Important Announcement
PubHTML5 Scheduled Server Maintenance on (GMT) Sunday, June 26th, 2:00 am - 8:00 am.
PubHTML5 site will be inoperative during the times indicated!

Home Explore Revista da Indústria do Rio Grande do Norte Nº 23

Revista da Indústria do Rio Grande do Norte Nº 23

Published by luizneto, 2017-03-17 09:41:59

Description: Revista da Indústria do Rio Grande do Norte Nº 23

Keywords: none

Search

Read the Text Version

do Rio Grande do Nor do Rio Grande do Norte te Ano V Nº23 Janeiro/Fevereiro 2017 ENERGIA SOLAR Qualificação e laboratórios de ponta EBEP Aprovação em alta no Enem SUCESSÃO FAMILIAR Como herança gestão eficaz Retomada lenta e gradual 2017 será de ajustes e medidas para aumentar consumo e exportações

chapéu 2 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

sumário DirEÇÃo 5 ECONOMIA PRESIDENTE: Amaro Sales de Araújo Retomada lenta e 1º VICE-PRESIDENTE: gradual Pedro Terceiro de Melo VICE-PRESIDENTES: Antônio Thiago Gadelha Simas Neto, Francisco Vilmar Pereira, Sílvio de Araújo Bezerra, Sérgio Henrique Andrade de Azevedo, Sílvio Torquato Fernandes, Maria da Conceição Rebouças Duarte Tavares, Álvaro Coutinho da Motta DIRETOR 1º SECRETÁRIO: Heyder de Almeida Dantas DIRETOR 2º SECRETÁRIO: Djalma Barbosa da Cunha Júnior DIRETOR 1º TESOUREIRO: 4 Palavra do Presidente Roberto Pinto Serquiz Elias FIERN DIRETOR 2º TESOUREIRO: José Garcia da Nóbrega 8 NORDESTE 14 ENERGIA SOLAR DIRETORES: Transpor águas e eficiência Fábrica de painéis solares Francisco Ferreira Souto Filho, Francisco Assis de Medeiros, João Batista Gomes Lima, Pedro Alcântara Rego de Lima, Francisco Vilmar Pereira Segundo, 10 COMPEM 17 ENTREVISTA Antônio Leite Jales, Jorge Ricardo do Rosário, Geraldo Pequenos negócios podem Sérgio Azevedo Orlando Santos Gadelha Simas, José Zélito Nunes, Edilson Batista da Trindade, Carlos Vinícius Aragão Costa Lima, puxar crescimento Marinho Herculano de Carvalho, Ricardo Valença Gomes 20 NOTAS 12 REFORMA TRABALHISTA CONSELHO FISCAL: Francisco Pereira Soares, Alberto Henrique Serejo Presidentes da CNI e FIERN se Gomes, Jorge José da Silva Bastos Filho reúnem com relator da Comissão Suplentes: Gustavo Henrique Calafange Motta, Tennyson Brito Holder da Silva, Euzim Alves dos Santos DIRETOR DO SERVIÇO NACIONAL DE SENAI SESI APRENDIZAGEM INDUSTRIAL (SENAI-RN): Roseanne Albuquerque 22 ENERGIA SOLAR 26 ESPORTE SUPERINTENDENTE DO SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA (SESI-RN): Qualificação e Prática esportiva ganha as ruas Juliano Martins laboratórios de ponta 28 EBEP SUPERINTENDENTE DO INSTITUTO 24 WORLDSKILLS Aprovação em alta EUVALDO LODI (IEL): Maria Angélica Teixeira e Silva A missão de ser “Top One” SUPERINTENDENTE CORPORATIVA DO SISTEMA FIERN: Katary Mendes Diniz IEL SUPERINTENDENTE DE ESTRATÉGIAS E ARTICULAÇÃO DO SISTEMA FIERN: Hélder Maranhão 30 PROCOMPI Micro e pequenas mais competitivas FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO 32 SUCESSÃO FAMILIAR DO RIO GRANDE DO NORTE Av. Senador Salgado Filho, 2860 Como herança gestão eficaz Lagoa Nova Natal/RN - CEP: 59075-900 Fone: 55 (84) 3204.6200 / Fax: 55 (84) 3204.6278 Revista da INDÚSTRIA DO RN 3

palavra Do prEsiDEntE Modernização trabalhista já! A modernização trabalhista, finalmente, está em pauta e, para orgulho do Rio Grande do Norte, a relatoria foi entregue ao Deputado Federal Rogério Marinho que terá papel decisivo e relevante na construção da necessária modernização das leis do trabalho. É, seguramente, uma das mais importantes reformas, senão a mais relevante no atual momento. Já são mais 12 milhões de brasileiros, dentre os quais, aproximadamente 220 mil potiguares desempregados. Além de tentarmos diminuir o custo do emprego, é oportuno e bastante significativo introduzirmos regras que melhorem as relações do trabalho. Não é bom para ninguém a excessiva judicialização do relacionamento entre empregadores e empregados. Há maturidade suficiente e respeito mútuo para as tratativas entre as partes. As instituições sindicais já dispõem de estrutura e acervo para instaurarem um novo tempo de negociação. Ademais, há muita insegurança jurídica que precisa ser enfrentada na relação entre empregadores e empregados, fato que pode ser minimizado com o fortalecimento dos acordos coletivos. A regra geral evidentemente pode nortear, mas o acordo construído entre as partes contempla a realidade de cada segmento. É inadmissível que não possamos dispor, por exemplo, da melhor forma de execução da jornada de trabalho, sem diminuição ou aumento de carga horária já estabelecida em 44 horas semanais. Ainda, mesmo atendendo o interesse do trabalhador, não dividirmos as férias em até três vezes ou criarmos um banco de horas mais atraente para as partes. Enfim, temas simples ou mais complexos como a participação nos lucros e resultados da empresa podem ser debatidos e construídos a partir do caso concreto, em cada segmento. Espero que a modernização trabalhista também evidencie e empreste segurança jurídica às novas formas laborais, dentre as quais, a terceirização – matéria mundialmente aceita e regulamentada - e ao trabalho remoto. Lamentavelmente, não raro, empresas são punidas Amaro Sales de Araújo, com multas e outras condenações pecuniárias que, simplesmente, industrial, Presidente da FIERN e do COMPEM/CNI levam a suspensão de suas atividades produtivas e, consequentemente, o desemprego de outros trabalhadores e a interrupção de uma cadeia produtiva. Não se pede prêmio à ilegalidade, mas a construção de medidas de razoabilidade – longe da precarização do trabalho - que, de fato, pode começar com a modernização da legislação trabalhista, ajudada por todas as instituições, a bem dos empregos, do ânimo da economia nacional e como expressão da vitória do trabalho. 4 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

EConomia Retomada lenta e gradual ano será de ajustes e requer medidas para amenizar o endividamento das empresas e famílias e aumentar a demanda de consumo e as exportações Após dois anos de forte recessão, o ano de 2017 Estatística da Federação das Indústrias (FIERN). deverá ser de ajustes para o Rio Grande do Norte. A “A situação econômica do Rio Grande do Norte expectativa é de retomada a passos lentos a partir do será pautada pelo cenário nacional, com reação lenta e segundo semestre, com baixa estimativa de crescimento gradual a partir do segundo semestre. O ano de 2017 do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado em 0,3% é o marco zero de um novo ciclo para a economia após retração de -5% em 2016, segundo projeções voltar a crescer”, estima a gerente da unidade, Sandra da 4E Consultoria. A recuperação deve ser puxada Lúcia Barbosa Cavalcanti. Para o Brasil, as perspectivas via exportações de frutas, pescados e têxteis e de indicam taxa de crescimento do PIB próxima a 0,5% continuidade nos investimentos pelo setor de energias após retração em 2016 estimado em -3,6%, segundo renováveis, de acordo com “Perspectivas para o RN projeção da Confederação Nacional das Indústrias. em 2017”, produzida pela Unidade de Economia e FIERN Revista da INDÚSTRIA DO RN 5

EConomia As mudanças não serão rápidas, alta da inflação”, observa ela. hídrica. Outro ponto é a necessidade pontua a economista, devido a alta O saque do FGTS a partir de de equacionar a deficiência de ociosidade nas empresas, baixa março, lembra ela, tem como linhas de transmissão para dar demanda e alto endividamento de objetivo a liquidação de dívidas no continuidade aos investimentos em empresas e consumidores. Neste curto prazo dos trabalhadores, mas energias alternativas no estado. contexto, não há expectativa de por ser de baixo valor não deve Um resultado positivo é o incremento em investimentos e, trazer forte efeito. A renegociação da controle da inflação (IPCA abaixo havendo demanda, no primeiro dívida dos estados com o Governo de 6,5%, teto da meta para 2016 momento, deve preencher a Federal é vista como forma de abrir e provável centro da meta em capacidade instalada disponível. “O espaço para o investimento do setor 2017), que reflete na redução da primeiro passo deve ser no sentido público. Programas de regularização taxa de juros, imprescindível para a de consumidores e empresas fiscal, como o 2º Refis, do Governo recuperação econômica. resolverem o alto endividamento. federal viabilizam o retorno de Equacionar dívidas. Só depois o acesso ao crédito, como capital de consumo é retomado, as empresas giro para continuar a produção voltam a investir e a economia se da indústria. Mas é importante põe nos trilhos”, observa. ressaltar que esta proposta precisa Para atingir o resultado é de aprimoramento para que tenha importante que o Governo Federal adesão das empresas, como por e estados adotem medidas de curto exemplo, aumento dos prazos PASSOS LENTOS RUMO AO CRESCIMENTO prazo para estimular a economia de para amortização das dívidas das imediato e para minimizar a crise empresas. PIB - 2016 PIB - 2017 fiscal, que tem amargado queda de As projeções de aumento das Brasil 3,6 Brasil 0,5 arrecadação e em repasses. Além exportações e moderação na RN 5,7 RN 0,3 disso, mitigar o endividamento de queda do PIB do RN ou Brasil, em empresas e de famílias. “Há uma 2017, consideram a normalização recessão com inflação alta que ou aumento dos juros nos é a pior equação no mundo da Estados Unidos e a consequente Fonte: CNI / 4E Consultoria FIERN É difícil encontrar uma medida de ao dólar, o que deve favorecer economia e o dilema atual do país. desvalorização do real em relação curto prazo de estímulo ao consumo o crescimento das exportações, e ao investimento sem influenciar a 6 mesmo com manutenção da crise JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

