Important Announcement
PubHTML5 Scheduled Server Maintenance on (GMT) Sunday, June 26th, 2:00 am - 8:00 am.
PubHTML5 site will be inoperative during the times indicated!

Home Explore 49 - Revista da Indústria do RN

49 - Revista da Indústria do RN

Published by Sistema FIERN, 2021-07-09 18:35:11

Description: Revista da Indústria publicada pelo Sistema FIERN

Search

Read the Text Version

INDÚSTRIAREVISTA DA N 49o Ano IX Maio e Junho / 2021 DO RIO GRANDE DO NORTE RN GANHA INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO TECNOLOGIA E PESQUISA PARA ATRAIR INVESTIMENTOS EM ENERGIAS RENOVÁVEIS ESPECIAL Festival de Inova Robótica Talentos Semana da Indústria SESI-RN é medalha Parceria para de ouro fomentar inovação Sistema FIERN promove programação diversificada

2 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SUMÁRIO 4 PALAVRA DO PRESIDENTE 6 DIA DA INDÚSTRIA 18 EMPREENDEDORISMO Presidentes da CNI, FIERN e Amaro Sales abre evento nacional ministro participam de live 20 MAIS RN 9 TRANSFORMAÇÃO DIGITAL Sindicatos ganham Live com CEO da Ace Cortex abre a plataforma digital programação 23 RECICLAGEM ESPECIAL 12 MEDICINA DO TRABALHO Setor ganha aplicativo para integração Médica da GE do Brasil fala sobre pandemia 24 SONDAGEM 14 ENERGIAS RENOVÁVEIS FIERN Pequena indústria durante a Pandemia Modernização de Marco Legal 30 NOTAS 16 LIVE SOLIDÁRIA Espetáculo encerra Semana da Indústria 32 INSTITUTO SENAI 36 FESTIVAL DE ROBÓTICA DE INOVAÇÃO SESI-RN é medalha de ouro Geração de energias 39 EDUCAÇÃO renováveis ganha Aluno é aprovado em três impulso no RN universidades SENAI IEL SESI 42 BRASIL FRATERNO RN receberá cestas básicas 44 INOVA TALENTOS Parceria para fomentar inovação EXPEDIENTE Gerente Corporativa Redação Aldemar Freire, Anna de Comunicação Cláudia Costa, Josilma Lopes, REVISTA DA INDÚSTRIA DO Juliska Azevedo Renata Moura, Sara Vasconcelos RIO GRANDE DO NORTE Ano IX – Número 49 - MAIO e JUNHO de 2021 Consultor de Comunicação Publicitário Thúlio Rêgo (capa) Ricardo Rosado Publicação bimestral da Federação das Indústrias do Fotos Equipe Unicom, Agência CNI, Estado do Rio Grande do Norte editada pela Unidade de Chefia de Redação Moraes Netto, Edilson Dantas/CNI, Comunicação Corporativa do Sistema FIERN (UNICOM). Cristina Vidal Dênio Simões/MDR, Daniel Guerra Tel: 55 (84) 3204-6270 Home: www.fiern.org.br Editora Diagramação e Publicação Digital E-mail: [email protected] Sara Vasconcelos Terceirize Twitter: @SISTEMAFIERN 3REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

Amaro Sales de Araújo, PALAVRA DO industrial, presidente do PRESIDENTE Sistema FIERN e diretor da CNI Não há RN forte 4 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN sem a força da indústria De início, destaco a importância da indústria no ciclo virtuoso da econo- mia. Aliás, transcrevo Robson Braga, Presidente da CNI: “ninguém fará um País forte sem uma indústria forte!” Acrescento: ninguém fará um RN mais forte sem consi- derar a força de nossa indústria. Não é uni- camente pelos quase 100 mil empregos gerados ou pela renda circulante a partir da atividade industrial… Tudo é importante, mas deve-se, especialmente, à indústria, os maiores investimentos em ciência e tecno- logia. E a tecnologia, quando se aproxima do empreendedorismo, alcança resultados expressivos. Neste sentido é atribuída uma frase a Walt Disney que bem resume a boa combinação mencionada: “é divertido fazer o impossível, pois lá a concorrência é me- nor”. E tudo isso é indústria! No Brasil a atividade industrial respon- de por, aproximadamente, 11% do produto interno bruto, e no RN chega a 19,1%. Algo expressivo que merece melhor atenção. No âmbito geral, a indústria nacional espera a consolidação de reformas que melhorem o ambiente de negócios, nota- damente, as reformas tributária, adminis- trativa e política. Tributária para simplificar e, consequentemente, diminuir o tama- nho do custo tributário e sua gestão para as empresas; Administrativa, porque preci- samos de um Estado (conceito geral) mais

