Important Announcement
PubHTML5 Scheduled Server Maintenance on (GMT) Sunday, June 26th, 2:00 am - 8:00 am.
PubHTML5 site will be inoperative during the times indicated!

Home Explore 29 - Revista da Indústria FIERN

29 - Revista da Indústria FIERN

Published by Sistema FIERN, 2018-04-16 07:39:16

Description: Revista da Indústria publicada bimestralmente pelo Sistema FIERN.

Keywords: Sistema FIERN,Indústria,Rio Grande do Norte,FIERN,SESI RN,SENAI RN,IEL RN

Search

Read the Text Version

Cerveja Artesanal Sebraetec MBASENAI forma primeira turma Acesso à inovação em SST IEL abre três cursosNº29 Ano VI do Rio Grande do Norte Janeiro/Fevereiro 2018 Mais RN Revisão de estudo atualiza rumos para o desenvolvimento potiguar


chapéu2 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


sumário DIREÇÃO5 PRESIDENTE: Amaro Sales de AraújoMais RN 1º VICE-PRESIDENTE: Pedro Terceiro de MeloEstudo serárevisado para VICE-PRESIDENTES:subsidiar projetos Antônio Thiago Gadelha Simas Neto,de candidatos ao Francisco Vilmar Pereira, Sílvio de Araújo Bezerra,Governo Sérgio Henrique Andrade de Azevedo, Sílvio Torquato Fernandes, Maria da Conceição4 Palavra do Presidente Rebouças Duarte Tavares, Álvaro Coutinho da MottaFIERN 14 Entrevista DIRETOR 1º SECRETÁRIO:7 Brasil 200 Heyder de Almeida Dantas Superintendente do BNB FIERN participa de lançamento espera 2018 aquecido DIRETOR 2º SECRETÁRIO: no Seridó Djalma Barbosa da Cunha Júnior 18 Notas8 Caminhos DIRETOR 1º TESOUREIRO: Roberto Pinto Serquiz Elias para o Brasil DIRETOR 2º TESOUREIRO: Ministro defende amplas José Garcia da Nóbrega reformas em Seminário DIRETORES:10 Nordeste Forte Francisco Ferreira Souto Filho, Francisco Assis de Medeiros, João Batista Gomes Lima, Pedro Alcântara Região terá Plano para Rego de Lima, Francisco Vilmar Pereira Segundo, Indústria Antônio Leite Jales, Jorge Ricardo do Rosário, Geraldo Orlando Santos Gadelha Simas, José Zélito Nunes, Edilson12 Exportações Batista da Trindade, Carlos Vinícius Aragão Costa Lima, Marinho Herculano de Carvalho, Ricardo Valença Gomes Porto de Natal movimenta 806 mil toneladas CONSELHO FISCAL: Francisco Pereira Soares, Alberto Henrique SerejoSenai SESI Gomes, Jorge José da Silva Bastos Filho 24 Sebraetec Suplentes: Gustavo Henrique Calafange Motta, Tennyson20 Cerveja Brito Holder da Silva, Euzim Alves dos Santos Acesso a inovação com Artesanal serviços de SST DELEGADOS JUNTO À CNI: - Efetivos: Amaro Sales de Araújo, Flávio José Curso do SENAI forma 26 Ensino Médio Cavalcanti de Azevedo primeira turma - Suplentes: Antonio Thiago Gadelha Simas Neto, Natal e Mossoró ganham Roberto Pinto Serquiz Elias22 Formatura nova modalidade DIRETOR DO SERVIÇO NACIONAL DE Mais de 250 alunos APRENDIZAGEM INDUSTRIAL (SENAI-RN): concluem cursos Roseanne Albuquerque SUPERINTENDENTE DO SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA (SESI-RN): Juliano Martins SUPERINTENDENTE DO INSTITUTO EUVALDO LODI (IEL): Maria Angélica Teixeira e Silva SUPERINTENDENTE CORPORATIVA DO SISTEMA FIERN: Katary Mendes Diniz SUPERINTENDENTE DE ESTRATÉGIAS E ARTICULAÇÃO DO SISTEMA FIERN: Hélder Maranhãoiel 30 Prêmio Estagio FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO28 MBA DO RIO GRANDE DO NORTE Inscrições abertas e novos prazos Av. Senador Salgado Filho, 2860 IEL/RN oferece 3 cursos Lagoa Nova Natal/RN - CEP: 59075-900 este semestre 32 Pequenos Negócios Fone: 55 (84) 3204.6200 / Fax: 55 (84) 3204.6278 Revista da INDÚSTRIA DO RN Programa de Inovação tem 80% de subsídio 3


palavra do presidente Das notícias boas do início do ano, uma chegou com as digitais de um potiguar empreendedor. Refiro-me ao Brasil movimento Brasil 200 e ao empresário Flávio Rocha, presidente da Riachuelo e uma das lideranças mais200 conhecidas dos empreendedores nacionais. Amaro Sales de Araújo, O movimento “Brasil 200” é uma marca para lembrar industrial, Presidente da FIERN e do COMPEM/CNI os 200 anos de independência do País. Como registra a história, em 1822 nos tornamos independentes de4 Portugal. Passamos, então, com erros e acertos, a conduzir nosso rumo, com as peculiaridades e projetos de cada tempo. Olhando para 2022, como propõe o movimento, os próximos quatro anos serão decisivos para construirmos um novo período que celebre, com melhores resultados, 200 anos de independência. Aliás, somente o número expressivo de 12 milhões de desempregados já nos indica que precisamos reconstruir caminhos, estabelecer novas metas e buscar outros resultados. Neste sentido o movimento Brasil 200 propõe um engajamento de todos os segmentos, especialmente, dos empreendedores que, em regra, ficavam um tanto distantes do processo de decisão política. Como bem afirma Flávio Rocha: “Está mais do que na hora de os empresários assumirem sua responsabilidade. Empreendedores devem ser os guardiões mais intransigentes da competitividade e da liberdade, pré-requisitos para a criação de riqueza, que move a economia e coloca a sociedade no caminho da prosperidade e da justiça social.” Evidentemente que se a maioria – de todos os segmentos e níveis – convergisse para um projeto de País com uma pauta bem definida e com responsabilidades partilhadas, o Brasil avançará muito nos anos que nos separaram da data histórica de celebração do bicentenário da independência. O movimento propõe alguns princípios que merecem a atenciosa análise de todos, dentre os quais, a luta contra a corrupção e a excessiva regulamentação intervencionista na economia. É óbvio que não é apenas diminuir o tamanho do Estado, mas estabelecer uma atuação – para o ente estatal – que seja eficaz em torno de políticas públicas que melhorem a vida da sociedade em geral. O tamanho bem definido ajudará a mais eficácia na atuação e menos possibilidades de ralos de corrupção e clientelismo. O “Brasil 200” nos ajuda a sonhar e, em consequência, a planejar um novo rumo onde se celebre também uma nova independência, ou seja, um País mais empreendedor e menos intolerante. JANEIro/FEVEREIro de 2018


MAIS RNAjustando os rumosProjeto MAIS RN atualizado será entregueaos candidatos ao governo do estado Um norte para o desenvolvimento do O mapeamento e projeções apresentados FIERNEstado. Em meio à conjuntura econômica e no MAIS RN servem para nortearpolítica atual – sobretudo em ano de eleições investimentos em quatro grandes agendas:-, a Federação das Indústrias do Rio Grande do empreendedorismo, qualidade da educação,Norte promove a atualização do MAIS RN, oplano de desenvolvimento estratégico para o infraestrutura e políticas públicas. “O RioEstado em 20 anos. A revisão do estudo busca Grande do Norte precisa de um esforçosubsidiar propostas e medidas governamentais concentrado para resgatar a capacidade depara impulsionar a economia e tornar o entregar à população os serviços essenciais de qualidade e o MAIS RN traz esta agendamercado interno mais aquecido. E será que agora será atualizada”, destaca o diretorentregue, até agosto, aos candidatos à eleição e consultor da Macroplan Consultoria,para o governo em 2018. Cláudio Porto.Revista da INDÚSTRIA DO RN 5