EConomia empresários estão pouco otimistas INVESTIMENTOS O ano começa com expectativas voltou a cair, mas é superior na RECUAM EM 2017 pouco otimistas entre os comparação com janeiro de 2016. empresários potiguares, segundo A elevada carga tributária mostra a pesquisa Sondagem seguida pelas altas taxas de 67% Industrial do RN divulgada pela juros, a falta de capital de giro das empresas pretendem investir este FIERN. Com previsão, em janeiro, e demanda interna insuficiente ano, em 2016 o percentual era de 70% de queda na demanda, no número são os principais problemas de empregados, nas compras de enfrentados em 2016 e que matérias-primas e nas vendas permanecem no cenário atual, externas nos próximos seis meses. na opinião dos empresários A intenção de investimento potiguares. 79% das empresas potiguares incerteza econômica para investir declararam que sua capacidade produtiva atual é suficiente para atender à demanda Os empresários potiguares estão Dentre as que planejam investir, 57% esperada para 2017 mais receosos para investir este ano darão continuidade a projetos já frente à incerteza econômica. É o que existentes, 39% investirão em novos mostra a pesquisa Investimentos na projetos e 4% não responderam à 69% dos investimentos Indústria, com 67% das indústrias questão. A capacidade produtiva não previstos para esse ano serão para consultadas planejando investir representa entrave ao crescimento atender ao mercado interno em 2017 - um recuo de 3 pontos industrial em 2017. Segundo a percentuais na comparação com pesquisa, 79% das empresas 48% das empresas que a intenção no ano passado (70%). industriais do Estado têm capacidade pretendem investir, preveem compras de Atender à demanda do mercado produtiva adequada para atender a máquinas e equipamentos interno é a principal finalidade (69%). demanda prevista para o ano. Fonte: Investimentos na Indústria/FIERN Mercado de trabalho instável O mercado de trabalho mais demitiu com 6.602 no ano permanecerá instável em 2017com passado, ante 6.305 no ano anterior. a taxa de desemprego elevada, mas Considerando todas as atividades, o Gerente da Unidade de Economia e Estatística da FIERN, Sandra com ritmo menor de demissões e desemprego aumentou. O Rio Grande Barbosa perspectivas de contratações no do Norte eliminou 15.206 postos de segundo semestre. A indústria - que trabalho com carteira assinada em vinha com demissões desde 2014 – 2016, alta de 23% em relação a 2015. moderou. E demitiu menos. Foram No ano passado, a crise se agravou 9.519 vagas com carteira assinada no comércio e serviços e fez com que cortadas em 2016 ante 10.830, as demissões aumentassem nessas em 2015. A construção foi quem atividades. EMPREGOS vagas com carteira assinada FIERN 15.806 no RN foram cortadas em 2016 vagas eliminadas na Indústria 9.519 em 2016, menos que em 2015 Fonte: Caged Revista da INDÚSTRIA DO RN 7

norDEstE Encontro reúne dirigentes brasileiros e norte-americanos em Campina Grande transpor águas e eficiência experiência de transposição do Colorado (eua) é apresentada em seminário de gestão hídrica na Fiep Em meio a uma das mais graves da Paraíba (FIEP), em Campina brasileiro e o estado americano crises hídricas e ao processo de Grande (PB). O encontro reuniu têm o clima Semiárido e a escassez transposição das Águas do Rio São dirigentes brasileiros e norte- de água devido aos longos Francisco, sistemas inovadores e americanos . períodos de estiagem. “Os estados modelos internacionais de manejo “A situação hídrica é uma das do Nordeste podem se beneficiar e gestão das águas do Estado do principais pautas da Federação com a troca de experiências sobre Colorado (EUA) surgem como das Indústrias. A falta de água é estratégias adotadas no Colorado”, alternativas para estados do um limitante ao desenvolvimento disse Amaro. Nordeste. A gestão eficiente de do Estado. Vamos continuar Para o presidente da recursos hídricos para impulsionar chamando atenção do Governo FIEP Francisco Gadelha, há a o desenvolvimento sustentável para a gestão das águas”, disse o necessidade de mecanismos de da região pautou o debate do presidente do Sistema FIERN e da administração do processo de FIERN Águas, dias 15 e 16 de fevereiro, na Sales de Araújo. recursos hídricos e desenvolver a Associação Nordeste Forte, Amaro transposição para “multiplicar” os Seminário Gestão Estratégica das economia. Em comum, o Nordeste sede da Federação das Indústrias 8 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

norDEstE Modelo americano pode ser usado no nordeste brasileiro A experiência de transposição do Colorado nos Estados Unidos, o Colorado-Big Thompson, tornou-se uma das obras mais conhecidas de integração de bacias hidrográficas dos EUA, com eficiente uso da água para a agricultura, a indústria, o município e doméstico. O sistema é composto por doze reservatórios, 56 quilômetros de túneis, sete plantas de usinas hidrelétricas, 153 quilômetros de canais que transpõem as águas do Rio Colorado em direção ao Rio Big Thompson. A obra levou 21 Colorado tornou a agricultura a sua segunda principal atividade econômica anos pra ser concluída e custou em média US$ 1,4 bilhão. E produz adquire uma cota anual e pode usar sem vínculo governamental, 382 milhões de metros cúbicos como entender e se ultrapassar nomeada por juízes do condado, de água, disponibilizados para a é cortado. É feito um trabalho de com normas regulamentadas pela população. conscientização, reaproveitamento Corte de Água. O modelo conseguiu, Toda a demanda de água é e uso racional”, explica o Diretor em 30 anos, superar a falta de atendida em meio a uma provisão. Geral da Northern Colorado chuvas e tornar a agricultura Há fiscalização e medidas Water Conservancy District, Eric a segunda principal atividade punitivas, como o corte ou Wilkinson. econômica do estado, atrás pagamentos extras. “O usuário A gestão é feita por associação somente do turismo. transposição atende rn, Ce, pe e pb Diferente dos sistemas operadora nacional, a Codevasf. entregue nos quatro estados de transposição já adotados “No início chegará a todos os nordestinos, pelo acionamento no Brasil - Cantareira em São açudes. E, estabilizando, só da transposição, ao preço Paulo, Guandu no Rio de Janeiro quando houver redução dos mensal de R$ 3,00 por pessoa. e Castanhão em Fortaleza -, níveis dos reservatórios”, afirma. A repartição inicial entre os o Projeto de Integração do O PISF atenderá os estados estados considera a população Rio São Francisco não terá a do Rio Grande do Norte, Paraíba, de 11, 7 milhões de pessoas com necessidade de abastecimento Pernambuco e o Ceará e requer vazão total de 26,4 m3/segundo. permanente e não entregará um acordo entre os estados Além de garantir o a água ao consumidor final. para a definição da demanda abastecimento do consumo O fornecimento, explica o mês a mês, o preço, formas de humano, para o setor da representante da Agência pagamento e garantias. Pelo indústria a transposição FIERN Nacional das Águas (ANA), cálculo tarifário (custo fixo de permitirá levar empresas para Carlos Motta Nunes, será feito disponibilidade + custo variável cidades onde antes não tinha entre operadores estaduais e a de consumo), a água que será disponibilidade de água. Revista da INDÚSTRIA DO RN 9

CompEm Reunião do COMPEM discute fortalecimento das microempresas pequenos negóCios podeM puxar crescimento bndes, sebrae e secretaria da Micro e pequena empresa apresentam plano de ação para pequenos negócios na primeira reunião do Compem Após um ano de dificuldades, em que convidados representantes das principais a indústria encolheu 5,4%, a expectativa instituições que constroem políticas e dos empresários industriais é retomar o financiam MPEs no Brasil. crescimento em 2017. E o reaquecimento “Precisamos criar condições melhores depende de bons resultados de micro e para dar mais confiança e condições aos pequenas empresas. Para isso, a primeira pequenos negócios”, afirmou Amaro Sales, FIERN Permanente da Micro e Pequena das Indústrias do Estado do Rio Grande presidente do Conselho e da Federação reunião do ano do Conselho Temático do Norte (FIERN), na primeira reunião do Empresa (Compem) da Confederação 10 Nacional da Indústria (CNI) teve como COMPEM realizada dia 20 de Fevereiro. JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