barato, eficiente e menos burocrático; Po- DIREÇÃO lítica para que tenhamos regras perenes, fortalecimento dos partidos políticos e, PRESIDENTE: Amaro Sales de Araújo preferencialmente, coincidência de man- datos para que ocorram eleições somente 1º VICE-PRESIDENTE: a cada quatro anos. Pedro Terceiro de Melo O custo da máquina pública nacional, VICE-PRESIDENTES: em síntese, precisa ser menor para que as Antônio Thiago Gadelha Simas Neto, Francisco empresas – de um modo geral – tenham Vilmar Pereira, Sílvio de Araújo Bezerra, Sérgio menos encargos e mais condições de in- Henrique Andrade de Azevedo, Sílvio Torquato vestimentos no próprio negócio, nas con- Fernandes, Maria da Conceição Rebouças Duar- dições de produtividade e em pesquisa, te Tavares, Álvaro Coutinho da Motta inovação, tecnologia. O dinheiro pago para manter um custo que pode ser menor, DIRETOR 1º SECRETÁRIO: pode gerar mais oportunidades de traba- Heyder de Almeida Dantas lho e, consequentemente, renda para as pessoas. E nada melhor que o trabalho DIRETOR 2º SECRETÁRIO: como a melhor política social! Djalma Barbosa da Cunha Júnior Por sua vez, com melhor capacidade de DIRETOR 1º TESOUREIRO: investimento, as empresas industriais vão Roberto Pinto Serquiz Elias acelerar a fase “Indústria 4.0”, verdadei- ra terceira revolução industrial, que, em DIRETOR 2º TESOUREIRO: apertado resumo, é a composição, em um José Garcia da Nóbrega mesmo processo, do mundo físico, digital, virtual e biológico, tendo o ser humano a DIRETORES: devida, necessária, inegociável e impor- Francisco Ferreira Souto Filho, Francisco Assis de tante participação. Medeiros, João Batista Gomes Lima, Pedro Alcân- tara Rego de Lima, Francisco Vilmar Pereira Se- Assim, com tais elementos e outros que gundo, Antônio Leite Jales, Jorge Ricardo do Ro- são inerentes, o Brasil e o Rio Grande do sário, Geraldo Orlando Santos Gadelha Simas, José Norte precisam apostar na reindustrializa- Zélito Nunes, Edilson Batista da Trindade, Carlos ção. A agregação de valor, o uso da tecno- Vinícius Aragão Costa Lima, Marinho Herculano de logia, a resolução de problemas a partir de Carvalho, Ricardo Valença Gomes uma demanda social, dentre outras carac- terísticas, marcam positivamente a ativi- CONSELHO FISCAL: dade industrial que, sob qualquer análise, Francisco Pereira Soares, Alberto Henrique Se- é importante para a sociedade e merece rejo Gomes, Jorge José da Silva Bastos Filho evidência e apoio. Suplentes: Gustavo Henrique Calafange Motta, Tennyson Brito Holder da Silva, Euzim Alves dos Celebramos o dia da indústria a cada Santos 25 de maio! E o Sistema FIERN, fazendo o registro das preocupações necessárias, DELEGADOS JUNTO À CNI: cumprimentando os empreendedores - EFETIVOS: Amaro Sales de Araújo, Flávio José Ca- – verdadeiros heróis da resistência – e os valcanti de Azevedo colaboradores das empresas, alimenta-se - SUPLENTES: Antonio Thiago Gadelha Simas com contagiante e visível orgulho de tudo Neto, Roberto Pinto Serquiz Elias o que faz e de todos que representa no segmento industrial. DIRETOR DO SERVIÇO NACIONAL DE APREN- DIZAGEM INDUSTRIAL (SENAI-RN): Emerson da Cunha Batista SUPERINTENDENTE DO SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA (SESI-RN): Juliano Martins SUPERINTENDENTE DO INSTITUTO EUVALDO LODI (IEL): Juan Saavedra SUPERINTENDENTE CORPORATIVO DO SISTEMA FIERN: Gláucio Wanderley FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Av. Senador Salgado Filho, 2860 Lagoa Nova Natal/RN - CEP: 59075-900 Fone: 55 (84) 3204.6200 / Fax: 55 (84) 3204.6278 5REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN Reindustrialização e desenvolvimento regional EM LIVE PROMOVIDA PELA FIERN, NO DIA NACIONAL DA INDÚSTRIA, PRESIDENTES DA CNI, FIERN E MINISTRO DEFENDEM MEDIDAS PARA RETOMADA DA ECONOMIA DÊNIO SIMÕES/MDR (Da esq. para dir.) Robson Braga de Andrade (CNI), Ministro Rogério Marinho (MDR) e Amaro Sales (FIERN) 6 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN Por Sara Vasconcelos a recuperação das empresas dessas regiões, ao facilitar a renegociação, Adefesa de reformas estrutu- uma demanda que vem há décadas rantes e de políticas de rein- e que, hoje, com o ministro e o atu- dustrialização e de fomento al governo poderá ser sancionada regional, para corrigir desigualda- pelo presidente Bolsonaro”. des e alavancar a retomada econô- mica brasileira, pautou a “Webcon- O presidente da FIERN, Amaro ferência: Desenvolvimento Regional Sales, destacou que as MPs 1.016 e e as perspectivas para o RN”, na noi- 1.017 têm o impacto de contemplar te desta terça-feira, 25, Dia Nacional mais de 300 mil empresas, que po- da Indústria. Promovido pela FIERN, derão renegociar e retomar suas o evento reuniu os presidentes da atividades. E agradeceu o empe- Confederação Nacional da Indús- nho do ministro e do presidente da tria, Robson Braga de Andrade, da República. FIERN, Amaro Sales de Araújo, e o ministro do Desenvolvimento Re- Para Amaro Sales, as perspectivas gional, Rogério Marinho. são de crescimento da economia este ano, mesmo com a pandemia. “A promoção do desenvolvimen- Mas para isso é preciso que o Brasil to regional deve ser prioridade para e o Rio Grande do Norte apostem na o Brasil. Algumas regiões precisam reindustrialização. “Transcrevo Rob- de estímulo para crescer, de políti- son Braga ao dizer que ninguém cas que diminuam desigualdades fará um País forte sem uma indús- e promovam o fortalecimento do tria forte. E acrescento que nin- setor produtivo”, frisou Robson An- guém fará um Rio Grande do Norte drade. “Não há país forte sem uma mais forte sem considerar a força de indústria dinâmica, forte e inovado- nossa indústria”, enfatizou. ra. O Brasil precisa criar condições para retomar investimentos e criar A atividade industrial no RN res- empregos”, acrescentou. ponde por 19,1% do PIB estadual e por 31% das exportações, além do Ele frisou a importância da apro- alto potencial em agregar valor, vação das Medidas Provisórias 1.016 e no uso da tecnologia e em buscar 1.017, que autorizam a renegociação soluções a partir de uma deman- de dívidas com os fundos de inves- da social. timentos regionais da Amazônia (Fi- nam), do Nordeste (Finor) e com os Amaro Sales defendeu ainda a fundos de financiamento do Norte necessidade de reformas estrutu- (FNO), do Nordeste (FNE) e do Cen- rantes que promovam a melhoria tro-Oeste (FCO), no Congresso, con- do ambiente de negócios. “Precisa- sideradas essenciais para a recupe- mos da consolidação das reformas. ração econômica nessas regiões. A tributária para simplificar e dimi- nuir o tamanho do custo tributário. As MPs foram acompanhadas de Administrativa, porque precisamos perto pela CNI e FIERN, como lem- de um Estado mais barato, eficiente brou o presidente da Confederação, e menos burocrático. E política para e teve o apoio direto do ministro Ro- termos regras perenes, fortaleci- gério Marinho. “As MPs irão permitir mento dos partidos políticos e coin- cidência de mandatos”, pontuou. 7REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN CRIAÇÃO DE FUNDO DE INVESTIMENTOS É ANUNCIADO POR ROGÉRIO MARINHO O ministro do Desenvolvimen- tucionais, com a liberação, em to Regional Rogério Marinho quatro anos, de R$ 8,5 bilhões, anunciou, durante a webconfe- para fortalecimento da políti- rência do Dia da Indústria, a edi- ca dos fundos constitucionais. ção de uma nova Medida Provisó- “Continuaremos avançando em ria para criação de um fundo de uma série de ações. Reafirmo o investimentos voltado às Regiões meu empenho e compromisso Norte, Nordeste e Centro-Oeste em dar as condições necessárias do país, que permitirá criar con- para que o Semiárido Nordes- sórcios municipais que venham, tino, tenha a segurança hídrica por meio de leilões à iniciativa pri- para se desenvolver, de forma vada, viabilizar projetos nas áreas definitiva e estruturante”, disse. de saneamento básico, mobilida- de e segurança hídrica. Neste setor, o ministro pon- tuou ainda o andamento de Segundo Marinho, uma car- projetos executivos das aduto- teira de mais de R$ 1 trilhão que ras do Seridó, de Piquiri e Apo- precisa ser estruturada. Sendo, di, no Rio Grande do Norte. Esta R$ 700 bilhões para obras de sa- última terá a ordem de serviço neamento, 200 bilhões em mo- para início das obras no âmbito bilidade e mais R$ 150 bilhões do 4º eixo de transposição das em obras hídricas. águas do Rio São Francisco, que beneficiará dez municípios do Além de contemplar a redu- Alto Oeste Potiguar. ção de taxas dos fundos consti- Amaro Sales defendeu a reindustrialização e as reformas estruturantes 8 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN Transformação digital passa por mudança cultural WEBCONFERÊNCIA COM CEO DA ACE CORTEX, PROMOVIDA PELO IEL/RN, ABRE A SEMANA DA INDÚSTRIA DO SISTEMA FIERN Por Sara Vasconcelos Luís Gustavo Lima, feita durante a webconferência ‘A importância da Promover uma mudança inovação para o setor industrial e cultural é fator fundamen- os desafios da pandemia’. O even- tal para uma indústria mais to, promovido pelo IEL/RN, abriu a inovadora, isso porque a transfor- Semana da Indústria 2021 do Siste- mação digital é mais sobre pessoas ma Indústria (FIERN, SESI, SENAI e do que sobre tecnologia. A avalia- IEL) com programação do dia 24 a ção é do presidente da Ace Cortex, 28 de maio. 9REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN A conferência contou com e apostem em inovar culturas, participação do diretor regional produtos e processos. do IEL-RN, Djalma Barbosa Jú- nior. O também presidente da O sócio e CEO da ACE Cortex, COINCITEC, defendeu a impor- Luís Gustavo Lima, explica que a tância de um mindset empre- transformação digital acontece endedor como peça chave para principalmente pelas pessoas inovação, ponderou que o Brasil e, nesse contexto, precisa esti- está atrasado em relação à quar- mular a cultura comportamen- ta revolução industrial e precisa tal de crescimento e ações que de políticas que estimulem a tragam segurança psicológica inserção na chamada Indústria para equipe como forma de ob- 4.0, inclusive sendo necessário ter alta performance. “Transfor- fazer com que o corpo técnico mar digitalmente só é possível possa alavancar os negócios. por meio da transformação cul- tural”, disse. “Discutir inovação, em meio a uma pandemia é ainda mais Para Luís Gustavo, inovar de for- desafiador, mas extremante es- ma estruturada passa pela Trans- sencial para aumentar a compe- formação Digital, Intraempre- titividade da indústria”, afirmou endedorismo e Inovação Aberta Djalma Barbosa. dentro de uma cultura centrada no cliente, com planejamento es- A nova revolução industrial é tratégico e gestão de inovação. disruptiva e requer que as em- “Primeiro pensar no cliente, no presas passem por atualização segmento, em como olhar para Djalma Barbosa Júnior, diretor regional do IEL-RN 10 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN esse consumidor mais conectado SERVIÇO e criar soluções para ele. É preci- so entender que o cliente está no Todo conteúdo da centro, que tecnologia é meio e Semana da Indústria não fim e ter um design organi- da FIERN pode ser zacional que favoreça a inovação, acessado através do bem como inovação em gestão canal do Youtube da de negócios”, disse. FIERN: www.youtube. com/c/SistemaFIERN ou Ainda de acordo com o CEO, no site: www.fiern.org.br/ a pandemia acelerou o proces- SEMANADAINDUSTRIA/ so de transformação digital mais do que nos últimos anos. Com isso, os empresários vivenciam o dilema entre focar apenas no negócio principal ou focar em inovação. “O desafio neste novo ambiente empresarial é explorar, com equilíbrio, as capacidades existentes e as novas oportuni- dades”. E exemplificou com o primeiro pico da pandemia, so- mente em abril do ano passado, nos Estados Unidos, registrou-se um crescimento de 16% para 27% de penetração do e-commerce. “O desafio neste novo ambiente empresarial é explorar, com equilíbrio, as capacidades existentes e as novas oportunidades.” LUÍS GUSTAVO LIMA, SÓCIO E CEO DA ACE CORTEX 11REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN Medicina do Trabalho no combate à Covid-19 DEBATE PROMOVIDO PELO SESI-RN, CONTOU EXPERIÊNCIA DA MÉDICA MÁRCIA AGOSTI, MANAGER DA DIVISÃO DE SAÚDE NA GE DO BRASIL Por Sara Vasconcelos ger da Divisão de Saúde na Ge- neral Eletric – GE do Brasil, e a Estratégias para empresas gerente Executiva de Saúde do enfrentarem os desafios SESI Nacional, Katyana Aragão impostos atual momen- Menescal. to foram abordadas durante a webconferência “A Medicina “É um tema amplo e em cons- do Trabalho nas organizações tante atualização devido o mo- frente à pandemia da Covid-19”. mento que passamos e temos a O evento promovido pelo SESI- honra de contar com palestrantes, -RN, no dia 27 de maio, integrou como a dra. Márcia Agosti e Katya- a programação da Semana da na Aragão, uma grande contribui- Indústria e trouxe para o debate ção nesta Semana da Indústria”, a médica Márcia Agosti, Mana- disse o superintende regional do SESI-RN, Juliano Martins. 12 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN Márcia Agosti expôs os desa- Pesquisa realizada pela CNI fios para mudar a cultura orga- com 200 gestores de indústrias nizacional da GE do Brasil para de grande, médio e pequeno o enfrentamento da pandemia. portes, mostra que 70% adota- E relatou dificuldades que vão ram programas de saúde men- desde encontrar os EPIs e in- tal e que devem ser incorpora- formações alinhadas com os dos às políticas das empresas. órgãos de saúde nos vários esta- Os dados foram apresentados dos, devido à falta de coordena- pela gerente Executiva de Saú- ção por parte do sistema nacio- de do SESI, Katyana Aragão. nal de saúde, até a necessidade em estabelecer uma comunica- “A pandemia trouxe um ção eficaz. “A empresa precisou novo modo de trabalho, com contextualizar a comunicação uso de equipamentos e pro- ao meio social em que o traba- cedimentos de segurança a lhador está inserido para que, seguir. A cultura de saúde se dentro de sua realidade, ele pu- fortaleceu nas empresas com a desse reter a informação e prati- pandemia. A indústria brasilei- car”, disse. ra foi muito valente no comba- te ao coronavírus, adequando A crise sanitária, segundo a ambientes, testando colabora- Manager de Saúde da GE do Bra- dores, fazendo as adaptações sil, acelerou também a adoção necessárias”, afirma. de programas de saúde mental nas empresas, já preconizados O SESI teve uma forte atua- no e-Social, com a promoção de ção na elaboração de protocolos bem-estar, de prevenção de so- de biossegurança contra a Co- frimento psíquico, que devem vid-19, lançados em 2020 e atu- se tornar permanentes. alizados este ano com medidas de rastreamento de casos. “A empresa precisou contextualizar a comunicação ao meio social em que o trabalhador está inserido para que, dentro de sua realidade, ele pudesse reter a informação e praticar.” MÁRCIA AGOSTI, MANAGER DA DIVISÃO DE SAÚDE NA GENERAL ELETRIC – GE DO BRASIL 13REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN Modernização do marco legal de Energias Renováveis CRESCIMENTO DO SETOR DE ENERGIAS RENOVÁVEIS PASSA PELA ATUALIZAÇÃO DE NORMAS DE REGULAÇÃO VIGENTE Por Sara Vasconcelos das energias renováveis no Bra- sil e suas perspectivas no futuro”, Amodernização de mar- promovida pelo SENAI-RN den- cos regulatórios é urgen- tro da programação da Semana te e necessária para fo- da Indústria do Sistema FIERN. O mentar o crescimento do setor evento reuniu a CEO da AES Bra- de energias renováveis no Brasil. sil, Clarissa Sadock, o vice-pre- A avaliação é dos participantes sidente da CTG Brasil, Evandro da mesa-redonda “O ambiente Vasconcelos, e o presidente-exe- cutivo da Associação Brasileira Emerson Batista, diretor regional do SENAI-RN de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), Rodrigo Sauaia. O diretor regional do SENAI- -RN, Emerson Batista, ressaltou o papel da instituição, por meio do CTGAS-ER e ISI-ER, conside- rado referência em formação e qualificação profissional, bem como no desenvolvimento de pesquisa e tecnologias em ener- gias renováveis. “Sabemos da necessidade do mercado em ter bons profissionais e disponibili- zamos formação com a garantia da excelência SENAI e laborató- rios com certificação nacional e internacional”, destacou. 14 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN Para Clarissa Sadock, CEO da Clarissa Sadock, CEO da AES Brasil AES Brasil, a perspectiva é de crescimento tanto na geração e Evandro Vasconcelos, um grande distribuição, quanto em relação desafio para o Brasil dar seguran- a base de clientes com a amplia- ça jurídica e aumentar a compe- ção do Ambiente de Contrata- titividade do setor. “É preciso ter ção Livre (ACL), o chamado mer- um arcabouço regulatório que si- cado livre de energia em que o nalize para iniciativa privada que consumidor negocia o preço da pode investir de forma segura. sua energia diretamente com o Este é um grande passo para o fornecedor. crescimento do setor”, disse. “A maioria dos clientes es- Vasconcelos também ponde- tão no ambiente regulado, mas rou sobre políticas de subsídio com a abertura do mercado po- para o setor promover sua base derão migrar para o livre, isso tecnológica. “Precisamos caute- gera aumento de investimen- la. O subsídio é importante, mas tos e na base de clientes”, disse, é uma faca de dois gumes, pode enfatizando a necessidade de alavancar e pode também cau- avanços na legislação, em infra- sar comodismo e atraso. Precisa estrutura e na estruturação da que se tenha prazos definidos e cadeia produtiva. objetivos claros para não gerar subsídios indiretos”, alertou. Segundo ela, os clientes que estão no mercado livre (ACL) es- O presidente da ABSOLAR, tão mais interessados em com- Rodrigo Sauaia, defendeu a ne- prar energia de fontes limpas, cessidade de tratar como prio- como eólica e solar, devido aos ridade a criação de um alicerce preços e a sustentabilidade. O jurídico para a geração distribuí- que demonstra uma crescente da no Brasil, como forma de evi- preocupação, de consumido- tar um recuo no uso de energia res e companhias, com as mu- solar e demais fontes renováveis danças climáticas e redução de neste tipo de geração de ener- emissão de carbono.   gia elétrica. O marco legal da energia distribuída era previsto “O aquecimento global e a re- para 2020. dução de emissão é uma agen- da importante nos negócios das grandes, médias ou pequenas empresas e que foi acelerada com a pandemia”, disse Sadock. Com dois projetos no Rio Grande do Norte, AES Brasil in- veste R$ 8 bilhões na constru- ção de um terceiro parque de energia eólica com capacidade instalada de 1,5 mil MW. A atualização do arcabou- ço regulatório é, na avaliação do vice-presidente da CTG Brasil, 15REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN SESI Big Band recebe Khrystal, Isaque Galvão, João Batista, Tanda Macêdo, Dani Cruz e Daniela Fernandes Espetáculo de som e solidariedade encerra Semana da Indústria LIVE SOLIDÁRIA DA SESI BIG BAND E CONVIDADOS ARRECADA 10 MIL CESTAS BÁSICAS PARA DOAÇÃO A ENTIDADES FILANTRÓPICAS 16 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN Por Jô Lopes doação de 10 mil cestas, que se somam às ações dos artistas lo- Aprogramação da Sema- cais, dos empresários, de todos na da Indústria, promo- que participaram da organiza- vida pelo Sistema FIERN ção da Semana da Indústria. É (FIERN, SESI, SENAI e IEL) foi en- graças à parceria do Sistema cerrada em grande estilo com a FIERN com o SESI-RN e o De- segunda Live Solidária, do proje- partamento Nacional do SESI to Ação pela Vida. O espetácu- que estas cestas chegaram ao lo de som e solidariedade teve RN. Temos um agradecimento apresentação da SESI Big Band especial ao presidente da CNI, e grandes talentos da música Robson Braga de Andrade e ao potiguar, como Khrystal, Isaque Conselho do SESI-RN pela par- Galvão, João Batista, Tanda Ma- ceria desta doação”, disse. cêdo, Dani Cruz e Daniela Fer- nandes. A Live encerrou o período de arrecadação do Projeto Ação Durante o evento, o presiden- Pela Vida. Desde 30 de abril fo- te da FIERN, Amaro Sales, anun- ram recebidos donativos e re- ciou a doação de 10 mil cestas cursos destinados a entidades básicas, pelo Sistema Indústria beneficentes do estado. A aqui- por meio do SESI-RN, para as sição das cestas pela indústria e instituições filantrópicas que as doações realizadas na primei- serão beneficiadas pela campa- ra Live Solidária – em abril – so- nha Ação Pela Vida. mam 112 toneladas de alimentos e 500 litros de bebidas lácteas. “Trago uma grande notícia, a Espetáculo da SESI Big Band e artistas potiguares encerra programação 17REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN EMPREENDEDORISMO Reemprendedorismo terá marco legal AMARO SALES ABRE EVENTO NACIONAL SOBRE PROJETO DE LEI DE APOIO ÀS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS Por Anna Claudia Costa do pela CNI, de forma remota, na Câmara dos Deputados, no dia 11 Aimportância da aprovação de maio. O evento - com a partici- da nova lei de renegocia- pação do Ministério da Economia, ção de dívidas das Micro e parlamentares e presidentes de Pequenas Empresas foi debatida entidades empresariais – discutiu durante o Seminário Marco Legal o Projeto de Lei Complementar do Reemprendedorismo, realiza- (PLP) 33/2020. 18 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN O presidente da FIERN e do tem muita dificuldade para ne- Conselho Temático da Micro e gociar suas dívidas e é desta ne- Pequena Empresa da Confedera- cessidade que nasce esse grande ção Nacional da Indústria (COM- projeto de lei”, acrescentou. PEM/CNI), Amaro Sales, abriu o debate destacando a impor- O Secretário Especial do Mi- tância das MPEs para o país. “As nistério da Economia, Carlos micro e pequenas empresas são Alexandre da Costa, destacou o coração da economia do Bra- que o PLP trata de um proble- sil. São elas as que mais geram ma concreto e marca uma mu- emprego, são elas que geram a dança de visão sobre as MPEs, maior renda”, ressaltou. “A MPE que merecem oportunidades para novos recomeços. SOLUÇÕES E DESBUROCRATIZAÇÃO  Pensado de forma a colabo- solução para reerguer a econo- rar com quem precisa negociar mia”, frisou o autor do projeto de suas dívidas de forma simples e lei, senador Ângelo Coronel. rápida, o PLP 33/2020 ajuda a en- cerrar a empresa quando ela não O diretor presidente do Se- tem mais condições de prosse- brae, Carlos Melles, propôs a guir. O projeto busca soluções elaboração de uma cartilha di- sólidas, de forma a desburocra- gital para esclarecer o pequeno tizar todo processo e com segu- empresário. A produção terá o rança jurídica. “Empreender é a apoio da CNI, das federações e do Sebrae. 19REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN MAIS RN Sindicatos da indústria ganham plataforma digital PROJETO PIONEIRO NO PAÍS, PLATAFORMA “MAIS RN E OS SINDICATOS DO RN” MOSTRA DADOS DETALHADOS DAS INDÚSTRIAS POTIGUARES Por Sara Vasconcelos de do Norte. Projeto pioneiro no Brasil, o ‘MAIS RN e os Sin- OMAIS RN lançou uma dicatos do RN’ sistematiza to- nova plataforma de das as informações existentes Bussiness Inteligence sobre os 30 sindicatos filiados (B.I.) dedicada aos sindicatos à FIERN e atribui maior trans- das indústrias potiguares - que parência e segurança dos da- constituem o cerne da Federa- dos, além de trabalhar com ce- ção das Indústrias do Rio Gran- nários e prognósticos.  20 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN Com a ferramenta todas as de uso”, disse.  informações referentes aos sin- A inspiração dos sindicatos dicatos da FIERN podem ser encontradas em um só lugar, como composição do Sistema como dados sobre a quantidade Indústria foi retratada no sím- de empresas sindicalizadas, lo- bolo do DNA, como se os sindi- calização, contato e setores em catos fossem a base da própria que atuam.  existência do Sistema como um todo. O conceito do DNA tam- “O MAIS RN é um canal vivo bém é retratado na página de de informações sobre a indús- navegação, que mostra a linha tria e a economia do Rio Gran- que conecta os sindicatos entre de do Norte. Acredito que esta si como uma cadeia.  bússola traz oportunidades para investidores dos potenciais do Como próximos passos para estado, dentro de um plano de uso e disseminação da platafor- desenvolvimento estratégico. ma, Pedro Albuquerque conta E é preciso que os empresários que está planejado a realização conheçam e sejam multiplica- de reunião com presidentes dos dores”, afirmou o presidente sindicatos para apresentar, tirar Amaro Sales.  dúvidas e entregar formalmente o acesso. E, ainda, abrir o diálo- O painel digital inova ain- go com setores da FIERN, como da ao mostrar o potencial que Unidade de Mercado, Espaço cada sindicato possui no Es- Empresarial e Assessoria Sindi- tado, o total de empregos que cal, para uso deste banco de da- gera e o quanto representa de dos, como fonte de informações. valor no PIB da indústria poti- guar, além de dados gerais da SERVIÇO economia do estado. Para conhecer a O gerente do MAIS RN, Pe- plataforma, acesse o MAIS dro Albuquerque, explica que RN e os Sindicatos do RN. o painel dos sindicatos permite não só conhecer os associados, mas encontrar também todos os potenciais industriais que po- dem passar a compor o Sistema Indústria. “Dada a importân- cia dos sindicatos, foi pensada uma plataforma que reunisse em um só lugar os 30 sindicatos que compõe a FIERN e pudesse, também, fornecer dados e infor- mação de qualidade em ponto 21REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