MAIS RN O economista avalia a necessidade de Diretor da Macroplan, Cláudio Porto, 6 o Estado avançar para ter mais eficiência coordenará revisão do MAIS RN e recuperar o equilíbrio financeiro e fiscal. e 2015, saindo de R$ 2,5 mil por aluno ao ano Para essa retomada, o diretor da Macroplan para R$ 5 mil por aluno ao ano, enquanto a pontua três medidas fundamentais: amplo nota no IDEB permaneceu estagnada em 2,8 no mesmo período. Em 2016, a despesa per pacto pelo desenvolvimento econômico capita empenhada pelo Poder Legislativo foi de R$104,09 enquanto no vizinho Ceará, e social do RN para entregar a sociedade gastou-se R$ 65,00 per capita. serviços essenciais de qualidade nas áreas de saúde, educação e segurança; a criação de um ambiente mais favorável aos negócios; e tornar o Estado mais eficiente por meio da melhoria da qualidade e da produtividade do gasto público potiguar. “O MAIS RN é um estudo completo e em sua agenda já trazia a necessidade de melhorar os gastos e fazer um ajuste fiscal e financeiro com um pacto de solidariedade entre todos os Poderes. É preciso fazer os ajustes necessários para retomar aquele período de pujança e esse é documento pensado para futuras gerações”, frisa o consultor. Para exemplificar a “ineficiência” no gasto, Cláudio Porto, aponta que o custo do aluno da rede pública potiguar subiu 90% entre 2009 Novas propostas incluem gestão e melhoria do gasto públicoFIERN “Faremos uma atualização do diagnóstico estados que resultaram em melhor eficiência técnico, econômico e fiscal para fundamentar da máquina pública. as propostas e projetos de Governo. Não será um manifesto de cunho político”, O estudo apresenta cerca de 400 observa Cláudio Porto. Lançado em 2014, oportunidades de negócios e investimentos o estudo passará por uma revisão de dados em 15 segmentos com maior potencial de considerando o agravamento da crise crescimento, desde o campo da energia até socioeconômica, financeira e fiscal pela qual o país e o RN atravessam. o de serviços públicos. A gama de projetos O documento deverá preservar cerca propostos tinha potencial estimado de atrair de 80% do estudo feito, segundo estima para o Rio Grande do Norte cerca de R$ 170 o consultor, com a inserção da visão bilhões em investimentos públicos e privados, empresarial e novas propostas para o Estado ao longo de 20 anos, dividido em projetos recuperar a capacidade de gestão e melhorar o gasto público, além do plano de atração de âncoras e dez planos setoriais. investimentos. A revisão contará ainda com Para isso, três condições são necessárias: casos de boas práticas aplicadas em outros a ampliação e qualificação da infraestrutura; segundo, um salto educacional e do capital humano; e pra completar um Estado eficiente com instituições de qualidade. JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


Lançamento Brasil 200 chega ao SeridóFIERN participa de lançamento do Brasil 200, no Seridó, com oempresário Flávio Rocha e deputado federal, Rogério Marinho A Federação das Indústrias do Rio Grande do do que hoje temos, o nível de organização e FIERNNorte participou do lançamento do Movimento profissionalização”, afirma. O encontro reuniu ainda o deputado federal Rogério Marinho, oBrasil 200, no município de Parelhas, na região prefeito de Parelhas, Alexandre Petronilo, e de demais cidades da região.Seridó, no último dia 10 de março. O vice-presidente da FIERN, Silvio Torquato, prestigiou o Antes do lançamento do Movimento Brasilevento, realizado no Clube Acampar, que também 200, foi realizada visita a facção FeL Azevedo, em Cachoeira, na área rural de Parelhas, e reuniãofoi uma manifestação em apoio ao Projeto Pró- técnica com os representantes das facções.Sertão. “Nós acompanhamos desde o início e BRASIL 200vimos este sonho nascer”, destacou Torquato. O Movimento Brasil 200 foi lançado por Flávio Rocha, em janeiro, durante um evento do varejo O empresário do Grupo Guararapes internacional. Os empresários Luiza Trajano (Magazine Luiza), Sebastião Bonfim (Centauro),e fundador do Movimento, Flávio Rocha, Alberto Saraiva (Habib’s), Sônia Hess (Dudalina) são alguns dos nomes que assinam o manifesto,defende a importância do programa para o que defende uma política econômica liberal e conservadorismo nos costumes.desenvolvimento local. “O Seridó tem umavocação natural para costura. Foram gerados atéagora 5 mil dos 30 mil empregos que planejamos,e eles foram ameaçados”, disse. O presidente da Associação Seridoense deConfecções, José Araújo, também ressalta astransformações que o programa proporcionouna região. “Não dava para prever a grandiosidadeRevista da INDÚSTRIA DO RN 7


Motores Reformas são fundamentais para país voltar a crescer Seminário reúne classe política e empresarial para palestras do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e CEO da Guararapes, Flávio RochaFIERN Em meio a recuperação de uma das implementadas pelo Governo Federal. Indicadores – como a queda dos índices de mais graves crises, reformas estruturantes inflação, que ficou em 2,95% - mostram a retomada de diversos setores, principalmente são defendidas como via para colocar a na agricultura, serviços e indústria, além de uma recuperação do consumo. A tendência, economia de volta aos eixos. Em palestra ressalta o ministro, já foi verificada em agosto e setembro do ano passado, quando algumas sobre “Crise e recuperação, os rumos do famílias anteciparam compras que só fariam no período do Natal, em decorrência a novo Brasil”, o ministro da fazenda Henrique liberação das contas inativas do FGTS. Meirelles, apresentou, para 2018, projeção Para Henrique Meirelles, a política de crescimento de 3% da economia econômica obteve esses resultados com a brasileira com geração de 2,5 milhões de aprovação de reformas, como a que limitou o novos empregos, ao participar do Seminário aumento das despesas do governo. Motores do Desenvolvimento do RN, no dia 5 de março, no Hotel Holiday Inn. O Ministro da Fazenda Henrique Meirelles apresentou um panorama atual da economia brasileira, após a série de reformas 8 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


Motores “A recessão já é passado para o Brasil e, ponto chave pelo Governo para reequilibrar as contas do país, no entanto, a Reforma daportanto, para o Rio Grande do Norte também”, Previdência permanece parada e sem previsãoafirma. A afirmação foi corroborada por uma para ser votada na Câmara dos Deputados.série de indicadores econômicos que mostram Ministro da Fazenda,que o país, pela primeira vez após dois anos Henrique Meirelles, defende amplasconsecutivos de quedas, registrou crescimento. reformasNo Produto Interno Bruto (PIB), o crescimentoregistrado foi de 1%, ao passo que, na produçãoindustrial, o aumento foi de 2,5%. Ele defende que os rumos a tomar paragarantir um crescimento estável e um novo paísse tornam pautas cada vez mais frequentes nasociedade com amplas reformas, dentre elas aprevidenciária, fiscal e tributária. “As reformastiraram o Brasil da maior crise econômica pelaqual já passamos”, defende. Considerada umCenários para política e negócios O empresário Flávio Rocha, em sua palestra como caminho para o Brasil voltar a crescer. FIERN “A indústria do RN esteve estacionada, devido“Cenários possíveis na política e nos negócios”, a recessão e é preciso desobstruir esse motor do desenvolvimento. Para isso, as reformasapresentou dados e medidas necessárias para são fundamentais, para soltar as amarras e retomarmos o crescimento”, afirma Sales.retomar o desenvolvimento socioeconômico.Idealizador do Movimento Brasil 200, que reúne a Sales apresentou  alguns  indicadores,classe empresarial em uma agenda conservadora como inflação de 2.9, a taxa de Selic a 6,50 e cerca de 12 milhões de desempregados, enos costumes e liberal na economia, ele defende ressalta a importância da discussão com os relatos e perspectivas de futuro apresentadaso livre mercado e lembra que eleições de 2018 pelos palestrantes para a construção de umaainda estão com o cenário desconhecido. “O agenda mais liberal e comprometida com o avanço da economia.desenvolvimento está atrelado à democracia e ao Para Flávio Rochalivre mercado”, defende. é preciso política A posição do Brasil (153º entre 180 países) mais liberal na economiano ranking no índice de liberdade econômica foicitada por Flávio Rocha para embasar “os riscosde se investir no Brasil”. O empresário aindacriticou a burocracia brasileira e o judiciáriobrasileiro. Na avaliação dele, o judiciáriointervém em assuntos mínimos e irrelevantes.O Ministério Público do Trabalho, que entroucom uma ação contra a empresa Guararapes porcausa do Programa Pró-Sertão, foi o principalalvo de Flávio Rocha. “O Ministério Público doTrabalho reprimiu as pessoas pelo crime desonhar”, afirma. O presidente do Sistema FIERN, AmaroSales de Araújo, enfatiza a necessidadede aprovação das reformas trabalhistas,previdenciária, fiscal, tributária e políticaRevista da INDÚSTRIA DO RN 9