CompEm “ da Micro e Pequena Empresa da Econômico e Social (BNDES), Titular da Secretaria Especial Cláudio Leal, superintendente da Presidência da República (Sempe), área de indústria e serviços da José Ricardo da Veiga comentou instituição, explicou mudanças entregas importantes da pasta no recentes do banco, como o fim da análise direta pelo banco em ano passado e detalhou a agenda até março deste ano. Entre as operações de menos de R$ 10 Precisamos criar prioridades, a retomada do Fórum milhões. Segundo ele, três fatores contribuíram para a mudança: os Permanente da Micro e Pequena condições melhores Empresa, a interlocução com prazos de análise para pedidos novos gestores municipais para a menores são os mesmos de para dar mais criação de estatutos da MPE, e a grandes projetos; a dificuldade de confiança e condições divulgação de instruções normativas demonstrar o impacto da concessão atualizadas e simplificadas de financiamentos de menor valor aos pequenos para o registro empresarial. e o risco do crédito. “Contamos negócios.” “Também estamos trabalhando com a colaboração do Compem na identificação de maneiras de para desenvolver alternativas para AmAro SAleS preSidente do Compem e facilitar a tomada de crédito”, afirma. que o banco atue diretamente com FIERN do SiStemA Fiern Representando o Banco operações menores, com trâmite Nacional de Desenvolvimento mais rápido”, disse. Revista da INDÚSTRIA DO RN 11

moDErniZaÇÃo O presidente da FIERN, Amaro Sales, e o deputado federal Rogério Marinho em almoço da reunião de Diretoria da CNI, em Brasília reForMa trabalhista para economia crescer em reunião da diretoria da Cni, presidentes da Cni e Fiern debatem modificações com o deputado rogério Marinho, relator da Comissão especial que trata do tema Os Presidentes da Federação das 21 de fevereiro em Brasília. As modificações Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte, na legislação trabalhista propostas pelo Amaro Sales de Araújo, e da Confederação governo são consideradas importantes para Nacional da Indústria, Robson Braga, dar mais segurança jurídica aos empresários FIERN da CNI, o Deputado Federal Rogério Marinho, a perspectiva de melhora da economia. A receberam em almoço da reunião de Diretoria e garantir a retomada das contratações com CNI entregará ao Parlamentar pontos para relator da Comissão Especial que trata das discutir a legislação. leis trabalhistas. O encontro ocorreu no dia 12 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

moDErniZaÇÃo “ O intuito da CNI e da FIERN é o fortalecimento das relações trabalhistas, encaminhamento de medidas que possam criar novos empregos, fortalecimento dos empregos existentes, modernização da legislação do Não é bom para trabalho, não causando a precarização, mas sim o fortalecimento de todos os envolvidos, ninguém a excessiva dentre outros. O deputado ministrará palestra judicialização do “Modernização das Leis do Trabalho” no dia 3 relacionamento entre de abril, no auditório do CET Ítalo Bologna, em Mossoró, em evento promovido pelo Sistema empregadores e FIERN e CNI. empregados. Há O presidente da FIERN, Amaro Sales de Araújo, alerta que há muita insegurança maturidade suficiente e jurídica que precisa ser enfrentada na relação respeito mútuo para as entre empregadores e empregados, fato que pode ser minimizado com o fortalecimento dos tratativas entre as partes.” acordos coletivos. “Não é bom para ninguém a excessiva judicialização do relacionamento entre empregadores e empregados. Há AmAro SAleS, preSidente dA Fiern maturidade suficiente e respeito mútuo para as tratativas entre as partes”, defende. Amaro Sales acredita que a modernização O parlamentar já afirmou ser favorável a essa trabalhista atribua segurança jurídica às parte do texto que, em sua opinião, vai fortalecer novas formas laborais, dentre as quais, a os sindicatos. Segundo ele, hoje, quando há uma terceirização – matéria mundialmente aceita rescisão no contrato de trabalho, mesmo que e regulamentada - e ao trabalho remoto. Um homologada pelos sindicatos, normalmente estudo realizado pela Confederação Nacional quem recebe a indenização demanda novamente da Indústria (CNI) mostrou que a terceirização na Justiça do Trabalho. já é uma realidade para grande parte das Rogério Marinho estima que o relatório seja indústrias, uma vez que 69,7% delas adotam. votado na comissão até julho. De acordo com E, sem essa contratação de terceirizados, o Regimento Interno da Câmara, o relator tem 42% das empresas do setor perderiam a dez sessões de Plenário para apresentar seu competitividade. Outros 15,4% teriam linhas parecer. A decisão do colegiado sobre a matéria de produção inviabilizadas. é conclusiva, exceto se houver recurso para A reforma encaminhada pelo governo apreciação em Plenário. (PL 6787/16) prevê a validade do negociado Uma audiência pública foi realizada, no sobre o legislado em relação a alguns pontos, mesmo dia do encontro com os presidentes da como parcelamento de férias, participação nos CNI e FIERN – 21 de fevereiro -, pela Comissão lucros da empresa e cumprimento da jornada Especial que analisa a modernização das leis FIERN limitada a 220 horas. trabalhistas, na Câmara dos Deputados. Revista da INDÚSTRIA DO RN 13

EnErgia FábriCa de paineis solares para o RN governo do estado e grupo chinês negociam instalação de fábrica de placas e componentes de energia fotovoltaica O Rio Grande do Norte terá uma fábrica governador Robinson Faria. O vice-presidente de grande porte para produção de placas da Federação das Indústrias, Pedro Terceiro fotovoltaicas e demais equipamentos para de Melo, integrante da comitiva potiguar a geração de energia solar. O protocolo em missão comercial na China, assinou o FIERN unidade industrial, foi assinado em Shanghai, SENAI, e CTGAS-ER. com os termos para a instalação da nova contrato de intenções representando a FIERN, A empresa chinesa Chint Eletrics Co, na China, em encontro dos dirigentes da ligada a energias renováveis, tem interesse companhia chinesa Chint Eletrics Co com o 14 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

EnErgia em trazer uma fábrica de equipamentos para a indústria de energia solar para o Rio Grande do Norte. A comitiva visitou o Parque Nacional de Alta Tecnologia Industrial de Suzhou, que abriga uma Zona de Processamento de Exportações (ZPE) que recebe produtos de outros países e os processa para a distribuição na China. A ZPE de Suzhou, junto com outras zonas econômicas especiais, é apontada como viabilizadora do crescimento da produção industrial na China. A ZPE chinesa poderá representar a abertura de um importante mercado para as empresas do Estado. Na ocasião, o governador do RN convidou os chineses para conhecerem a produção de fruticultura local, e falou ainda sobre a produção de minérios e a construção do Terminal Pesqueiro. A comitiva potiguar também expôs aos chineses a consolidação do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante como o que mais exporta no Nordeste. A comitiva visitou fábricas da Chint e manteve reuniões de trabalho e planejamento com executivos da companhia. Encontro em Natal discute potencial e investimentos em energia solar FIERN Revista da INDÚSTRIA DO RN 15

EnErgia Fábrica no rn atenderá a américa latina A Chint Eletrics Co é a maior indústria de energia fotovoltaica da China e uma das maiores do mundo. A fábrica no Rio Grande do Norte vai produzir o ciclo completo de painéis fotovoltaicos e equipamentos como inversores, transformadores, entre outros. O anúncio sobre a intenção de instalação em solo potiguar havia sido feito pelo secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria, Flávio Azevedo, durante a abertura do “9ª Encontro de Investidores de Energia Solar”, no início de fevereiro, em Natal. O grupo chinês já atua na Alemanha, Índia e Estados Unidos. “Agora eles vão atender a América Secretário de Desenvolvimento e vice-presidente Latina e escolheram o Rio Grande do Norte da CNI Flávio Azevedo [para sediar o empreendimento]”, destaca Azevedo. A unidade industrial vai gerar de apoio, flexibilizar processos de 320 empregos diretos além de movimentar licenciamento ambiental e trabalhistas para uma cadeia produtiva de fornecedores e de aumentar a atratividade e competitividade. logística necessária à operação no Estado. Em alguns casos, pontua ele, a demora para O interesse dos investidores, aponta a concessão de licenças é maior do que o o secretário de desenvolvimento do prazo para executar as obras necessárias Estado Econômico, Flávio Azevedo, é uma à operação da unidade. “Os empresários demonstração do potencial de crescimento estão cumprindo seu papel e precisam do do setor solar no Estado. E há necessidade apoio”, afirma. Fábrica deve reduzir custos para geração A redução dos custos e dos preços — ele, algo semelhante pode ocorrer no setor de comentou o secretário — se dá com o aumento geração da energia solar fotovoltaica. de escala na produção e com a melhoria No aspecto do aumento de eficiência, de eficiência. A instalação da fábrica deve observa Flávio, que também é presidente diminuir os custos para os interessados em do Conselho Superior do CTGÁS-ER, o contratar energia solar para uso residencial Rio Grande do Norte dispõe de um dos ou empresarial. “Quando chegou a primeira maiores Centros de Tecnologia em Energia empresa para instalar um parque eólico, Renovável do país. “Temos o CTGÁS-ER o preço da energia que viabilizava o que está à disposição das empresas”, empreendimento era da ordem de R$ 230 o ressalta. O CTGÁS-ER, uma pareceria do FIERN com a hidrelétrica, próximo de R$ 140 o apto a dar o suporte institucional na SENAI com a Petrobras, está plenamente megawatt-hora. Hoje, a sistema eólico compete formação, na qualificação profissional e no megawatts /hora. Isso [a redução] em um desenvolvimento e inovação tecnológica. intervalo de onze anos”, explica Azevedo. Para 16 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