FIERN AGENDAS PRIORITÁRIAS O MAIS RN e os Sindicatos é do Sindicato das Indústrias de uma das quatro agendas prio- Extração de Calcário, Fabrica- ritárias do programa para 2021. ção de Cimento, Cal e de Arga- Além dela, há ainda o MAIS RN massa do Estado do Rio Grande e a Retomada Econômica, MAIS do Norte (SINECIM). RN e os Polos Industriais e o Con- vênio MAIS RN e UFRN (Proex). O MAIS RN, explica o coorde- nador José Bezerra Marinho, co- Para o diretor do Mais RN, loca o empresário no centro das Marcelo Rosado, é preciso via- ações do programa, atuando de bilizar investimentos e ações forma compactuada com o Sis- para concretizar os prognósti- tema S, entidades do setor pro- cos feitos por meio do progra- dutivo, Universidades e Governo, ma, como na área de Petróleo com estratégias de serviços aos e Gás e na questão das conces- Sindicatos e aos empresários nos sões e parcerias público-priva- municípios. “É uma nova con- das (PPP). “São investimentos e cepção, um modelo para servir iniciativas que precisam acon- os Sindicatos e os empresários tecer de forma coordenada e locais, que traz agendas impor- conjunta”, pontuou Rosado, tantes para transformar poten- que também é vice-presidente ciais em resultados”, disse. 22 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

