Motta Salineira do RN – SINDPAM do Rio Grande do Norte – SIMARGRAN Sindicato das Indústrias de Calçados [email protected] (84) 3204-6341 do Estado do Rio Grande do Norte – PRESIDENTE: Cesário Henrique de Oliveira [email protected] SINDCALÇADOS/RN Melo PRESIDENTE: Juviano de Oliveira Martins (84) 3204-6160 Sindicato das Indústrias de Extração de Sindicato das Indústrias de Polpas, Sucos PRESIDENTE: Álvaro Coutinho da Motta Calcário, Fabricação de Cimento, Cal e de e Derivados Não Alcoólicos de Frutas Argamassa do Estado do Rio Grande do Tropicais do Estado do Rio Grande do Sindicato das Indústrias de Material e Norte – SINECIM/RN Norte – SINDIFRUTAS-RN Laminados Plásticos do Estado do Rio Grande do Norte – SINDIPLAST (84) 3204-6351 (84) 3204-6329 [email protected] sindif [email protected] (84) 3204-6168 PRESIDENTE: José Gaudêncio de Queiroz PRESIDENTE: Heuler Teixeira Matos [email protected] PRESIDENTE: Maria da Conceição Rebouças Sindicato da Indústria de Construção Sindicato das Indústrias de Cervejas, Duarte Tavares Civil do Estado do Rio Grande do Norte – Refrigerantes, Águas Minerais e Bebidas SINDUSCON-RN em Geral do Estado do Rio Grande do Norte Sindicato da Indústria de Torrefação e – SICRAMIRN Moagem do Café do Estado do Rio Grande (84) 3206-5362/3322-2797 do Norte – SINDICAFÉ [email protected] (84) 3204-6169 PRESIDENTE: Sílvio de Araujo Bezerra [email protected] (84) 3204-6167 [email protected] [email protected] Sindicato da Indústria de Instalação e PRESIDENTE: Roberto Pinto Serquiz Elias PRESIDENTE: Heyder de Almeida Dantas Manutenção de Redes, Equipamentos e Sistemas de Telecomunicações do Estado Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Sindicato das Indústrias da Construção do Rio Grande do Norte – SINDIMEST Mecânicas e de Material Elétrico do Estado Civil de Mossoró/RN – SINDUSCOM- do Rio Grande do Norte - SIMETAL MOSSORÓ (84) 3204-6310 [email protected] (84) 3204-6165 (84) 3316-3762 PRESIDENTE: Alberto Henrique Serejo [email protected] [email protected] Gomes PRESIDENTE: Francisco Vilmar Pereira PRESIDENTE: Sérgio de Souza Freire Júnior Segundo Sindicato da Indústria de Beneficiamento Sindicato da Indústria de Cerâmica para de Fibras Vegetais e do Descaroçamento Sindicato das Indústrias de Laticínios Construção do Estado do Rio Grande do de Algodão do Estado do Rio Grande do e Produtos Derivados do Estado do Rio Norte – SINDICER Norte – SINDFIBRAS-RN Grande do Norte – SINDILEITE/RN (84) 3204-6171 (84) 3204-6168 (84) 3204-6170 [email protected] PRESIDENTE: José Garcia da Nóbrega [email protected] PRESIDENTE: Pedro Terceiro de Melo PRESIDENTE: Túlio Antônio Gurgel Véras  Secretário Executivo: Júlio Lourenço Sindicato das Indústrias de Bonés e Chapéus do Estado do Rio Grande do Norte Sindicato da Indústria de Doces e Conservas Sindicato das Indústrias de Serrarias, – SINDIBONÉS-RN Alimentícias do Estado do Rio Grande do Carpintarias e Marcenarias do Estado do Norte – SINDAL Rio Grande do Norte – SINSERRA-RN (84) 99908-8733 [email protected] (84) 3204-6172 (84) 3204-6173 PRESIDENTE: Francisco das Chagas Sena [email protected] [email protected] de Medeiros PRESIDENTE: Ednaldo Mendonça Barreto PRESIDENTE: Ricardo Bezerra de Farias Sindicato das Indústrias Gráficas do Rio Sindicato da Indústria de Fiação e Sindicato da Indústria do Vestuário no Estado Grande do Norte – SINGRAF-RN Tecelagem em Geral no Estado do Rio do Rio Grande do Norte – SINDVEST-RN Grande do Norte – SIFT/RN (84) 3204-6317 (84) 3204-6331 singraf [email protected] rn.com.br (84) 2304-6345/3204-6336 [email protected] PRESIDENTE: Pedro Fausto de Oliveira [email protected] PRESIDENTE: Marinho Herculano de PRESIDENTE: João Batista Gomes Lima Carvalho 50 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN


Like this book? You can publish your book online for free in a few minutes!
Create your own flipbook