NORDESTE FORTE Indústria nordestina terá plano de ação Em avaliação sobre os roadshows “Investimento e Desenvolvimento do Nordeste” entidades parceiras decidem elaborar planoFIERN A construção de um plano de ação pela Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A ideia é considerar os debates indústria nordestina. Este é o resultado da série de roadshows sobre os desafios dos roadshows “Investimento e e oportunidades do setor industrial Desenvolvimento do Nordeste” e, a partir das atuações técnicas de cada instituição nordestino realizado pela Nordeste Forte participante dos eventos, elaborar orientações e ferramentas de apoio a em parceria com a Sudene, nos estados, para empreendedores e empresários sobre o planejar estratégias sobre o tema. A reunião acesso a crédito, divulgação de instrumentos ocorreu na sede da superintendência em de apoio aos empresários, logística, capacitação e exportações. Será criado Recife e contou com a participação também também um grupo de trabalho para tratar das entidades parceiras, como o Banco a questão industrial no Plano Regional de Nacional de Desenvolvimento Econômico e Desenvolvimento do Nordeste. Social (BNDES), Confederação Nacional da Indústria (CNI), Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e a Agência Brasileira de Promoção de 10 JANEIro/FEVEREIro de 2018


NORDESTE FORTEBalanço da parceria com oMinistério da Integração Durante a reunião da Nordeste Forte, BNB irão realizar encontros que debaterão soluções para os desafios atuais referentesconduzida por seu presidente, Amaro Sales à questão da infraestrutura relacionada aode Araújo, que preside o Sistema FIERN,foi apresentado o site da Associação e feito setor industrial.um balanço das reuniões entre as equipestécnicas da Associação e do Ministério da Os roadshows foram realizados nasIntegração Nacional. Federações das Indústrias de oito estados nordestinos, ao longo de 2017. E têm como Entre as primeiras estratégias, está a objetivo discutir as iniciativas que podemde intensificar a participação em feiras dosetor industrial, para maior proximidade contribuir para superar os entraves àjunto ao público. Além disso, BNDES e retomada da atividade econômica e para incrementar a economia regional.Convalidação de incentivos fiscais Para alertar os industriais potiguares sobre forma de convalidar os atos concessivos,a convalidação dos incentivos fiscais concedidos publicando-os no portal da transparência,às empresas, a FIERN e a Secretaria Estadual criado para esse fim específico.de Tributação (SET/RN) realizaram, no dia 9de março, palestra sobre o Convênio Confaz A LC 160/17 permite a regularização denº 190/17, de 15 de dezembro de 2017. O benefícios fiscais concedidos por Estadosconvênio regulamenta a Lei Complementar nº e Distrito Federal sem o aval do Conselho160/17, de 07 de agosto de 2017, que define Nacional de Política Fazendária (Confaz).as regras para a convalidação de incentivos de O novo dispositivo legal transforma aICMS implementados pelos estados. “Guerra Fiscal” em “Competição Fiscal” ao Para que os Estados possam regularizaros incentivos fiscais concedidos é preciso permitir que os incentivos concedidos paraa publicação de todos os atos normativos indústria, agropecuária e infraestrutura sejamaté o dia 29 de março. E encaminhar para mantidos por 15 anos e ao dar às 27 unidades de Federação considerável grau de liberdadearquivamento junto ao CONFAZ todos os atos para firmarem novos contratos de incentivos do ICMS, baseados nas cláusulas que preveemconcessivos, informando o nome da empresa, “extensão” e “cola regional” de programasCNPJ, datas de publicação, entre outros, como atualmente existentes.Benefícios da Sudene Os projetos técnico-econômicos vigência do incentivo e que a instalação, FIERN modernização, ampliação ou diversificaçãocom entrada em operação posterior a de empreendimentos ocorra na área de31 de dezembro de 2018 continuarãocom direito ao benefício de Isenção/ atuação da Sudene. Os projetos devemRedução Fixa de 75% do IRPJ por umprazo de 10 anos. Para isso, é preciso estar inseridos nos setores prioritáriosprotocolar a solicitação até o último dia de para o desenvolvimento da Região. Mais informações (81) 2102-2034.Revista da INDÚSTRIA DO RN 11


Exportações Porto de Natal encontra sua vocação natural Em 2017, 806 mil toneladas foram movimentadas a partir do Porto de Natal, entre produtos de importação e exportaçãoFIERN Há dois anos a Companhia Docas do dois anos e ampliar o volume de operações. Rio Grande do Norte (CODERN) acumula “O Porto de Natal encontrou o seu nicho, sua resultados positivos com operações nos portos do Estado, tanto o de Natal como vocação e está numa posição excepcional de o de Areia Branca. Em 2017, o Porto de 1º lugar em todo o Nordeste na exportação de Natal movimentou 806 mil toneladas, entre frutas”, destaca. Segundo ele, esta posição não produtos de importação e exportação. Além é esporádica, somando o volume do melão e disso, lidera a exportação de frutas na região das demais frutas movimentadas pelo porto foram mais de 334 toneladas. Nordeste, superando o Porto de Pecém (CE), com US$ 236,6 milhões de dólares O destaque da atuação na exportação de exportados em frutas. Destaque para o frutas deve-se ao início da operação de uma melão que ocupa o terceiro lugar na lista de segunda linha de exportação da empresa produtos que lideram a movimentação, com quase 192 mil toneladas. francesa CMA-CGM, de Natal para Algeciras (Espanha), passando por Rotterdam Para o diretor-presidente da Companhia, (Holanda), no segundo semestre do ano passado. “Em 2017 movimentamos mais de Emerson Fernandes, 2018 é um ano para 500 mil toneladas somente em exportação, além de frutas, destaque também para as manter os números conquistados nos últimos 12 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


Exportações cargas de equipamentos para os parques Emerson Fernandes, diretor-presidente da CODERN eólicos, sal e minérios”, exemplifica Fernandes, que há 37 anos atua no setor Os 5 produtos que de engenharia da Codern. lideram a movimentação nos Portos do RN Há cerca de três anos a Codern opera com menos de 1% dos recursos 1°: Sal – 1.990.003 toneladas previstos em orçamento, dos R$ 33 milhões aprovados, apenas R$ 95 mil exportadas pelo Terminal Salineiro de foram recebidos. Além disso, desde Areia Branca 2015, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) não autoriza 291.0662º: Trigo – toneladas reajustes tarifários, sendo o último de 3,8%. importadas para o Porto de Natal Novo berço 191.9083º: Melão – toneladas Mesmo com o aumento do volume de operações tendo crescido, os repasses para exportadas pelo Porto de Natal os custos operacionais ou realização de novos investimentos não acompanharam 142.8014º: Outras frutas – o mesmo ritmo, contudo, há planos para expansão da área do Porto de Natal. A toneladas exportadas pelo Porto de Natal partir da  absorção de uma área de sete mil metros quadrados, antes ocupada pela 136.6125º: Máquinas e equipamentos – FIERN Comunidade do Maruim. A Companhia já toneladas importadas e iniciou o processo de abertura do processo exportadas pelo Porto de Natal licitatório para construção do muro e incorporação da área ainda este ano. Fonte: CODERN “Temos o projeto de construir um novo 13 berço, que seria o prolongamento do atual de 140 metros e acresceria 220 metros e ficaríamos com um berço estendido de 360 metros”, detalha Emerson Fernandes. Hoje já existem navios que superam 250 metros de extensão. A nova área servirá para movimentação de containers, sal e minérios.  Além disso, ainda tramita junto a Secretaria de Portos e a ANTAQ o processo para arrendamento do Terminal de Passageiros. “Não há um protocolo para isso e estamos aguardando autorização para arrendar as áreas para instalação de restaurantes, lojas”, disse Fernandes.Revista da INDÚSTRIA DO RN


ENTREVISTA Fabrizzio Feitosa “2018 deve se manter aquecido para financiamentos” Com expectativas de um ano aquecido para financiamentos, o Banco do Nordeste no Rio Grande do Norte projeta ultrapassar R$ 1,6 bilhão em operações de crédito, puxados sobretudo por grandes investimentos em infraestrutura. Para 2018, o orçamento do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE) é de R$ 805 milhões, podendo ser ampliado, segundo o superintendente do BNB, Fabrizzio Feitosa. “Nós entendemos que, no momento em que a economia voltar a crescer, a procura por crédito também irá aumentar”, disse. Em entrevista, ele detalha medidas de desburocratização e acesso ao crédito, resultados de 2017 e projeções para a indústria este ano.FIERN Quais são as projeções para 2018, levando um crescimento no volume de demanda de em conta que é um ano eleitoral, temos crédito para investimentos e também para um cenário político ainda indefinido que capital de giro. interfere na economia? Será um ano aquecido para financiamento? Este é um ano atípico, porque em 2018 Deverá se manter aquecido. Nós já teremos Copa do Mundo, eleições gerais. Mas temos boas expectativas. A taxa de juros começamos a sentir isso, tivemos o primeiro bimestre melhor do que o mesmo período do FNE caiu. No início do ano, o Conselho de 2017, do ponto de vista de entusiasmo do empresariado, de demandas, de sinalizações Monetário Nacional, por meio de resolução positivas. Além de ter um contexto macroeconômico que favorece as pessoas alterou a composição das taxas e, com um investirem com a redução da taxa de juros. componente pré-fixado diferenciado para a Do ponto de vista econômico, o Brasil está região Nordeste. E, desta forma, consegue voltando a se abrir para crescer. deixar mais barato os juros em relação a 2017. Temos taxas para investimento a partir de 5,5% ao ano. Por isso, esperamos ter 14 JANEIro/FEVEREIro de 2018