FIERN MEIO AMBIENTE Indústria de Reciclagem na era da economia digital APLICATIVO PARA INTEGRAÇÃO DO SETOR NO RN É APRESENTADO PELO SINDRECICLA, EM REUNIÃO DA COEMA Aindústria de reciclagem do ção da política nacional de resíduos Rio Grande do Norte ganha sólidos”, disse. uma ferramenta importan- te para alavancar a economia di- Etelvino Patrício, presidente do gital e sustentável: o uZeh. O apli- Sindrecicla, ressalta que o aplica- cativo, desenvolvido a pedido do tivo traz uma versão diferenciada Sindicato das Indústrias de Recicla- para atender todas as fases do pro- gem e Descartáveis do RN (SindRe- cesso de reciclagem. “Ao fazer a li- cicla), foi apresentado durante reu- gação do gerador de resíduos com nião da Comissão Temática de Meio a indústria de reciclagem, ele atin- Ambiente da FIERN (COEMA).   ge todos os agentes”, pontuou. A plataforma une os conceitos O objetivo é criar um ecossiste- de sustentabilidade, impacto social ma econômico digital e sustentá- e logística reversa e busca educar e vel. “O aplicativo busca amplificar e interagir diretamente com a socie- validar oportunidades, atuando na dade, a iniciativa privada, as organi- geração de dados sobre o setor, so- zações não governamentais, insti- bre a produtividade reciclável, tra- tuições e o Poder Público. balhando a economia verde, a lo- gística reversa e a responsabilidade O presidente da COEMA-FIERN, compartilhada. Tudo para agregar Roberto Serquiz, lembrou que app valor para o setor”, afirma Gusta- surge da modernização e melho- vo Santos, Diretor de Marketing da ria do RecicleJá, aplicativo desen- uZeh do Brasil Tecnology. volvido e lançado em sua gestão à frente do Sindicato. “A remodela- O Brasil recicla apenas 3% das 79 ção traz uma importante mudança milhões de toneladas de lixo produ- ao incluir o catador. O aplicativo é zidas por ano. E em Natal, apenas uma solução tecnológica que dá 2% é reciclado ficando R$ 13 milhões uma dinâmica diferenciada na re- na cadeia por ano, ou seja, 98% vão lação entre geradores e coletores, para em aterros deixando de dis- como também para implementa- tribuir mais de R$ 600 milhões em renda e geração de empregos. 23REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SONDAGEM A Pequena Indústria Potiguar durante a Pandemia As indústrias de menor porte cos- Sondagem Industrial, desenvolvida tumam atravessar conjunturas de cri- pela FIERN em parceria com a CNI. se no Brasil com maiores dificuldades do que as médias e grandes. Nos últi- A pesquisa agrupa o setor potiguar mos sete anos, marcados por recessão em dois tamanhos: de 10 a 49 empre- e baixo crescimento, que se somaram gados, as pequenas indústrias; e de 50 aos impactos da pandemia do corona- ou mais, as médias e grandes. O que vírus a partir de 2020, este cenário tem temos observado são as maiores im- se reproduzido no Rio Grande do Norte pulsionarem a reação ou recuperação no segmento Extrativo e de Transfor- do conjunto, enquanto as pequenas mação. As quatro edições anteriores atuam em sentido contrário. No en- da Revista Indústria ressaltaram essa tanto, no último mês de maio ocorreu diferença de fôlego entre os portes um desempenho considerado atípico industriais desde o início da Covid-19, entre as pequenas indústrias no sen- segundo monitoramento mensal da tido de que estas também contribu- íram positivamente para o resultado 24 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