EntrEvista sérgio azevedo “Se superar os gargalos, RN será referência em energia eólica” Presidente da Comissão Temática, da FIERN, para Energias Renováveis (Coere), o empresário Sérgio Azevedo destaca o potencial da energia eólica no Rio Grande do Norte. E alerta para os gargalos a ser enfrentados para o Estado ter um melhor aproveitamento das possibilidades nesta cadeia produtiva. Em 2016, a falta de linhas de transmissões foi um problema, que deve ser resolvido para participar de novos leilões de energia. Azevedo, que também é um dos vice- presidentes do Sistema FIERN, informa, nesta entrevista, sobre programas e medidas que serão apresentados e sistematizados pela Comissão para que o presidente da FIERN defenda os projetos junto aos governos federal e estadual. Eis a entrevista. Como foi o ano de 2016 para o setor de energia houve leilão. O 2° Leilão de energia de reserva de renovável no Estado e no país? dezembro foi cancelado pelo Governo Federal. Isso No Brasil, não houve contratação de energia gerou um desgaste muito grande no setor. eólica em 2016. Isso é muito ruim, porque a gente vinha em uma sequência, desde 2009, com leilões. Houve um problema específico do setor ou foi Há os leilões A-3, A-5 e de reserva - feitos para a crise econômica do País? suporte a uma eventual demanda maior do que a O governo alegou que não existia demanda prevista para o país com entrega de energia em 3 e 5 para novas contrações. A demanda realmente caiu anos, respectivamente, a partir da contratação. Hoje em virtude do desaquecimento da economia do esse suporte [de reserva] é de energia térmica, que país. Mas, sem os leilões, desaqueceu ainda mais FIERN consome óleo diesel e é caríssima. A contratação de o setor. Com os novos leilões, os investimentos eólica faz com que o custo fique bem menor. Mas não seriam de quase R$ 8 bilhões para o país. Revista da INDÚSTRIA DO RN 17

EntrEvista Teria para o Rio Grande do Norte? A impressão de que a energia eólica tem Não. Ficaríamos de fora, porque na limites e não tem condições técnicas de nota técnica emitida pela EPE [Empresa atender a escalas tão grandes está superada? de Pesquisa Energética] não tínhamos Está. Basta ver os relatórios de geração capacidade de escoamento. Temos uma de energia da própria EPE. A energia eólica capacidade de geração muito boa, mas a tem recorde em cima de recorde na geração. transmissão muito ruim. Teve um mês em que 66% ou 68% de toda a energia consumida no Nordeste foram frutos A dificuldade com linha de transmissão é o da geração eólica. Então, esta ideia de limitação principal gargalo para o setor no RN? não prospera. Precisa ter, sim, outra fonte Sim. Isso seria resolvido com as obras da como a das hidrelétricas ou térmicas para Abengoa, empresa que ganhou os contratos uma eventualidade na geração de eólica. O de linha de transmissão, mas entrou em importante é ter um equilíbrio entre as fontes. recuperação judicial na Espanha, o que As fontes de energia são complementares. contaminou os contratos dela no Brasil. A energia solar, por exemplo, vem para Grande parte das obras está parada. Existe ajudar também. Em um período no qual, uma alternativa para o RN escoar algo em eventualmente, se tivesse uma diminuição de torno de 500 megas. Uma solução de curto ventos, o índice solarimétrico seria elevado. A prazo, feita com a empresa Esperanza chegada dos parques híbridos não vai demorar. assumindo um trecho da Abengoa. Em grande Tudo isso favorece, no Rio Grande do Norte, não escala, só haverá solução depois das obras só a implantação de energia eólica, mas também licitadas em novembro. Um lote vencedor em solar. O problema é linha de transmissão. novembro de 2016, com prazo de 48 meses para construção, pode melhorar a capacidade de escoamento no médio prazo. E contar Para 2017 esse gargalo será superado? que, no primeiro trimestre de 2017, haverá Se em 2017 tiver leilão, e deve ter ou novos leilões para linhas de transmissão, vai ser complicado para a cadeia produtiva, com dois lotes importantes para o RN sendo existe uma alternativa para o Rio Grande contemplados. do Norte ter condições de escoar algo em torno de 500 megas. Uma solução de curto Essas obras não são executadas de forma prazo que está sendo feita com a empresa rápida? Esperanza assumindo um trecho da Abengoa. Não. Tem também a questão de Se isso prosperar, teremos uma solução de licenciamento. Há linhas de 500 e de 600 curto prazo que será um paliativo para a quilômetros, que extrapolam os limites dos situação. Em grande escala, só haverá solução Estados. O licenciamento é muitas vezes o depois destas obras licitadas em novembro. fator que determina o andamento da obra. É preciso contar que, no primeiro trimestre de 2017, haverá novos leilões para linhas de O Estado é autossuficiente em geração, transmissão, com dois lotes importantes para mas a produção entra no sistema e é o Rio Grande do Norte sendo contemplados. distribuída para o país? Nós produzimos quatro vezes mais do que O Estado tem ainda amplo potencial? consumimos. O Rio Grande do Norte consome Bastante. Temos hoje [uma produção em torno de 700 megawatts/hora de energia e de] quase 4 gigas. O potencial estimado FIERN atualmente é de 30 gigas. gera algo próximo de 3,8 [mil megawatts]. 18 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

EntrEvista O que podemos projetar para a economia E ser referência? do Rio Grande do Norte? O que o Estado A ideia é transformar o Rio Grande do seria se este potencial fosse melhor Norte em uma referência na cadeia produtiva desenvolvido? da energia eólica. Este é o grande “dever de Isto é um dos trabalhos da Comissão Temática casa” para a Comissão, que deve apresentar de Energias Renováveis da FIERN. Queremos as propostas e as medidas nesta direção. Se dar as sugestões para que o Estado reúna as superar os gargalos, RN será referência em condições e, assim, se transforme em um polo energia eólica. exportador de produtos e serviços para a cadeira eólica. Quando se fala na implantação O que a Comissão tem definido de dos Parques, tem o ICMS e o ISS. No período de planejamento para este ano? 12 a 24 meses, que é a fase de implantação, vem Estamos na fase de definição do nosso o maior volume de recursos que resultam em planejamento estratégico que estará arrecadação. Trata-se do período de implantação. totalmente pronto até fevereiro. Estaremos, Nos vinte anos da venda de energia, essa então, com as diretrizes todas definidas. atividade econômica na operação e manutenção Uma das frentes na quais vamos atuar é a de não é tão significativa, porque a cadeia é muito governança, ao mapear todos os gargalos na incentivada. Mas isso não significa que o cadeia produtiva e o que é necessário para período de implantação não seja significativo. fomentar a indústria da energia renovável. Se [o parque] não deixar na mesma proporção, Isso será levado ao presidente da FIERN para depois de implantado, não quer dizer que se fazer as cobranças e os pleitos. Temos outras vai desprezar a arrecadação da primeira fase. E frentes, uma delas a de formação técnica também é importante fazer o que for necessário e profissionalizante, para destacar junto a para potencializar a atividade e seus efeitos instituições como SENAI, CTGÁS, UFRN, IFRN positivos na etapa seguinte com a instalação de e as demais que participam dessas atividades. empresas voltadas aos produtos e serviços para o Isso para não só capacitar os profissionais, setor. Isso é o que precisamos fazer. mas também as empresas. Ao ter empresas e profissionais capacitados, teremos condições Como a Comissão vai atuar neste sentido? de tornar o Estado uma referência. Em relação Queremos propor e apresentar ao presidente às políticas públicas, também vamos ter da Federação das Indústrias os projetos e as propostas e os pleitos. Então, são várias medidas para pleitear junto aos governos federal ideias que vamos consolidar no planejamento e estadual. No aspecto da logística, é importante, estratégico. para cadeia eólica potiguar deslanchar como centro de serviços e produtos, ter um porto Com relação à energia fotovoltaica, também melhor. Vamos apresentar quais medidas são há possibilidade de desenvolvimento? necessárias para o porto, para estradas, para O Estado também tem potencial muito a ferrovia ser melhor aproveitada e o que é bom com relação à energia fotovoltaica. Mas necessário para isso. Com uma logística melhor, precisa desenvolver e aproveitar muito mais a os produtos e serviços que vierem para o RN micro e minigeração. Nos telhados das casas, serão mais competitivos. E sugestões com relação por exemplo. Isso não depende de linha de à tributação, se possível um novo programa transmissão. Já está regulamentado. Talvez de incentivo. Em linhas de transmissão, o que precise de financiamento e outros incentivos. deve ser pleiteado. Tudo para ter uma atividade Esse aspecto do crédito é outra frente de FIERN econômica mais ampla no setor. atuação da Comissão. Revista da INDÚSTRIA DO RN 19