ENTREVISTAQual o orçamento para este ano? “Do ponto Para 2018, nós temos um orçamento de R$ de vista econômico,805 milhões em FNE [Fundo Constitucional do o Brasil estáNordeste], que é próximo ao de 2017 que foi de voltando aR$ 830 milhões. E, no total, devemos ultrapassar se abrirR$ 1,6 bilhão em operações, devido a grandes para crescer.”investimentos em infraestrutura, sobretudo emparques de energia eólica. Devemos quebrarmais um recorde. O desafio do Banco doNordeste, este ano, é aplicar R$ 30 milhões emoperações de infraestrutura, o volume paraeste segmento não foi definido. Este orçamento[R$ 805 milhões] é um piso que pode crescerdependendo da demanda. Nós entendemosque, no momento em que a economia voltara crescer, a procura por crédito também iráaumentar.E quais as principais estratégias do Banco? Qual o balanço que se faz de 2017? FIERN O “FNE Sol” é outra aposta para este ano Foi um ano bastante positivo. O Bancosobretudo para o setor industrial, mediante aos do Nordeste cresceu 38% em relação ao anoaumentos de energia elétrica. É um crédito voltado anterior no volume total de aplicações. Injetou napara autogeração de energia dos empreendimentos economia potiguar mais de 1,6 bilhão. Em 2016,apoiados pelo banco. Em 2017, o RN foi o estado este volume foi de R$ 1,2 bilhão.que mais aplicou recursos do “FNE Sol”, o que nosfaz adquirir, no BNB, um Know-How na instrução Era o projetado para 2017?e análise de projetos e a aposta é muito alta, é o Sim, neste volume consideramos tanto ostipo de investimento que não faz aumentar o seucusto financeiro, o empresário vai trocar a conta recursos do Fundo Constitucional (FNE), quantode energia pela prestação do banco, que é menor. de tesouraria. Foi um ano bastante positivo, numE temos também com o FNE, para indústrias que cenário em que se exigia dos bancos públicosexportam, o Nordeste Exportação, uma linha de este tipo de fomento, foi um ano caracterizadocapital de giro com condições diferenciadas, para pelo retorno do crescimento, mesmo que tímido.aquisição de matéria prima. A gente ainda precisa avançar. E enquanto fomentador de desenvolvimento, o banco cumpriuQue setores devem ser priorizados pelo Banco? o seu papel tanto nas demandas de investimentos Todos os setores, desde a indústria, o comércio e de capital de giro, principalmente. Foi um ano que se caracterizou na indústria. Devido o cenárioe serviços, que foi um setor que demandou de crise, por estar com o parque ocioso, é naturalmuito crédito, em 2017, devido o número de que tenha uma desmobilização por crédito dedesempregados. Em alternativa ao desemprego, investimentos para ampliação, modernizaçãomuitas pessoas buscam empreender e veem e aquisição de equipamentos. E uma crescenteno setor de serviços e comércio uma forma de demanda por capital de giro.ingressar no empreendedorismo, que deve semanter em alta este ano. E a infraestrutura porconta dos últimos leilões, com a vocação do estadopara as energias renováveis.Revista da INDÚSTRIA DO RN 15


ENTREVISTAFIERN 16 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


Esse crescimento se deve a que fatores? “Para 2018, FIERN Esse crescimento no volume da tomada o desafio éde capital de giro se deve a conjuntura superar oseconômica e a redução nas taxas de juros. R$ 105 milhõesO cenário econômico exige das empresas em operaçõesestratégia de captação de recursos, quando para indústria eestão ociosas as empresas dependem agroindústria.”de recursos para capital de giro, o quedesestimula o crédito para investimentos. Há no meio empresarial, reclamação daSensível a isso, reduzimos as taxas de juros dificuldade para acessar ou renovar opara giro, no meio do ano. Uma iniciativa crédito. Neste sentido, há previsão dedo governo federal, por meio do BNB, mudanças?aumentou em até 100% a participação deFNE, em algumas linhas para capital de giro, Temos feito uma série de ações para facilitaro que barateou o custo da operação. Temos o acesso ao crédito, há uma necessidade detaxas de 0,8% a.m., dependendo do porte da desburocratização. Dispensou-se a apresentaçãoempresa, do prazo, sobretudo para as micro de projetos de viabilidade técnica, econômica ee pequenas empresas. Uma contribuição financeira para projetos das micro e pequenaspara que muitas empresas pudessem se empresas, o fluxo interno do processo ganhoumanter no mercado. uma nova roupagem, reduziu o custo da operação de capital de giro, construímos umaDeste total, quanto foi destinado à série de parcerias com a FIERN, com plantõesindústria? no local, e com o Sebrae. E um conjunto de ferramentas de informações, como os agentes Em relação à indústria, cerca de 45 a 50% de desenvolvimento e das agências itinerantes,dos recursos investidos, em 2017, foram medidas internas de atendimento. Afora isso, épara micro e pequenas empresas, sobretudo sempre importante que os empreendimentosdo ramo de alimentos e bebidas. A indústria estejam organizados para acessar o crédito. Nãono Rio Grande do Norte, historicamente, é raro a gente receber demanda por crédito deentre 2014 a 2016, demandava do BNB empresas que não têm certidões negativas, nãocerca de R$ 60 milhões por ano. Em 2017, tem licenciamento ambiental, a documentaçãoesse valor passou para R$ 71 milhões. Um essencial para que o banco possa apoiar.crescimento de 13% em relação a 2016. Enquanto banco público que opera o FNE, Que a gente ver com naturalidade devido há uma série de exigências que precisam o cenário econômico, devido a ociosidade ser cumpridas.da capacidade instalada das indústrias,quando o momento não era o mais indicadopara investir e muito se buscou mais capitalde giro. Em 2012 a 2014, fomentou noRN, através de crédito, mais 370 milhõesem grandes investimentos, sobretudo naindústria de cimento. Para 2018, o desafioé superar os R$ 105 milhões em operaçõespara indústria e agroindústria.Revista da INDÚSTRIA DO RN 17


notas Caminhos do Brasil 1 O Sistema FIERN inicia no dia 26 de março, o Fórum FIERN Caminhos do Brasil com os presidenciáveis, na Casa da Indústria. O primeiro será João Amoêdo, um dos fundadores do Partido Novo. Já estão confirmados também o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o deputado federal Álvaro Dias (PODEMOS). O Fórum tem como objetivo abrir espaço para que os candidatos a presidente da República apresentem suas ideias e propostas para o país. Campanha pelo Refis 2 A FIERN participa da campanha pela derrubada do veto ao Programa de Recuperação Fiscal, conhecido como Refis das micro e pequenas. A mobilização pelo Refis dos pequenos negócios conta com parecer do escritório do ex-ministro do STF, Carlos Ayres Britto. O documento atesta que o parcelamento das dívidas tributárias das MPEs, em condições mais favoráveis para micro e pequenas empresas, está garantido pela Constituição. ROBÓTICA 3 A equipe Builder5, formada por alunos do Ebep (Educação Básica Articulada) do SESI-RN, participam do Torneio Nacional de Robótica FIRST LEGO, em Curitiba, dias 16 a 18 de março. Ao todo, 83 times competem no Torneio. Na temporada atual – com o tema “Hydro dynamics” – o desafio dos estudantes foi pesquisar e apresentar soluções inovadoras para umFIERN problema que atinge milhões de brasileiros e é também uma preocupação mundial: a água. 18 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


ELEIÇÃO 6 O Vice-presidente da FIERN, Pedro Terceiro de Melo, foi eleito como presidente do Sindicato da Indústria Cerâmica para ConstruçãoCONVALIDAÇÃO do Rio Grande do Norte4 Empresários e industriais do RN participaram de evento (SINDICER-RN), para o período realizado pela FIERN em parceria com a Secretaria Estadual de Tributação, dia 9, no CTGAS-ER, sobre a convalidação dos 2018/2022. Mesmo antesbenefícios fiscais. A palestra “Guerra fiscal: Convênio 190, convalidaçãoe suas regras”, o auditor fiscal, Luiz Augusto Dutra da Silva, explicou o de ser candidato, Terceiro jáque muda a partir de agora e como serão os procedimentos e prazos. A investia em inovação. É dele aconvalidação, por meio da Lei Complementar 160 e do Convenio 190,regulariza benefícios fiscais concedidos por estados a empresas em ideia de criação do Núcleo deoperação sem o aval do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz).  Inovação do setor Cerâmico. A Diretoria conta com Vinícius Costa Lima como primeiro vice-presidente e Vargas Soliz Pessoa como segundo. COMPEM/FIERN 7 O secretário da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República, José Ricardo da Veiga, estará na próxima sessão do Conselho TemáticaINAUGURAÇÃO da MPE — o COMPEM do Sistema FIERN. Fará palestra5 Com instalações modernas, amplas e equipamentos sobre sobre as estratégias atualizados, a nova unidade do SESI Clínica foi inaugurada dia 23 de fevereiro, preparada para atender anualmente do Governo Federal para incentivar o desenvolvimento162 mil trabalhadores da indústria. Com investimentos de R$ 10 da MPEs. O COMPEM émilhões, o mais novo Núcleo de Segurança e Saúde na Indústria, com presidido pelo empresárioatendimento em clínica médica e odontológica, além de exames e Heyder de Almeida Dantas,programas voltados à prevenção, coloca à disposição das empresas, diretor primeiro secretário datrabalhadores da indústria e seus dependentes. As empresas podem FIERN, n dia 28 de março, nacontratar também os produtos que integram os programas de Casa da Indústria.promoção da segurança no trabalho. FIERNRevista da INDÚSTRIA DO RN 19