do conjunto e, inclusive, registraram crescimento acima da média do total da indústria no indicador de nível de produção e no de evolução de esto- ques de produtos finais, com acúmulo destes últimos. É importante ressaltar que o nível de produção deste segmento não regis- trava aumento desde outubro de 2020, e que o setor não assinalava acúmulo de estoques desde agosto de 2013, pe- ríodo em que a economia brasileira e a potiguar não se encontravam em crise. Fonte: Sondagem Industrial CNI/FIERN. Ano 24. N 5. Maio 2021. No presente artigo, queremos explo- expectativas selecionados, a saber, de rar mais detidamente esses resultados demanda por produtos, de compras de de maio. A questão que se coloca é se o insumos de matérias-primas e a inten- desempenho de maio representa para ção de investimento, pode ocorrer uma a pequena indústria do RN mais uma mudança de patamar no processo de reação isolada, sem sustentação nos recuperação da indústria potiguar de meses seguintes, ou se há sinais que pequeno porte fazendo-a aproximar-se indiquem uma maior convergência mais do padrão das médias e grandes, do grupo em relação ao conjunto do contribuindo, portanto, para melhorar setor nos próximos meses. Sobre este os índices de desempenho de toda a aspecto, a contar pelos indicadores de indústria. 25REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SONDAGEM A PEQUENA INDÚSTRIA: DESEMPENHO MÉDIO INFERIOR AO DO CONJUNTO Desde o ápice dos impactos nega- apontam desaceleração, porém com tivos da primeira onda da pandemia maior intensidade entre as de peque- sobre a atividade industrial brasileira, no porte. (O indicador de nível de pro- em abril de 2020, até maio último, o dução varia de zero a 100 pontos; aci- conjunto das indústrias Extrativas e de ma de 50 pontos indica crescimento e Transformação do Rio Grande do Nor- abaixo deste patamar, retração). te registrou seis crescimentos no nível de produção, enquanto o segmento O percentual médio de Utilização da específico das pequenas indústrias Capacidade Instalada - UCI, que men- avançou em apenas três oportunida- sura o grau de intensidade com que a des. Nos 14 meses que perfazem este indústria usa suas máquinas e equipa- período, as médias dos respectivos mentos, foi de 66% contra 57% no perí- níveis de produção atingiram 48,9 e odo, indicando um maior aquecimento 42,3 pontos. Ou seja, ambos os índices entre as primeiras e, em contrapartida, mais ociosidade nas segundas. Fonte: Sondagem Industrial CNI/FIERN. Ano 24. N 5. Maio 2021. Por fim, o indicador médio de nível do equilíbrio e o do segundo mais re- de estoques de produtos finais assina- traído. (O indicador de nível de esto- lou 48,3 e 39,5 pontos, na mesma or- ques de produto finais varia de zero a dem. Em ambos os casos os níveis dos 100 pontos; acima de 50 pontos indica estoques estão abaixo dos 50 pontos, crescimento ou acúmulo de estoques; indicando queda. Porém o nível do igual a 50, estoques em equilíbrio; e conjunto do setor está mais próximo abaixo deste patamar, retração). 26 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