notas SESI-RN e SENAI-RN visitam a Google Education O superintendente regional do Serviço Social da Indústria (SESI/RN), Juliano Martins, e 1 a diretora regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/RN), Rosenanne Azevedo, visitaram, nos Estados Unidos, a Reach Capital, uma empresa de investimento em tecnologia. Eles estiveram também na Lynboook High School, uma escola pública que utiliza ferramentas tecnológicas em sala de aula. Eles integram uma missão da CNI (Confederação Nacional da Indústria) aos Estados Unidos para conhecer soluções do nordeste Forte se reúne programa “senior com Ministro da integração expert service” no rn O presidente da FIERN, Amaro Sales, acompanhado de presidentes de Federações do Nordeste, participou de Empresas do setor de 2 reunião com o Ministro da Integração Nacional, Helder água mineral receberão Barbalho, no dia 20 de fevereiro, em Brasília. Vários temas foram 3 em março a visita do debatidos, como o Programa de Infraestrutura Econômica e Logística, especialista alemão Ingo Ernst, o Projeto da Transnordestina, obras de transporte urbano nas capitais que estará no RN para mais uma da Região Nordeste, Sistema hídrico regional, Projeto de Integração fase do programa “Senior Expert do Rio São Francisco, reforma e recuperação dos grandes e médios Service”. Ele ficará em Natal de reservatórios estaduais, redes de linha de transmissão voltada 7 a 25, período no qual ajudará especialmente para o escoamento da produção de energias renováveis. empresas filiadas ao SICRAMIRN (Sindicato das Indústrias de Água Mineral) na otimização de processos, planejamento e controle da produção. O “Senior Expert Service” (SES) é um programa da Fundação da Indústria Alemã para a Cooperação Internacional, que atua no envio de especialistas e técnicos aposentados para contribuir com empresas em diversos países. 20 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

reunião discute qualidade dos produtos cerâmicos As exigências em relação à certificação de qualidade dos produtos cerâmicos numa sintonia entre os 4 bancos públicos, como CEF e BB, bem como às construtoras ligadas ao Programa Minha Casa Minha Vida, foram o alvo de reunião no dia 21 de fevereiro, na Secretaria Nacional de Habitação, do Ministério das Cidades em Brasília, que reuniu segmentos ligados ao setor, com a coordenadora geral do PBQP - habitat Maria Salete de Carvalho. Participaram do encontro, Natel Moraes, presidente da Associação Nacional da Indústria de Cerâmica Vermelha (Anicer), Vinícius Costa Lima, diretor da FIERN, e Vargas Soliz, presidente do Sindicer/RN. nagi-rn fará planejamento para triênio 2017/2019 O Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação (NAGI-RN) fará um planejamento estratégico para o triênio 2017/2019. As metas, 5 diretrizes e prioridades foram definidas durante reunião, em Brasília, dos coordenadores estaduais de inovação do Sistema Indústria. A gestora do senai abre NAGI-RN, Carolina Hevelin, disse que entre os principais pontos deste plano inscrições está o fortalecimento da inovação empresarial. No item, “Fortalecimento da Inovação”, serão listados os produtos do IEL, SENAI e SESI, além dos desenvolvidos em parcerias com outras instituições, que contribuem com para cursos de empreendimentos inovadores na indústria. qualificação profissional abertas matrículas para pós-graduação em gestão industrial A O SENAI-CTGAS-ER oferece neste primeiro As matrículas para o novo curso MBA em Gestão Industrial, 7 semestre de 2017 promovido pelo IEL-RN, estão abertas. Os interessados devem uma grade com 30 cursos 6 acessar a página http://www.rn.iel.org.br/index.php/mba- presenciais de qualificação em-gestao-industrial, para ter acesso ao programa do curso e link para profissional, distribuídos em as inscrições. Trata-se de projeto de iniciativa do IEL Nacional que será dez áreas de conhecimento. desenvolvido simultaneamente nos estados do Nordeste por intermédio As inscrições são para cursos dos Núcleos Regionais, com suporte acadêmico da Faculdade da Indústria. na área de Energia Eólica, O objetivo é “desenvolver competências direcionadas à formulação de Soldagem, Mecânica Geral, e estratégias competitivas, que sejam capazes de fornecer respostas aos Segurança Industrial. Inscrições novos desafios da indústria brasileira e, ao mesmo tempo, capazes de e informações através do link: executar projetos de elevada complexidade no ambiente fabril”. https://goo.gl/uqC4kS. Revista da INDÚSTRIA DO RN 21

EnErgia solar Instrutor de Educação e Tecnologia, Edson Guedes, Diretora do CTGAS, Cândida Amália, Engenheiro de Equipamentos, Paulo dos Reis Qualificação e laboratórios de ponta Ctgas-er oferta capacitação e serviços em energia solar fotovoltaica para alavancar cadeia produtiva no rn Além do potencial assegurado energia fotovoltaica. O detalhe é que quando a pelas condições naturais, a “Em função dessas resoluções quantidade de energia gerada em ampliação do uso da energia da Aneel houve um aumento da determinado mês for superior à fotovoltaica recebeu um novo procura por micro e minigeração. consumida, é possível ficar com impulso a partir de resoluções Isto despertou o interesse dos créditos que podem ser utilizados da Agência Nacional de Energia consumidores”, disse Paulo para reduzir a fatura dos meses Elétrica (Aneel), que incentivam o Fernando Isabel Reis, coordenador seguintes. Podem também ser consumidor a instalar equipamentos da Unidade de Pesquisa Aplicada do usados para abater o consumo voltados à geração elétrica CTGAS-ER. de unidades do mesmo titular própria com fontes renováveis. Essas mudanças recentes, diz situadas em outro local. Neste caso, Tais inovações aliam economia, ele, “agitam o mercado de geração se alguém tem uma casa de praia, consciência socioambiental e distribuída”. Com essas regras, é fazenda ou sítio, por exemplo, pode autossustentabilidade. O Centro permitido o uso de fonte renovável, compensar a energia, gerada em de Tecnologia do Gás e Energias conectadas na rede de distribuição, outra residência. Renováveis (CTGAS-ER), por sua com a transferência para a vigor, a reação do mercado não foi Logo que a resolução entrou em sENaI novas instalações para a qualificação Há parâmetros técnicos que definem imediata, por causa da conjuntura operadora do excedente de energia. vez, ampliou, reformou e construiu econômica. Mas recentemente as de profissionais na área e dispõe os limites desta geração (www. condições de mercado melhoraram, de laboratório especializado em aneel.gov.br). 22 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

EnErgia solar laboratório alia teoria instalador de sistemas e experiência prática Fotovoltaicos Para atender a este mercado em crescimento, o No dia 6 de fevereiro, o CTGAS-ER iniciou CTGAS-ER se preparou e está com um laboratório a primeira turma do Curso de Qualificação especializado em energia fotovoltaica. Uma parte Profissional de “Instalador de Sistemas deste laboratório, usada para fins didáticos, Fotovoltaicos”, com 25 alunos. Cândida Amália está em funcionamento. Ao mesmo tempo, será informa que estão fazendo esses cursos concluído, com previsão para entrar em atividade a profissionais, em sua maioria, engenheiros partir de abril, a parte do laboratório para ensaios, e técnicos, com conhecimentos básicos da ou seja, que servirá para os testes, avaliações e eletricidade. Outros cursos serão oferecidos nas verificações dos equipamentos. A partir destes modalidades presencial e à distância (veja box). ensaios, as empresas podem obter as certificações, Para a implantação os cursos, voltados ao setor ao comprovarem que estão de acordo com as de energia solar, foi formado um Comitê Técnico normas dos órgãos reguladores e outras exigências Setorial Nacional (CTSN) com a participação de do mercado. especialistas de empresas, do próprio SENAI, Com os laboratórios, os profissionais, que além da cooperação técnica da instituição alemã fazem os cursos do CTGAS-ER, terão conhecimento GIZ. O comitê define os perfis profissionais e teórico e experiência prática, afirma a diretora itinerários curriculares, a adequação dos perfis executiva Cândida Amália Aragão de Lima. segundo metodologia SENAI, o detalhamento da Isso é importante, porque quanto mais precisa grade curricular e desenvolvimento de material a instalação e corretas as conexões, maior o didático. Também foram estabelecidos estratégias aproveitamento do potencial do equipamento e a de atendimento para as demandas de Serviços durabilidade. Tecnológicos e Inovação. Essa atuação do Centro está em alinhamento No convênio com a GIZ, houve visitas técnicas à com “a metodologia SENAI de Educação Alemanha, de docentes e técnicos do SENAI-DR/RN profissional”, no âmbito de um Programa Nacional - CTGAS-ER, e de outros Departamentos Regionais. voltado para ampliar a oferta cursos na área de Com o apoio do SENAI Nacional e a cooperação com Energias Renováveis. a GIZ, além de investimentos próprios, o CTGAS-ER Os cursos voltados ao setor de Energia assegurou a capacitação em Sistemas de Geração Eólica são desenvolvidos pelo Centro desde Fotovoltaicos e em Sistemas de Aquecimento Solar, 2012 e, agora, chegou a vez de implementar os para preparar docentes e técnicos do Centro. Entre programas para o segmento de Energia Solar. O os colaboradores capacitados estão Alcidemir objetivo é qualificar profissionais para atender as Cabral Sousa, Bruno de Lima Soares, Edson Dantas necessidades das empresas que atuam na cadeia Guedes, Jeane Kelly de Oliveira Ribeiro, Samira de de desenvolvimento da indústria de energia Azevedo Santos e Tiago Castro Moraes de Freitas. fotovoltaica do Rio Grande do Norte e do país. CURSO CARGA HORÁRIA MODALIDADE Informações pelos telefones Tecnologias em Sistema de Aquecimento Solar 32h EAD (84) 3204 8000 / senai Tecnologia em Geração Fotovoltaica 32h EAD 3204 8114 Dimensionamento de Sistemas Fotovoltaicos 40h Presencial Email [email protected] Instalador de Sistemas de Aquecimento Solar 160h Presencial er.com.br e, no Site Especialista Técnico em Sistemas Fotovoltaicos 360h Semipresencial www.ctgas-er.com.br. Revista da INDÚSTRIA DO RN 23