Qualificação Concluintes da primeira turma do curso de cervejeiros artesanais realizado pelo SENAI-RN Cerveja SENAI-RN oferece curso em parceria com artesanal instituição alemã no CET Clóvis Mottasenai O sabor, o aroma, a coloração, a textura treinamento. Há, no Rio Grande do Norte, diversos grupos que frequentemente se são detalhadamente apreciados por amantes reúnem para apreciar essas cervejas e até de cerveja artesanal. Um hobby que desponta uma associação que reúne os apreciadores. em oportunidade de negócios, por despertar Nesta primeira turma, foram formados interesse crescente não só na degustação, vinte cervejeiros artesanais. Potenciais multiplicadores, que poderão ser instrutores de como também pela preparação da bebida. E, novos cursos e capacitações voltadas ao setor. neste último, avança ainda mais com o curso A diretora regional do SENAI, Roseanne de qualificação profissional de cervejeiro Azevedo, destacou a importância de se artesanal realizado pelo SENAI-RN, no Centro promover uma atividade de formação em de Educação e Tecnologias Clóvis Motta. uma área na qual há cada vez mais pessoas interessadas. Ela ressaltou também a Para assegurar o padrão de excelência excelência técnica das aulas ministradas por da formação, foi firmada parceria entre o um especialista alemão. SENAI-RN e a Fundação da Indústria Alemã, que trouxe ao estado um especialista, Horst Ernst Bismark, para ministrar as aulas e o 20 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


QualificaçãoSegmento cresce no RN O presidente do Sindicato das Indústrias de à Acerva Potiguar (Associação dos CervejeirosBebidas e Águas Minerais do RN, Djalma Barbosa Artesanais do Rio Grande do Norte), entidade com 160 associados. “Percebemos o crescimentoCunha, lembrou que o segmento de cerveja do movimento de degustação e produção deartesanal, cresce não só no Estado, mas em todo o cervejas artesanais. Há cada vez mais pessoasBrasil. “Em Minas Gerais, sabemos o quanto elesinvestem em capacitação, formação de profissionais interessadas neste produto, que é bastantepara a elaboração da cerveja, na infraestrutura que diferente das cervejas mais comerciais”, comentaa produção artesanal precisa para garantir uma Alexandre Vieira Alves. Os filiados, além decerveja de alta qualidade”, afirma. apreciar, também produzem a cerveja em casa. Ele considera que a iniciativa do SENAI, ao Alves pondera que a legislação nãorealizar este curso, assegura uma oportunidade estabelece o que pode ser definido como cerveja artesanal. Mas os apreciadores não têm dúvidacom garantia de qualidade uma vez que sobre as características exigidas deste produto.tem a parceria de uma instituição alemã. “A “O que diferencia é, principalmente, o tempo ecapacitação teve um consultor com alta bagagem o cuidado que se dedica à produção da cervejano ramo de cervejaria, porque a Alemanha é artesanal. Uma cerveja artesanal precisa de um, dois, três, seis meses para ficar pronta”, explica.referência nesta atividade”, disse. Djalma Cunha Além disso, é necessário um cuidado especialacrescentou que essa qualificação abre novasperspectivas para o setor. com a matéria-prima utilizada. A avaliação é compartilhada pelos filiadosParceria com instituiçãoalemã garante excelência A qualificação ocorreu de 19 de fevereiro Minerais (Sicramirn), Associação de Cervejeiros senaia 9 de março, no Centro de Educação e do RN (Acerva) e a SES (Fundação da IndústriaTecnologias Clóvis Motta, com 120 horas Alemã para Cooperação Internacional). O curso é resultado de uma parceria entre o SENAI-RNde aula. Os participantes receberam a e a SES, a fundação da Indústria Alemã para Cooperação Internacional. A SES é a principalformação necessária para a produção de organização de voluntariado da Alemanha para especialistas e executivos que estão aposentadoscervejas artesanais, atendendo às normas e e se dedicam a difundir conhecimentos técnicos fora da Alemanha.procedimentos técnicos de boas práticas de Michelle Dantas levará técnicas para empresafabricação, de qualidade, higiene, saúde erespeito ao meio ambiente. A engenheira de produção da Sidore, MicheleDantas, 31 anos, enaltece a iniciativa. “Foi degrande valor e agregou novos conhecimentos, avinda do professor Bismarck foi importante peloconhecimento que ele tem da escola alemã decerveja”, disse a engenheira. Ela explica que irálevar toda a tecnologia da fabricação de cervejapara a empresa, que não fabrica o produto,trabalha com refrigerantes, energéticos e sucos.“Para mim, como engenheira de alimentos, vaiagregar valor a minha bagagem”, afirma. O curso é uma parceria do SENAI, Senac,Sindicato da Indústria de Bebidas e ÁguasRevista da INDÚSTRIA DO RN 21


FORMATURA Foco no mercado de trabalho Indústrias contam com novos profissionais capacitados pelo SENAI e SESI que colaram grau em solenidade no SESIClube O sonho de uma colocação no mercado Roupas, Edificações e Telecomunicação. Alguns dos concluintes contam que de trabalho está bem mais perto de se ingressaram no mercado de trabalho antes tornar realidade para 256 alunos do SENAI- mesmo de finalizar os cursos. Outros já RN e SESI-RN, que concluíram cursos estavam empregados e buscavam, nos profissionalizantes e das turmas de Educação Básica Articulada com Educação Profissional cursos, se aperfeiçoar e aumentar as chances (EBEP). A solenidade de entrega dos certificados foi realizada dia 07 de março, no de ascensão nas empresas onde atuam. SESIClube. “O curso foi uma experiência nova e irá me Dos 256 concluintes, 188 fizeram formação oferecer muitas oportunidades de trabalho”, profissionalizante e 68 cursaram o EBEP. afirma Karoline Conceição Matias, de 20, anos Passaram por capacitação profissional que concluiu Eletrotécnica no SENAI/CTGÁS. Ela, que participou da solenidade ao lado do em Automação, Eletrotécnica, Costureiro namorado José Ricardo da Silva, pretende Industrial do Vestuário, Operador Polivalente da Indústria Têxtil, Assistente Administrativo, continuar se aperfeiçoando nesta área e Assistente de Produção na Confecção de elogiou os professores. “Eles foram muito presentes e preocupados com a gente”, conta.senai Solenidade de Formatura reúne 256 concluintes de cursos do SENAI-RN e SESI-RN 22 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


FORMATURA Gabriel Henrique dos Santos, 17 Gabriel Henrique dos Santos, concluinte do SENAI/Clovis Motta, anos, terminou o curso de Assistente está confiante em colocação no mercado Administrativo, no SENAI/Clóvis Motta. Embora reconheça que no momento o Karoline Matias, aluna de Eletrotécnica no senai mercado de trabalho está difícil, ele diz CTGAS-ER, elogia nível dos professores que vai deixar currículo nas empresas e também fazer concursos. “O curso 23 permite que a gente atue em várias áreas, o que facilita na hora de conseguir um emprego”, explica. Menor Aprendiz na Guararapes, Ana Carolina do Nascimento, 20 anos, fez o curso de Costureiro Industrial, e agora se prepara para voos mais altos. “Descobri muita coisa que não sabia durante as aulas”, disse ela, acrescentando que foi muito bem acolhida e que os professores são ótimos. Ana Carolina disse que fez muitos novos amigos e aprendeu a trabalhar em equipe. O próximo passo, revelou, é se preparar para ENEM. A solenidade de formatura reúne muitos familiares e amigos e proporciona momentos emocionantes, como o protagonizado por Weverton Humberto da Silva, de 22 anos, que cursou Edificações no SENAI/Flávio Azevedo. Ele se fez acompanhar dos avós e da mãe, que demonstravam grande orgulho em ver o jovem formado. Os avós seguravam nas mãos um pequeno bolo decorado com um rapaz com diploma. A cerimônia contou com a participação do presidente do Sindicato da Indústria de Doces e Conservas Alimentícias do Estado do RN (Sindal), Ednaldo Mendonça, representando o presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales de Araújo, da Diretora do SENAI-RN, Roseanne Azevedo, do Superintendente do SESI-RN, Juliano Martins, dos Diretores dos Centros de Educação Clóvis Motta, Genildo Peixoto, do CTGÁS-ER, Cândida Amália, do Centro Flávio Azevedo, Glória Navarro, além da equipe pedagógica, professores e familiares dos alunos.Revista da INDÚSTRIA DO RN