DESEMPENHO DE MAIO ACIMA DO ESPERADO Embora não tenha sido suficiente dagem Industrial de maio, o comporta- para superar a situação de desvanta- mento dos estoques de produtos finais gem em relação ao conjunto, o cres- das pequenas foi o que mais chamou cimento das pequenas, no mês de a atenção. Em comparação com o mês maio, foi mais intenso. Ou seja, o indi- anterior, o nível de estoques do con- cador de volume de produção do total junto da indústria evoluiu de 44,9 para da indústria potiguar evoluiu de 42,5 48,1 pontos, resultando em incremen- para 59,4 pontos entre abril e maio, to de 3,2 pontos; mas ao permanecer aumentando 16,9 pontos, enquanto abaixo dos 50 pontos, tem-se um indi- o das pequenas avançou de 35,0 para cativo de queda de estoques. 52,3 pontos, com incremento de 17,3 pontos; em comparação com os níveis Ao mesmo tempo, o nível das pe- de maio de 2020, quando a atividade quenas aumentou de 29,2 para 55,0 industrial se encontrava sob o impac- pontos, com crescimento de 25,8 pon- to da primeira onda da pandemia, os tos, saindo de um patamar de retra- acréscimos corresponderam a 15,5 e a ção para uma condição de acúmulo 22,3 pontos, respectivamente. (superior a 50 pontos). O que se pode depreender destes resultados? Em Mas de todos os indicadores da Son- um primeiro momento, em relação ao 27REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SONDAGEM conjunto da indústria, que o aumento supor que sobraram produtos finais. da produção - com estoques em bai- Entretanto, a Sondagem aponta xa - poderia ter sido ainda maior para que conseguisse atender plenamen- que, mesmo com o excepcional cres- te a demanda, ao passo que entre as cimento de maio, o nível de estoques pequenas - crescimento da produção efetivos continuava abaixo do nível pla- com acúmulo de estoques -, é possível nejado ou desejado pelas pequenas in- dústrias (45,0 pontos). Fonte: Sondagem Industrial CNI/FIERN. Ano 24. N 5. Maio 2021. 28 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