WorlDsKills a Missão de ser ‘Top One’ alunos do senai-rn participam do processo simulado oficial para definir quem segue para abu dhabi Os desafios e a preparação para a WorldSkills Abu Dhabi, que acontecerá em outubro de 2017, começaram ainda em 2015, dois anos antes da prova. Para definir os participantes que terão a oportunidade de competir na etapa internacional, nos Emirados Árabes, diversas seletivas são realizadas. Entre os dias 27 e 31 de março, em Brasília, o Rio Grande do Norte irá competir na última etapa seletiva, o processo simulado oficial, em duas ocupações. Mesmo após as etapas estadual e nacional, o Comité Olímpico decidiu que este processo serviria para estimular o estudo e prática nos competidores. Então, em março a competição será entre os primeiros e segundos Os melhores do Brasil tem encontro marcado em Brasília na última etapa seletiva lugares, os melhores do país em cada ocupação irão se enfrentar para definir quem realmente “Muitas pessoas se esforçam representará o Brasil. para que a gente consiga alcançar Muitas pessoas se O RN vai disputar nas ocupações esse objetivo, agradeço ao SENAI “ de Soldagem (10) com Rafael pela oportunidade”, disse Gabriel esforçam para que Dário, 21 anos, o primeiro colocado Lopes, agradecido e confiante a gente consiga nacionalmente na função, e de de que o treinamento lhe trouxe Construção de Estruturas Metálicas muita bagagem profissional. alcançar esse (42) com Gabriel Lopes, 19 anos, Para Rafael Dário, competidor objetivo, agradeço segundo colocado nacionalmente, atualmente na primeira posição ao SENAI pela senai técnico do Centro de Educação uma experiência muito grande oportunidade de sua ocupação, “essa está sendo ambos estudantes do ensino e cada ensinamento será levado e Tecnologia Ítalo Bologna, do SENAI/RN em Mossoró. 24 para a vida”. GAbriel lopeS, Aluno SenAi-rn JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

WorlDsKills Competidores enfrentam jornadas exaustivas de estudos e treinamentos jornada de estudos e treinos Estudando e treinando mais de 22 anos. Consideradas essenciais para diariamente a partir do padrão “Todo esse processo é benéfico a prosperidade e o bem-estar técnico internacional, os alunos se para o aluno, o treinador e o social da economia global e de tornam capacitados para atuar em departamento. Esses jovens cada país participante, as cerca todo o mundo, além de exercitarem passariam 10 anos no mercado de 50 ocupações são funções que ainda muito jovens, suas capacidades para aprender profissionalmente vão desde artes, moda e serviços organizativas, a responsabilidade o que é possível atingir com os pessoais até tecnologias de social e terem a oportunidade de dois anos de preparação”, afirmou fabricação e construção. atuar em equipe. Com exceção de Wertson da Silva Resende, do Na sua 44ª edição e pela quatro habilidades, onde a idade é de Departamento Regional do Rio primeira vez no Oriente até 25 anos, os participantes não tem Grande do Norte. Médio, o concurso mundial de competências, conhecido como WorldSkills, tem 76 países inscritos para disputar as medalhas das habilidades, o primeiro lugar do ranking geral e principalmente para compartilhar o conhecimento. CronograMa WsKills Evento: Processo Simulado Oficial Local: Centro de Treinamento em Brasília Data: 27 a 31 de março de 2017 senai Evento: 44ª WorldSkills Abu Dhabi Local: Em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Data: 14 a 19 de outubro de 2017 Revista da INDÚSTRIA DO RN 25

CorriDa Prática esportiva ganha as ruas projeto sesi Corridas é aberto ao público com proposta para melhorar o condicionamento físico e a qualidade de vida Praticar alguma atividade física de Cada um tem seu treino individualizado, forma regular ajuda a prevenir doenças mesmo sendo um grupo”, ressalta Aquiles, e a manter o corpo saudável. A corrida que é bacharel em Educação Física e pós- de rua é uma modalidade acessível e que graduado em Prescrição de Exercício Físico pode ser praticada por todas as pessoas e Saúde Coletiva. E lembra: a anamnese não de diferentes idades. Há 3 anos, o Serviço dispensa uma avaliação médica. Social da Indústria implantou o SESI A corrida aumenta o condicionamento, Corridas, que orienta e acompanha a resistência muscular, a autoestima, melhora prática regular da caminhada e da corrida, o humor e a sociabilização. Para Gleice de promovendo adaptação e desenvolvimento do Monteiro Gondim (33 anos), estes são alguns condicionamento físico. dos fatores que a levaram para o grupo de Para começar a correr basta um tênis corrida. Ex-atleta profissional, passou 10 anos adequado e força de vontade, afirma o ex- afastada do esporte e conseguiu retornar atleta da Seleção Estadual de Atletismo e a rotina de exercícios no SESI Corridas há coordenador do SESI Corridas, Aquiles Costa um ano. “Você se acostuma com o nada e Melo. “Analisamos os objetivos, o treino, retornar é complicado. Mas quando você vê o o histórico na prática de atividade física, resultado, você se anima. E treinar em grupo possíveis doenças e avaliação morfológica. é bom, pois um puxa o outro, manda aquela SESI Colaboradores do Sistema FIERN aderiram ao programa SESI Corridas 26 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

CorriDa mensagem chamando para treinar”, descreve. O industrial Saman Fausto de Oliveira (43) conta que o difícil é começar. Acompanhado da esposa Andressa Andressa Lidiane (38), há dois anos eles correm juntos. “Conseguimos manter a forma física, uma rotina. Um sempre está apoiando o outro”, disse. A gerente de Promoção a Saúde do SESI-RN, Daniella Cerveira, considera fundamental a orientação Wilson e Saman do professor. “Existe uma diferença em começar a correr e sair correndo. Tem o ritmo, a respiração, a alternância entre corrida e caminhada”, conta. Ela ressalta ainda que junto com a proposta de praticar atividade física regularmente, o SESI Corridas, através do exercício físico, busca evitar o desenvolvimento de doenças crônico-degenerativas e, consequentemente, diminuir os afastamentos do ambiente de trabalho. “Profissionais saudáveis faltam menos ao trabalho”, conclui. Gleice PORqUE CORRER? acima da média (aptos Comunidade: R$ 80 Melhora a vascularização a participarem de meia- Industriários e colaboradores Fortalece o coração, diminui a maratonas e maratonas), do Sistema FIERN (SESI- pressão arterial com objetivo de melhorar o SENAI-IEL): R$ 40 Queima gordura desempenho e índices e/ou Diminui o colesterol atingir distâncias específicas. PLANOS: Libera a endorfina, causando Combo Família uma sensação de bem estar e qUANDO E ONDE SÃO OS (Comunidade): O titular aliviando o estresse. TREINOS? paga o preço normal e cada Segundas-feiras das 18h às membro da família terá 25% qUEM PODE PARTICIPAR? 21h - na pista de atletismo do de desconto na mensalidade Idade não é critério. SESIClube Natal. Combo Amigo (Comunidade): Iniciantes: Praticantes ou Terças e Quintas-feiras das A cada amigo matriculado o não de atividades físicas com 18h às 21h - na Alameda titular terá um desconto de objetivo de iniciar a corrida Marilene Dantas (em frente 25% na sua mensalidade no de rua ao Parque das Dunas) mês corrente e o amigo estará Intermediários: Praticantes isento do pagamento da taxa de corrida de rua que visam qUAIS OS VALORES? de matrícula melhorar o desempenho, Taxa de matrícula melhorar índices, aumentar (Comunidade): R$ 24,00 INFORMAÇõES E percursos, etc. Taxa de matrícula INSCRIÇõES: (84) 3220.0438 SESI Avançados: Praticantes de (Industriário/ Colaborador corrida de rua com índices Sistema FIERN): R$ 18,00 Revista da INDÚSTRIA DO RN 27