SEBRAETEC Mais competitividade e lucratividade Acesso à inovação com serviços especializados e customizados de Saúde e Segurança no Trabalho com subsídio de até 70%SESI Aproximar os pequenos negócios dos serviços serão inseridos no portfólio: Diagnóstico de Qualidade de Vida e prestadores de serviço de forma rápida Gestão do Absenteísmo. e econômica, propiciando a inovação, SERVIÇOS OFERTADOS PELO SESI/RN competitividade e lucratividade. Este é DPQ – Diagnóstico de Prevenção de Quedas o objetivo do SEBRAEtec, desenvolvido Laudo Ergonômico em parceria com o SESI/RN desde 2015 LTCAT – Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho e que já atendeu 443 micro, pequenas e LTI – Laudo Técnico de Insalubridade médias empresas no RN, subsidiando até PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais 70% do custo dos projetos. PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional PCMAT – Programa de Condição e Meio Ambiente de Trabalho “Hoje ofertamos no SEBRAEtec PST – Programa de Sensibilização e Treinamento PGR – Programa de Gerenciamento de Risco todo o nosso portfólio de serviços DQV – Diagnóstico de Qualidade de Vida – a partir de março Gestão do Absenteísmo – a partir de março na área de SST, com exceção dos exames. A indústria é o nosso cliente prioritário, mas atendemos também aos setores do comércio, serviços e agronegócio”, destacou o assessor de desenvolvimento de negócios do SESI/ RN, José Nilson de Sá Neto. Atualmente o SESI oferta nove serviços na área de Saúde e Segurança no Trabalho e, a partir de março, mais dois 24 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


SEBRAETECSubsídio abrange QUEM PODE PARTICIPARprojetos de atéR$ 10 mil Microempreendedor Individual (até R$ 60 mil) Micro Empresas (R$ 0 a R$ 360 mil) Micro, pequenas e médias empresas Pequenas Empresas (R$ 360 mil a R$ 3,6 milhões) Produtores Rurais com registro de DAPpodem ter projetos no valor de até R$ 10 Empreendedor Individualmil subsidiados pelo SEBRAEtec, com limite COMO PARTICIPARde até três projetos por CNPJ. “Em 2017,foram atendidas 378 empresas, sendo 263 SESI/RNindústrias”, exemplificou José Nilson Neto, que Entrar com contato com a Assessoria de Negócios do SESI,começou o programa de forma experimental no telefone (84)3204-6327 ou [email protected] em 2015, atendendo apenas uma empresa.Este ano, o SESI está com 39 empresas sendo SEBRAEatendidas, sendo 24 indústrias. O objetivo é Ir a sede do SEBRAE/RN, em Natal ou em um dos 9ampliar o alcance do programa que hoje atua núcleos no interior do Estado e preencher a Ficha de Identificação da Demanda. Ou entrar em contato com ana Grande Natal. coordenação da Unidade de Inovação e Tecnologia através do (84) 3616-7998 ou [email protected] Para participar o empresário deve dirigir-se ao escritório ou núcleo do SEBRAE epreencher a ficha de identificação de demanda,que deverá conter as informações sobre aempresa - como CNPJ e faixa de faturamento- e identificar as necessidades do cliente,antes da realização da visita técnica paradiagnóstico e elaboração do plano de trabalho.O cadastramento também pode ser realizadopelo SESI e encaminhado ao SEBRAE.   Assessor de SESI desenvolvimentoRevista da INDÚSTRIA DO RN de negócios do SESI /RN, José Nilson de Sá Neto, explica vantagens dos serviços para empresas 25


Escola SESI Escola da Zona Norte tem novas turmas de Ensino Médio do SESI-RN Ensino Médio diferenciado Zona Norte de Natal e Mossoró contam com a nova modalidade que tem atraído estudantesSESI O Serviço Social da Indústria (SESI) desenvolvimento, experimentação, domínio começou 2018 com uma nova modalidade educacional, a Escola SESI de Ensino Médio, da linguagem e tecnologias, tudo com foco no que já está funcionando na Zona Norte de Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM)”, disse a gerente. Natal e na cidade de Mossoró/RN. De acordo A escola tem ótima localização, próximo com Karenine Medina, Gerente de Educação ao Parque Industrial de São Gonçalo do do SESI/RN e Diretora das Escolas, a nova Amarante. “A indústria está precisando de Escola SESI valoriza o aprendizado para garantir mais oportunidades. inovação, e a escola é um sonho realizado, de ter um bom aprendizado, onde o filho do “Temos uma proposta de formar trabalhador da indústria pode ser atendido com preço diferenciado”, afirma. cidadãos participativos, com estímulo ao 26 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


Um dos diferenciais, apontados pelo Escola SESIresponsável técnico de Educação do SESI/Natal, Anderson VieiraAnderson Vieira, é que os alunos utilizam material destaca qualidade do materialdidático especializado. “Nosso material tem didáticosequências didáticas desafiadoras e diversificadas,organizadas de forma a provocar diálogo, reflexãoe o debate para a procura de soluções criativaspara as atividades propostas e também parasituações do cotidiano”, observa Vieira.Para Karenine Medina, Gerente de Educação do SESI /RN, nova modalidade valoriza oportunidadesProjetos estimulam cidadania A Escola utiliza de estímulos diversos do RN como um posicionamento nacional, tem SESIcom projetos que desenvolvem a cidadania,saúde e segurança e aulas de robótica. “Além qualidade e uma equipe técnica diferenciada”.de realizar eventos como Torneio Regional deRobótica, Fórum de Profissões e participação A Escola realizará ciclos de palestrasno JERNS, o SESI prepara e incentiva os alunosa participarem de torneios nacionais, com durante o ano todo, para ministrar conteúdosresultados grandiosos quanto a sua rede deensino”, conta Anderson. voltados ao desenvolvimento pessoal e profissional do aluno. “Para nossas ações Para isso, há ênfase no alinhamento do pedagógicas consultamos o corpo deconteúdo à prática. “Além da prática queimportante na formação do aluno, nós fazemos professores e também ouvimos os própriosa aproximação entre a família e a escola. AEscola do SESI é um novo marco do regional alunos”, explica Karenine Medina. Além disso, existe outro diferencial importante, as disciplinas transversais, que são quatro, além do currículo nacional do ensino médio; a saber: Oficinas Tecnológicas, Atualidades, Ciências Aplicadas e Projetos de Aprendizagem.Revista da INDÚSTRIA DO RN 27


MBA De olho IEL-RN abriu inscrições no futuro para três cursos de MBA para quem deseja acelerar a carreira e aprofundar seus conhecimentos Sempre que um ano começa, com ele Após concluir a graduação e se estabelecer na carreira, muitos profissionais vêm as promessas e todos sonham com um ficam em dúvida sobre o próximo passo a futuro melhor. Em tempos desafiadores como o que o Brasil vive nos últimos anos, existe a ser tomado e questionam as vantagens de necessidade de se destacar para conquistar a fazer um MBA. O MBA (Master in Business Administration) é uma opção para quem tão almejada posição no mercado de trabalho. deseja acelerar a carreira e aprofundar A profissionalização torna-se uma questão seus conhecimentos. A especialização é de sobrevivência. No Rio Grande do Norte, o uma das possibilidades para quem deseja IEL está com inscrições abertas para MBA em Gestão, Desenvolvimento e Sustentabilidade ser reconhecido e tem se tornado um Ambiental, MBA em Gestão Industrial, MBA pré-requisito para conquistar posições de em Liderança para Inovação. liderança em grandes corporações.IEL IEL entrega certificados aos concluintes do MBA de Gestão Industrial e abre inscrições para novas turmas 28 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