EXPECTATIVAS EM RELAÇÃO AOS PRÓXIMOS MESES Considerando que as indústrias de Complementando as expectativas pequeno porte aumentaram signifi- empresariais, está a intenção de in- cativamente seu nível de produção vestimento nos próximos seis meses. em maio, que isto as deixou com acú- A Sondagem aponta que também há mulo de estoques de produtos finais, convergência favorável dos dois casos mas que estes níveis eram conside- quando se compara a média das assi- rados pelas próprias empresas como nalações dos 15 meses anteriores com abaixo do planejado, o que elas espe- a de junho. O indicador de intenção de ravam em junho em relação aos pró- investimento varia de zero a 100 pontos, ximos meses? Dois indicadores sele- e quanto maior o índice, maior é a pro- cionados da Sondagem Industrial, pensão a investir. No total da indústria, que dizem respeito às expectativas de o indicador de intenção de investimen- desempenho em relação à demanda to passou de uma média de 49,6 para e às compras de matérias-primas nos 52,7 pontos, enquanto nas empresas de próximos seis meses apontam para pequeno porte a intenção evoluiu de um otimismo generalizado da indús- 34,4 para 45,5 pontos, indicando, além tria potiguar em junho. de otimismo, maior propensão a inves- tir nos próximos meses. No conjunto da indústria, compa- rando-se a média das assinalações dos últimos 15 meses (abril de 2020 a junho de 2021) não há novidade, os índices médios de expectativas em relação à demanda e às compras de insumos e matérias-primas já eram superiores a 50 pontos e assim continuaram em ju- nho, indicando perspectivas otimistas. Todavia, entre as pequenas, as expec- tativas mudaram de pessimistas, na média dos 15 meses, para otimistas, no último mês. O indicador de expectativa da demanda aumentou de 44,4 para 52,3 pontos e o de compra de matérias- -primas, de 43,4 para 59,1 pontos. (Os indicadores de expectativas variam de 0 a 100 pontos. Acima de 50 pontos in- dica expectativas de aumento; igual a 50, estabilidade; e abaixo de 50 pontos, expectativas de queda). *Artigo por Sandra Lúcia Barbosa Cavalcanti e Silvana Maria de Araújo - Unidade de Economia e Pesquisa 29REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