EBEp em alta aprovação alunos do ebep são aprovados no sisu/enem para sete instituições de ensino superior no rio grande do norte e paraíba A excelência do projeto de Educação Grande do Norte e na Paraíba. Articulada do Serviço Social da Indústria Os egressos do EBEP SESI-SENAI (SESI-RN) e do Serviço Nacional de 2016 foram aprovados em 27 cursos Aprendizagem Industrial (SENAI-RN) é em sete instituições de ensino superior: chancelada ano após ano com os resultados UFRN, Ufersa, UERN, Facex, UFPB, UnP sEsI (Enem). Este ano, 71 alunos foram aprovados bolsas integrais por meio do Fundo de positivos no Exame Nacional do Ensino Médio e Nassau. Nas instituições privadas têm em sete instituições de ensino superior no Rio Financiamento Estudantil (Fies). 28 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

EBEp Os estudantes foram aprovados para os cursos C&T, Matemática, Ciências Contábeis, Pedagogia, ABRAÃO ALíPIO Direito, Física, Filosofia, Serviço Aprovado em C&T/UFRN Gostaria de agradecer aos meus Social, Engenharia Florestal, Letras professores, pois foram eles que – Inglês, Educação Física, Química, me puseram onde estou hoje. Gestão de Recursos Financeiros, Devo todo agradecimento a eles Fonoaudiologia, Turismo, Ciência e aos que estiveram comigo nesta jornada. #SouFederal da Computação, Comunicação Social, Administração, Ciências Biológicas, Design de Moda, Letras, Engenharia de Pesca, Geografia, Economia, Enfermagem, GEOVANA MELO Matemática, Gestão de Finanças, Aprovada em Fonoaudiologia/UFPB Hoje só tenho motivos para agradecer. Gestão Financeira, Gestão de Primeiramente a Deus, aos meus Recursos Humanos. familiares, amigos e professores. Após O bom desempenho crescente tanto esforço, estudo e noites em claro dos alunos deve-se a uma soma tenho a alegria de dizer que tudo valeu a pena, posso ver isso através desta de fatores, pontua a gerente aprovação. #SouFederal #Fonoaudiologia de educação do SESI-RN, Ana Karenine Medina, como a qualidade do ensino, a equipe técnica, o comprometimento dos alunos e o contrato de convivência – considerado “um diferencial dos alunos”, na avaliação da gerente. Os estudantes também Wilson e Saman LUCAS EDUARDO se envolvem em projetos e Ciências Econômicas/UERN e competições paralelas como as Administração/UnP Olimpíadas Brasileiras de Física, de “Só há um canto onde o sucesso vem antes do trabalho, no Química (OBQuímica), de História dicionário”. De fato, devo essa (ONHB), de Robótica (OBR), a Feira conquista a mim, aos meus Internacional de Ciências e Curso coroas (pai e mãe) e a equipe de Interpretação Teatral. pedagógica do SESI/EBEP. As ações estratégicas do EBEP têm caráter sistêmico das duas instituições (SESI/SENAI) e oportunizam a formação integral e contínua do aluno nos diferentes LUAN MACEDO processos de trabalho, ciência e Geografia/UFRN tecnologia, oferecendo Ensino Depois de muito estudo, muito suor e Médio Regular e Curso Técnico lágrimas, o grande momento chegou! É Profissionalizante, conforme a tempo de comemorar mais um sonho realizado! Agora é o momento de demanda. A articulação permite aproveitar a vida e agradecer a todo o ao aluno cursar simultaneamente momento o resultado de muitas lutas! a Educação Básica oferecida pelo SESI-RN e a Educação Profissional, sEsI pelo SENAI-RN. Revista da INDÚSTRIA DO RN 29

proCompi Programa aprimora capacidade competitiva de empreendimentos MiCro e pequenas Mais competitivas Cinco setores da economia, ligados à Fiern, foram escolhidos para participar do ciclo 2016-2020 do programa É cada vez maior o número de indústrias Pequenas Empresas (Sebrae), que promove de pequeno porte que investem em ações a cooperação e aprimora a capacidade coletivas para agregar valor à produção, competitiva de empreendimentos no país aumentar a produtividade e conquistar desde 1998. No RN a gestão do PROCOMPI é novos mercados. Buscando esses objetivos, de responsabilidade do IEL. setores industriais do Rio Grande do Os pilares do PROCOMPI são o Norte participam do Programa de Apoio associativismo, cooperação, alianças e à Competitividade das Micro e Pequenas competitividade, destaca a Superintendente Indústrias (Procompi) para estimular a do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), Maria gestão e o fortalecimento dos negócios. Angélica Teixeira. O parque industrial do Desta vez, cinco segmentos da indústria Estado é composto, em sua maioria, por potiguar foram contemplados para participar micro e pequenas empresas. “A partir do programa: a indústria gráfica, indústria de interesses comuns formam-se redes e de reciclagem, indústria de alimentos e parcerias, promovendo o desenvolvimento polpas de frutas, indústria de água mineral e da coletividade sem abdicar da indústria de cerâmica vermelha. individualidade e da autonomia de cada O Programa é uma parceria entre a empresa. O PROCOMPI abre horizontes e IEL Confederação Nacional da Indústria (CNI) promove melhorias internas e externas para as indústrias”, afirma Angélica Teixeira. e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e 30 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

proCompi Vinícius Costa Lima, presidente do Singraf-RN Roberto Serquiz, presidente do Sindrecicla-RN Capacitação e consultorias às unidades industriais A participação das pequenas empresas para o Brasil mais preparadas para o mercado local. Entre as ações, é muito representativa, o segmento responde por 53% estão melhorias de processos, adequação a legislação da massa salarial privada do país. O Procompi busca ambiental e sanitária, capacitações para funcionários e estimular a competitividade do setor, por meio de gestão empresarial. cooperação entre empresas ligadas a sindicatos, além de As ações do PROCOMPI e do Sebrae ocorrem de forma incentivar o desenvolvimento empresarial e territorial. complementar, segundo a gestora, para que as empresas “Precisamos avançar nos quesitos produtividade e participantes possam ter ampliadas as possibilidades inovação para que possa ampliar sua participação de acesso. “O foco está nas necessidades reais das no PIB nacional”, analisa a Gerente da Unidade de empresas, atuando em seus gargalos de produção, gestão Desenvolvimento da Indústria do Sebrae, Lorena e mercado, para auxiliar empresas a manterem-se no Roosevelt de Lima Alves. atual momento de retração econômica, e principalmente A iniciativa consiste em levar capacitações e preparando-as para crescerem e aproveitarem consultorias às unidades industriais, tornando-as oportunidades existentes”, explica Lorena Roosevelt. sindicatos esperam melhorar resultados O presidente do Sindicato das Indústrias Gráficas setor. “Cada vez que uma empresa se capacita, ou recebe do Rio Grande do Norte (Singraf-RN), Vinícius Costa consultoria em pontos comuns ao setor, todos crescemos Lima, acredita que ao Programa é uma oportunidade e, juntos, nos fortalecemos no mercado”, disse. de realizar ações coletivas, que geram interatividade na Já o novato é o Sindicato das Indústrias de categoria e resultados para cada empresa participante. Reciclagem e Descartáveis do Estado do Rio Grande “O setor gráfico, que enfrenta um momento de retração, do Norte (SINDRECICLA-RN), que participa pela receberá grandes benefícios com este projeto”, observa. primeira vez, com projeto focado no meio ambiente. Entre os sindicatos filiados a FIERN, o da Indústria “Desbravamos esse projeto quando ainda recebia o de Cerveja, Refrigerantes, Águas Minerais e Bebidas em nome de núcleo setorial. O PROCOMPI é um valioso geral do RN (SICRAMIRN), é o veterano no Programa. projeto de fortalecimento sindical, abre oportunidade IEL De acordo com o presidente Djalma Júnior, as ações para ações coletivas de difícil execução individual”, contribuíram para a organização das empresas e do enfatiza Roberto Serquiz, presidente do SINDRECICLA. Revista da INDÚSTRIA DO RN 31

suCEssÃo Familiar CoMo herança Gestão eficaz iel/rn oferece curso de sucessão em empresas familiares para transição da gestão Planejamento e gestão podem garantir esse número cai para 13 e, na terceira êxito no processo de transição de comando (bisnetos), apenas cinco sobrevivem. Os em organizações familiares. O curso de dados revelam ainda que no Nordeste a taxa sucessão de empresas familiares, ofertado é mais preocupante, apenas oito empresas pelo IEL/RN, voltados a empresários chegam à segunda geração e três, à terceira. fundadores, sócios, gestores e herdeiros A proposta, explica o gerente de busca fomentar a competitividade da educação e desenvolvimento empresarial indústria do Rio Grande do Norte. As aulas do IEL/RN, Guido Salvi, é capacitar, serão iniciadas em março deste ano com aperfeiçoar e desenvolver proprietários e duração de quatro meses. herdeiros de empresas de controle familiar, Despertar no empresário a importância transformando-os em sócios proativos e da profissionalização da gestão é garantia gestores do negócio. “É preciso aperfeiçoar da sobrevivência, lucratividade e controle aspectos da gestão, liderança e formação de da família no negócio. No Brasil, 90% sucessores e a elaboração de uma proposta do universo empresarial é formado por estruturada para a sucessão familiar empresas familiares. Dados do Instituto desejada para a empresa”, afirma. Empresariar revelam que de cada 100 O curso será na modalidade presencial, empresas familiares do país, apenas 25 com carga horária de 180h, através de aulas IEL sobrevivem à primeira geração (filhos). teóricas e práticas, valorizando a construção independente do conhecimento. Quando chega à segunda geração (netos), 32 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017