MBA Os MBAs oferecem conhecimentos básicos análise de casos.e também específicos, de acordo com o focode cada curso, em um ambiente de troca de “Quando você tem oportunidade deexperiências muito propício para a criação de se deparar com novas ferramentas, novasnetwork. A metodologia utilizada pelo MBA é modalidades e técnicas de gestão e atuação,destacada como o diferencial. Com duração de tem como você ter uma visão global e melhorar20 meses, os cursos apresentam módulos com cada vez mais a sua atuação no mercado70% da estrutura prática e apenas 30% teórica, de trabalho”, afirma a gerente de Educação, Desenvolvimento Empresarial e Inovação doprivilegiando estudos de caso, dinâmicas e IEL-RN, Patrícia Fonseca.Cursos aliam a prática e ateoria voltadas à indústria Os cursos de MBA ofertados aliam a prática Patrícia Fonseca, gerente de Educação, Desenvolvimento Empresarial do IEL/RNe a teoria com o conhecimento que a indústria Serviçorequer, objetivando formar líderes capazes de As inscrições nos cursos de MBAdisseminar a cultura da inovação, gerenciar oferecidos pela Faculdade da Indústria/ IEL são realizadas através do portalequipes e executar projetos de elevada http://www.rn.iel.org.br/pos-graduacao- mba/ ou pelo telefone (84) 3204-6231.complexidade no ambiente industrial. “O diferencial dos MBAs do IEL é quenão são cursos de prateleira. Não são pós-graduações que você encontra normalmenteno mercado. Ela é customizada e direcionadapara a necessidade do mercado, das indústriase dos profissionais que estão antenados nasmudanças que o próprio mercado exige. O MBAdo IEL atrai pessoas do mercado que estão embusca de novas ferramentas, de modernizarseus processos de trabalho e adquirir novosconhecimentos para aplicar em sua realidade”,destaca Patrícia. Com mais de 16 anos dedicados à formaçãode profissionais, a Faculdade da Indústria éuma instituição credenciada pelo Ministérioda Educação (MEC), que oferece cursos quealiam a prática e a teoria ao conhecimento que aindústria necessita. A Faculdade contribui parao aperfeiçoamento dos projetos de capacitação eformação voltados para o segmento. IELRevista da INDÚSTRIA DO RN 29


PRÊMIO IEL André Pereira, gerente de Estágio do IEL/RN, a coordenadora de Estágio do Grupo Guararapes, Rebeca Xavier, e a estagiária Margareth Freire Reconhecendo os melhores Prêmio homenageia empresas com melhores práticas de atração, desenvolvimento e retenção de estagiáriosIEL Reconhecer a atuação de todos os agentes e retenção de estagiários; os estudantes que se destacam e as instituições de ensino que envolvidos no processo de estágio é o objetivo apoiam e incentivam a prática de estágio do Prêmio IEL de Estágio, que já está com durante a formação acadêmica dos alunos. inscrições abertas para a edição 2018. Este ano, as etapas acontecerão mais cedo, explica Para André Pereira, a prática do estágio é para complementar a formação desse novo o Gerente de Estágio e Desenvolvimento de talento. É um momento de experimentar, se Carreiras do IEL/RN, André Pereira. há talento para a formação que o estudante escolheu. Muitos alunos descobrem, na “Antes a premiação estadual era em agosto, rotina de estágio, a sua vocação. Além disso, esse ano será em junho; e a nacional, que era é uma forma dele criar network e conhecer em outubro, acontecerá em agosto”, disse. o mercado. A premiação homenageia empresas com melhores práticas de atração, desenvolvimento 30 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


PRÊMIO IELPRÁTICAS SÃO RECONHECIDAS A coordenadora de Estágio do Grupo está há um ano e onze meses, e deverá ser efetivada para o quadro de pessoal da indústria.Guararapes Têxtil, Rebeca Xavier, avalia que o «O acompanhamento do estágio é muito bem feito, temos encontros, supervisão, eles semprePrêmio é uma ação positiva para as empresas. acompanham o que fazemos no setor. Eu não tinha ideia da dimensão do que é a Guararapes.“Tem sido importante a nossa participação Estou encantada com tudo na empresa», afirma.no Prêmio IEL de Estágio, inclusive tem nosajudado a melhorar as nossas práticas”, afirma INSCRIÇÕESa responsável pela área de treinamento e Inscrições abertas de 5 de março adesenvolvimento da empresa. 1º de junho de 2018. Para participar é preciso acessar o site www.iel.rn.org. “Nós trabalhamos com os estagiários para br/premio, baixar o regulamento,que eles sejam os futuros sucessores, ficamos preencher o formulário de inscriçãocom ele por no mínimo um ano e no máximo, referente à categoria escolhida, e enviar as documentações necessárias comdois anos, de acordo com o que é permitido pela informações complementares para validar.Lei. Para ter ideia da importância do trabalho doprograma de estágio, cita ela, cerca de 70% dosestagiários são efetivados na Guararapes. Um dos exemplos é o da estagiária MargarethFreire, aluna do curso de Engenharia Têxtilda UFRN. Ela participou do processo seletivoe foi aprovada para estágio na empresa, onde Entrega do Prêmio IEL de Estágio realizada em 2017 IELRevista da INDÚSTRIA DO RN 31


NEGÓCIOS Inovação para os pequenos negócios Programa leva consultoria às empresas, com um subsídio de 80% no investimento necessário ao desenvolvimento do projeto O Programa de Inovação nos Pequenos utiliza e, assim, identificar as possibilidades Negócios abriu novas perspectivas para as de atualizações e melhorias de produtividade. empresas que aderiram no Rio Grande do Norte. “Temos a chance de melhorar em vários aspectos, o que é fundamental, No Estado, há empreendimentos, integrados principalmente para uma empresa jovem como a nossa”, afirma Haroldo Andrade, ao projeto, de diferentes ramos e com variado sócio de Elaine dos Santos Pereira, no empreendimento. A Casa dos Salgados tempo de atuação nos seus respectivos Gourmet é uma empresa do ramo de alimentação especializada na produção mercados. O programa assegura consultoria e de salgados in natura e congelados para orientações para a gestão de inovação, com um atender segmentos como conveniências, subsídio de 80% no investimento necessário ao bistrôs, docerias, delicatessens, cafés, hotéis, restaurantes, universidades, escolas, bares, desenvolvimento do projeto. lanchonetes e padarias. Uma das beneficiadas é a Casa dos Salgados Gourmet. No mercado há três anos, a empresa encontra no Programa de Inovação a chance ter acesso a um amplo diagnósticos da gestão, dos produtos e dos processos queIEL Casa dos Salgados Gourmet é uma das empresas assistidas pelo Programa de Inovação nos Pequenos Negócios 32 JANEIRO/FEVEREIRO de 2018


NEGÓCIOS O consultor Rodrigo Carrijo esteve em Consultor Rodrigo Carrijo em visita a Casa dos Salgados GourmetNatal para acompanhar o andamento doprograma em empresas como a Casa doSalgado. Carrijo disse que essas empresasperceberam, com a consultoria que vemsendo aplicada, que a inovação não éinalcançável, desde que se tenha umagestão adequada. O Programa Inovação para PequenosNegócios é desenvolvimento em umaparceria entre a Confederação Nacionalda Indústria (CNI), o Sistema Brasileirode Apoio às Micro e Pequenas Empresas(SEBRAE) e, no Rio Grande do Norte, oSistema FIERN, por intermédio do Núcleode Apoio à Inovação do RN (NAGI).Consultoria qualificada atrai empresas O Programa de Inovação nos Pequenos de negócios e ampliação da competitividade. IELNegócios está recebendo novas adesões. “É preciso elevar o grau de maturidade emUma apresentação, dia 16 de fevereiro, gestão da inovação nas micro e pequenasreuniu representantes de 30 empresas. A indústrias do Rio Grande do Norte. Por isso,superintendente regional do IEL/RN, Maria esse programa tem estimulado a inovação nosAngélica Teixeira, destaca que 20 empresas setores privados e transfere conhecimentos, desenvolve habilidades e atitudes, objetivandoaderiram na etapa anterior e já obtêm contribuir para a melhoria do desempenho empresarial”, afirma.resultados com a gestão de inovação. O diretorpara Inovação do Sistema FIERN, Djalma Como aderirBarbosa Cunha explica que, com o subsídio, as Para aderir ao “Inovação para Pequenosmicro e pequenas empresas industriais têm Negócios”, é preciso ser micro ou pequena empresasacesso uma consultoria qualificada, com um e estar classificada na atividade principal deinvestimento economicamente viável. indústria. A consultoria é subsidiada e dividida em doze parcelas. Os contados com NAGI-RN podem ser O consultor Gileno Negreiros apresentou feitos pelo telefone 84 – 3204 6256 ou pelo e-mail [email protected] conceitos, os objetivos e a metodologia que Na primeira etapa, 20 empresas aderiram aosão adotados. “A gestão de inovação formaliza programa: Gascana, Jarauto, Pão Petrópolis, Creatoris Mater (Berillo), Inpel, Quali Engenharia, Mac Barbalho,os elementos que estruturam as metodologias Aquacoco, Vulcanus, MD8, Thermocon, Chapinha, Ecobrit, P&P Indústria Recuperadora de Metais, Casae ferramentas para gerenciamento de novas dos Salgados, Cerâmica Itajá, Kadoll Divisions, Granfort,visões, ideias ou soluções que asseguram o Agropecuária São Pedro (Clan) e Tapuio.funcionamento prático destas atividades”,destaca. E acrescenta: a inovação podeser em produtos, processos, na estruturaorganizacional, marketing e outros setoresnas quais a empresa demonstre interesse. Para a gestora do Núcleo de Apoio àInovação do RN (NAGI), Susie Alves de Macêdo,esses planos de inovação são necessáriospara o desenvolvimento de novos modelosRevista da INDÚSTRIA DO RN 33


SINDICATOS FILIADOSRELAÇÃO DOS SINDICATOS FILIADOS A FIERN Sindicato da Indústria de Beneficiamento de Fibras Sindicato da Indústria da Extração de Metais BásicosSindicato das Indústrias de Serrarias, Carpintarias e Vegetais e do Descaroçamento do Algodão do Estado e de Minerais não Metálicos do Estado do Rn –Marcenarias do Estado do RN – SindmóveisPresidente: Ricardo Bezerra de Farias do Rn – Sindifibras Sindiminerais(84) 3234.6164 - [email protected] Presidente: José Garcia da Nóbrega Presidente: Mário Tavares de Oliveira Cavalcanti Neto (84) 3271.1468 / 3204.6343 - [email protected] (84) 3204.6166 - [email protected] das Indústrias da Construçao Civil deMossoró – Sinduscon/Mossoró Sindicato da Indústria de Doces e Conservas Sindicato das Indústrias de Calçados do Estado do Rn –Presidente: Sergio de Souza Freire Júnior Alimentícias do Estado do Rn – Sindal Sindicalçados(84) 3316.3726 - [email protected] Presidente: Ednaldo Mendonça Barreto Presidente: Álvaro Coutinho da [email protected] (84) 3204.6172 - [email protected] (84) 3204.6343/6160 - [email protected] www.sindicatodaindustria.com.br/sindusconmossororn/ www.sindicatodaindustria.com.br/sindalrn/ Sindicato das Indústrias de Curtimento de Couros e deSindicato da Indústria de Álcool dos Estados do Rio Sindicato da Indústria de Cerâmica para Construção do Peles do Estado do Rn – SindcourosGrande do Norte, Ceará e Piauí – Sonal Estado do Rn – Sindicer/Rn Presidente: Gustavo Henrique Calafange MottaPresidente: Arlindo Cavalcanti de Farias Presidente: Vargas Soliz Pessoa (84) 3204.6160/6343 - [email protected] (84) 3206.6296 / 3206.0232 - [email protected] (84) 3204.6171 - [email protected] ouwww.sindicatodaindustria.com.br/sonalrn/ [email protected] Sindicato das Indústrias de Polpas, Sucos e Derivados www.sindicatodaindustria.com.br/sindicerrn/ não Alcoólicos de Frutas Tropicais do Estado do RN –Sindicato da Indústria de Sorvetes, Congelados e SINDIFRUTASDerivados do Estado do RN – Sindisorvete/Rn Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Presidente: Ricardo Valença GomesPresidente: Zauleide de Queiroz Leite Derivados do Estado do Rn – Sindleite (84) 3204.6329 - [email protected] ou(84) 3204.6330 - [email protected] Presidente: Dalton Barbosa Cunha Filho [email protected]/sindisorvetern/ (84) 3204.6170 - [email protected] ou [email protected] Sindicato da Indústria de Instalação e Manutenção deSindicato das Indústrias de Material e Laminados www.sindicatodaindustria.com.br/sindleitern/ Redes, Equipamentos e Sistemas de TelecomunicaçõesPlásticos do Estado do Rn – Sindiplast/Rn do Estado do Rn – SindimestPresidente: Maria da Conceição Rebouças Duarte Tavares Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Presidente: Alberto Henrique Serejo Gomes(84) 3204.6332 - [email protected] ou Estado do Rn – Siprocim/Rn (84) 3211.6655/3204.6310 - [email protected]@yahoo.com.br Presidente: Antônio Medeiros de Oliveira ou [email protected] (84) 3133.4488 / 3204.6344 - [email protected] da Indústria de Panificação e Confeitaria do Sindicato das Indústrias Gráficas do Rn – SingrafEstado do Rn – Sindipan/Rn Sindicato da Indústria da Pesca do Estado do Rn – Presidente: Carlos Vinícius Aragão Costa LimaPresidente: Ivanaldo Maia de Oliveira Sindipesca/Rn (84) 3204.6317 - [email protected](84) 3231.8295 - [email protected] Presidente: Jorge José da Silva Bastos Filho www.sindicatodaindustria.com.br/singrafrn/www.sindicatodaindustria.com.br/sindipanrn/ (84) 3204.6342 - [email protected]r www.sindicatodaindustria.com.br/sindipescarn/ Sindicato da Indústria da Construção Civil do EstadoSindicato da Indústria de Cerveja, Refrigerantes, do Rn – SindusconÁguas Minerais e Bebidas em geral do Estado do Rn – Sindicato da Indústria de Fiação e Tecelagem em geral Presidente: Arnaldo Gaspar JúniorSicramirn no Estado do Rn – Sift/Rn (84) 3206.5362 - [email protected] ouPresidente: Djalma Barbosa da Cunha Júnior Presidente: João Batista Gomes Lima [email protected](84) 3204.6169 - [email protected] e (84) 3204.6336 - [email protected] ou [email protected] www.sindicatodaindustria.com.br/sindusconrn/[email protected] www.sindicatodaindustria.com.br/siftrn/www.sindicatodaindustria.com.br/sicramirn/ Sindicato das Indústrias de Bonés e Chapéus do Estado Sindicato da Indústria do Vestuário no Estado do Rn – do Rn – Sindibonés/RnSindicato das Indústrias de Mármore, Granito e Pedras Sindvest Presidente: Jaedson DantasOrnamentais do Estado do Rn – Simargran Presidente: Marinho Herculano de Carvalho (84) 99683.6263/98880.1060 - [email protected] ouPresidente: Francisco Nunes de Sousa (84) 3204.6331 - [email protected] [email protected](84) 3204.6341 - [email protected] www.sindicatodaindustria.com.br/sindvestrn/ www.sindicatodaindustria.com.br/sindibonesrn/www.sindicatodaindustria.com.br/simargranrn/ Sindicato da Indústria de Torrefação e Moagem do Café Sindicato das Indústrias de Reciclagem e DescartáveisSindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de do Estado do Rn – Sindicafé do Estado do Rn – Sindrecicla/RnMaterial Elétrico do Estado do Rn – Simetal Presidente: Heyder de Almeida Dantas Presidente: Roberto Pinto Serquiz EliasPresidente: Francisco Vilmar Pereira (84) 3204.6167 - [email protected] ou (84) 3204.6294 - [email protected](84) 3204.6165 - [email protected] [email protected] www.sindindustria.com.br/sindireciclarnwww.sindicatodaindustria.com.br/simetalrn/ www.sindicatodaindustria.com.br/sindicafern/ Sindicato das Indústrias de Extração de Calcário,Sindicato da Indústria da Extração do Sal no Estado do Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria Fabricação de Cimento, Cal e de Argamassa do EstadoRn – Siesal de Mossoró e Região Oeste e Salineira do Rn – do Rn – Sinecim/RnPresidente: Francisco Ferreira Souto Filho Sindpam Presidente: Marcelo Caetano Rosado Maia Batista(84) 3317.0556 - [email protected] Presidente: Eriosmar de Assis Torres (84) 3204.6351 - [email protected]/siesalrn/ (84) 3314.8236 - [email protected] ou [email protected] www.sindindustria.com.br/sindipamrn EXPEDIENTEREVISTA DA INDÚSTRIA DO RIO GRANDE DO NORTE – Ano VI – Número 29 – Janeiro/Fevereiro 2018Publicação bimestral da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte editada pela Unidade de Comunicação Corporativa do Sistema FIERN (UNICOM).Tel: 55 (84) 3204-6270 Home: www.fiern.org.br E-mail: [email protected] Twitter: @SISTEMAFIERNGerente Corporativa de Comunicação Social e Eventos - Dodora Guedes. Consultor de Comunicação Ricardo Rosado. Coordenador de Redação Tácito Costa.Editora Sara Vasconcelos. Redação Aldemar Freire, Anna Cláudia Costa, Josilma Lopes, Sara Vasconcelos. Arte Thúlio Rego. Fotos Equipe Unicom, Moraes Neto, CenaDois.Estagiário Raíssa Dias. Secretárias Adriana Carla e Tereza Duarte. Diagramação e Publicação Digital Terceirize.34 JANEIro/FEVEREIro de 2018


Like this book? You can publish your book online for free in a few minutes!
Create your own flipbook