suCEssÃo Familiar Gerente de educação e desenvolvimento empresarial do IEL/RN, Guido Salvi aprenda com o curso de sucessão profissionalização com de empresas metodologia diferenciada familiares a: O curso traz uma metodologia diferenciada que atende Desenvolver competência em ao dinamismo dos empresários e dirigentes de empresa. planejamento, organização, Além das técnicas tradicionais, são trabalhadas as mais liderança e controle, como pilares modernas formas de executar formação continuada. fundamentais da gestão de uma Com estudos de casos, oficinas práticas, visitas técnicas e organização projetos busca promover o entendimento e solução dos ----------------------------------------------- problemas que afetam a gestão e a sucessão familiar e a Compreender os fenômenos competitividade dos negócios. relacionados a relacionamento interpessoal, resiliência, espírito de equipe, capacidade de liderar e 90% persuasão do universo empresarial ----------------------------------------------- é formado Administrar e gerir conflitos, por empresas familiares negociação e planejamento ----------------------------------------------- Compreender os fundamentos do arranjo societário considerando os aspectos organizacionais, jurídicos e contábeis da composição societária Serviço Informações e inscrições no IEL/RN pelo IEL telefone: (84) 3204-6153 ou e-mail: [email protected] Revista da INDÚSTRIA DO RN 33

sindiCatos Filiados RELAÇÃO DOS SINDICATOS FILIADOS A FIERN: Sindicato da Indústria de Beneficiamento de Fibras Sindicato da Indústria da Extração de Metais Básicos e Vegetais e do Descaroçamento do Algodão do Estado de Minerais Não Metálicos do Estado do RN Sindicato das Indústrias de Serrarias, Carpintarias e do RN - SINDIFIBRAS Presidente: Marcelo Mário Porto Filho Marcenarias do Estado do RN – SINDMóVEIS Presidente: José Garcia da Nóbrega (84) 3204-6166 - [email protected] Presidente: Ricardo Bezerra de Farias (84) 3271-1468 - [email protected] (84) 3234-6164 - [email protected] Sindicatos das Indústrias de Calçados do Estado do RN Sindicato da Indústria de Doces e Conservas Presidente: Álvaro Coutinho da Motta Sindicato das Indústrias da Construção Civil de Alimentícias do Estado do RN – SINDAL (84) 3204-6343/6160 Mossoró – SINDUSCON/Mossoró Presidente: Antônio Thiago Gadelha Simas Neto [email protected] Presidente: Sergio Freire (84) 3204-6172 - [email protected] (84) 3316-3726 - [email protected] www.sindicatodaindustria.com.br/sindalrn/ Sindicato Das Indústrias De Curtimento De Couros E www.sindicatodaindustria.com.br/sindusconmossororn/ De Peles Do Estado Do Rn Sindicato da Indústria de Cerâmica para Construção do Presidente: Gustavo Henrique Calafange Motta Sindicato da Indústria de Álcool dos Estados do Estado do RN – SINDICER/RN (84) 3204-6160/6343 Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí – SONAL Presidente: Vargas Soliz Pessoa [email protected] Presidente: Arlindo Cavalcanti de Farias (84) 3204.6171 - [email protected] ou (84) 3204-6296 - [email protected] [email protected] Sindicato das Indústrias de Polpas, Sucos e Derivados www.sindicatodaindustria.com.br/sonalrn/ www.sindicatodaindustria.com.br/sindicerrn/ Não Alcoólicos de Frutas Tropicais do Estado do RN - SINDIFRUTAS Sindicato da Indústria de Sorvetes, Congelados e Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Presidente: Ricardo Valença Gomes Derivados do Estado do RN – SINDISORVETE/RN Derivados do Estado do RN – SINDLEITE (84) 3204-6329 - [email protected] Presidente: Zauleide de Queiroz Leite Presidente: Dalton Barbosa Cunha Filho (84) 3204-6330 - [email protected] (84) 3204-6170 - [email protected] ou [email protected] Sindicato da Indústria de Instalação e Manutenção de www.sindicatodaindustria.com.br/sindisorvetern/ hotmail.com Redes, Equipamentos e Sistemas de Telecomunicações www.sindicatodaindustria.com.br/sindleitern/ do Estado do RN – SINDIMEST Sindicato das Indústrias de Material e Laminados Presidente: Alberto Henrique Serejo Gomes Plásticos do Estado do RN – SINDIPLAST/RN Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do (84) 3211-6655 Presidente: Maria da Conceição Rebouças Duarte Tavares Estado do RN – SIPROCIm/RN [email protected] (84) 3204-6332 - [email protected] ou Presidente: Antônio Medeiros de Oliveira [email protected] (84) 3133-4488 - [email protected] Sindicato das Indústrias Gráficas do RN – SINGRAF Presidente: Carlos Vinícius Aragão Costa Lima Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria do Sindicato da Indústria da Pesca do Estado do RN – (84) 3204-6317 Estado do RN - SINdIPAN/RN SINDIPESCA/RN [email protected] Presidente: Tennyson Brito Holder da Silva Presidente: Jorge José da Silva Bastos Filho www.sindicatodaindustria.com.br/singrafrn/ (84) 3231-8295 - [email protected] (84) 3204-6342 - [email protected] www.sindicatodaindustria.com.br/sindipanrn/ www.sindicatodaindustria.com.br/sindipescarn/ Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do RN - SINDUSCON Sindicato da Indústria de Cerveja, Refrigerantes, Águas Sindicato da Indústria de Fiação e Tecelagem em Geral Presidente: Arnaldo Gaspar Júnior Minerais e Bebidas em Geral do Estado do RN – SICRAMIRN no Estado do RN – SIFt/RN (84 3206-5362 Presidente: Djalma Barbosa da Cunha Júnior Presidente: João Batista Gomes Lima [email protected] (84) 3204-6169 - [email protected] (84) 3204-6336 - [email protected] ou www.sindicatodaindustria.com.br/sindusconrn/ www.sindicatodaindustria.com.br/sicramirn/ [email protected] / www.sindicatodaindustria.com.br/siftrn/ Sndicato das Indústrias de Bonés e Chapéus do Estado Sindicato das Indústrias de Mármore, Granito e Pedras Sindicato da Indústria do Vestuário no Estado do RN – do RN – SINDIBONÉS/RN Ornamentais do Estado do RN – SIMARGRAN SINDVEST Presidente: Jaedson Dantas Presidente: Francisco Nunes de Sousa Presidente: Marinho Herculano de Carvalho (84) 99683.6263/98880.1060 (84) 3204-6341 - [email protected] (84) 3204-6331 - [email protected] [email protected] www.sindicatodaindustria.com.br/simargranrn/ www.sindicatodaindustria.com.br/sindvestrn/ www.sindicatodaindustria.com.br/sindibonesrn/ Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Sindicato da Indústria de Torrefação e Moagem do Café Sindicato das Indústrias de Reciclagem e Descartáveis Material Elétrico do Estado do RN – SIMETAL do Estado do RN – SINdICAFé do Estado do RN - SINDRECICLA/RN Presidente: Francisco Vilmar Pereira Presidente: Heyder de Almeida Dantas Presidente: Roberto Pinto Serquiz Elias (84) 3204-6165 - [email protected] (84) 3204-6167 - [email protected] (84) 3204-6294 www.sindicatodaindustria.com.br/simetalrn/ www.sindicatodaindustria.com.br/sindicafern/ www.sindindustria.com.br/sindireciclarn Sindicato da Indústria da Extração do Sal no Estado do Sndicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria de Sindicato das Indústrias de Extração de Calcário, RN – SIESAL Mossoró e Região Oeste e Salineira do RN – SINdPAm Fabricação de Cimento, Cal e de Argamassa do Estado Presidente: Francisco Ferreira Souto Filho Presidente: Eriosmar de Assis Torres do RN - SINECIM/RN (84) 3317-0556 - [email protected] (84) 3314-8236 - [email protected] Presidente: Marcelo Caetano Rosado Maia Batista www.sindicatodaindustria.com.br/siesalrn/ www.sindindustria.com.br/sindipamrn (84) 3204-6351 eXpediente REVISTA DA INDÚSTRIA DO RIO GRANDE DO NORTE – Ano V – Número 23 – Janeiro/Fevereiro 2017 Publicação bimestral da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte editada pela Unidade de Comunicação Corporativa do Sistema FIERN (UNICOM). Tel: 55 (84) 3204-6270 Home: www.fiern.org.br E-mail: [email protected] Twitter: @SISTEMAFIERN Gerente de Comunicação Corporativa - UNICOM/FIERN Albimar Furtado. Consultor de Comunicação Ricardo Rosado. Coordenador de Redação Tácito Costa. Editora Sara Vasconcelos. Redação Aldemar Freire, Anna Cláudia Costa, Josilma Lopes, Ascom-CNI. Arte Thúlio Rego. Fotos Equipe Unicom/CNI, Moares Neto, Luciano Azevedo. Estagiários Liene Titan, Nathália Campero, Raíssa Dias. Secretárias Adriana Carla e Tereza Duarte. Diagramação e Publicação Digital Terceirize. 34 JANEIRO/FEVEREIRO de 2017




Like this book? You can publish your book online for free in a few minutes!
Create your own flipbook