NOTAS MEDALHA TONHECA DANTAS O presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales de Araújo e o diretor primeiro secretário da FIERN, Heyder Dantas, foram agraciados com a Medalha Tonheca Dantas, em alusão aos 150 anos de nascimento do maestro potiguar Tonheca Dantas. A comenda é destinada aos componentes da Filarmônica Onze de Dezembro, músicos da região e personalidades que contribuem para propagação da cultura musical do Seridó Potiguar. A medalha foi entregue por Pedro George de Brito, um dos organizadores do evento. REELEITO O empresário Mário Tavares foi reconduzido, por unanimidade, para um novo período (2021 a 2025) na presidência do Sindicato das Indústria da Extração de Metais Básicos e de Minerais e de Não Metálicos do Rio Grande do Norte (SINDIMINERAIS-RN). A eleição para a diretoria da entidade foi no dia 30 de junho. AUDIÊNCIA EMBAIXADOR ISRAEL VIRTUAL O presidente da FIERN, Amaro Sales de A Câmara de Mediação, Araújo, recebeu na Casa da Indústria o Conciliação e Arbitragem da novo embaixador de Israel, Shmulik Arie FIERN deu início a audiências Bass. A visita, no dia 3 de maio, integrou a de arbitragem realizadas de agenda oficial da Embaixada Israelense para modo totalmente remoto, aproximação entre os dois países e destaque através de plataformas digitais. o interesse em intercâmbio tecnológico. A primeira audiência virtual teve O encontro reuniu os diretores da FIERN a participação do coordenador Heyder Dantas (1º secretário), Roberto Serquiz da Câmara, Rodrigo Paiva, da (1º Tesoureiro), José Garcia da Nóbrega (2º comissão arbitral composta pelo Tesoureiro) e Djalma Cunha Júnior (Inovação). ministro José Delgado, Fernando Guerreiro e Tiago Nunes Marinho, que presidiu a audiência, além dos advogados das partes. A mudança se deve à pandemia de Covid-19 e a necessidade de distanciamento social. 30 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

VACINAÇÃO PARA RÁDIO A INDÚSTRIA O gerente do A vacinação dos trabalhadores Mais RN, Pedro da indústria, que teve início Albuquerque, dia 11 de junho, alcançou até o estreou nas ondas dia 30 de junho mais de 6.800 do rádio, com uma pessoas em Natal e Mossoró, coluna semanal nos postos instalados por sobre Economia, iniciativa do Programa Ação Desenvolvimento e pela Vida e em parceria do Políticas Públicas, SESI-RN com as prefeituras no programa Bom desses municípios. O Atlas dia CBN, da Rádio da Indústria, documento CBN Natal, dos elaborado pela equipe do jornalistas Jenner MAIS RN junto ao SESI-RN Tinôco e Roberto com um diagnóstico do setor, Medeiros. O possibilitou o planejamento da programa vai ao ar vacinação dos trabalhadores toda segunda-feira, das empresas industriais. a partir das 9h. CERTIFICADO DIGITAL As empresas industriais contam com o serviço de certificação digital, disponível no Espaço Empresarial da FIERN, com descontos especiais para o setor. O serviço é oferecido por intermédio de uma parceria firmada entre as Federações da Indústria e do Comércio (Fecomércio) e pode ser acessado para agendamento em um atendimento por videoconferência. O desconto para a indústria é de 25%. Informações e agendamento pelos telefones: 3204-6283 e 99487-8622. 31REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SENAI INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO Inovação e Tecnologia para atrair investimentos em Energias Renováveis INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM ENERGIAS RENOVÁVEIS É INAUGURADO PARA IMPULSIONAR GERAÇÃO DE ENERGIA LIMPA NO BRASIL Por Renata Moura esse comando, ventos que variam de 4 a 25 metros por segundo - Oengenheiro mecânico ou seja, com rajadas semelhantes Leonardo Oliveira obser- às de uma tempestade de 100km va, em Natal, capital do por hora - fazem girar um peque- Rio Grande do Norte, um grande no sensor cada vez mais comum túnel azul dar início à operação. no estado, em meio ao boom de investimentos em implantação Ele aperta um “botão em al- de parques eólicos. goritmo” no computador e, com MORAES NETO Leonardo Oliveira, pesquisador do laboratório de energia eólica do ISI-ER 32 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SENAI Atualmente, são 191 par- MERCADO ques, que tornam o RN o maior gerador de energia eó- A cifra inclui mapeamentos inéditos exe- lica do Brasil, com um total cutados para grandes investidores e o Estado, de 5.574,8 Megawatts (MW) de olho na medição do chamado potencial instalados, segundo a Asso- offshore, ou seja, de geração de energia com ciação Brasileira de Energia a possível implantação de parques eólicos no Eólica (ABEEólica). E os nú- mar. E os planos são de crescimento. meros não param de subir. “Nossa carteira de projetos poderá duplicar “Esse instrumento com ou triplicar nos próximos anos, à medida em ‘copos’ que giram com o que formos fortalecendo o Instituto e em que vento é o que chamamos de o setor também for avançando”, diz o diretor anemômetro”, indica o en- regional do Serviço Nacional de Aprendiza- genheiro. “Ele mede a velo- gem Industrial no estado (SENAI RN), Emerson cidade do vento e isso é im- da Cunha Batista. O mercado, diz ele, tem se portante para o setor tanto mostrado promissor. na prospecção, quando se está avaliando o potencial de “Parcerias voltadas à instalação e evolução geração de energia do local, dessa indústria encontram-se firmadas ou em quanto na operação dos par- contatos avançados com empresas e institui- ques. Todos são obrigados a ções nacionais e estrangeiras de peso, de paí- ter uma torre com no mínimo ses como China, Dinamarca e Holanda”, disse. três desses anemômetros e precisam calibrá-los a cada O Instituto também negocia novos contra- três anos em laboratório”. tos não só com empresas instaladas no esta- do, como mantém a todo vapor conversas que A explicação é parte da poderão resultar nos primeiros acordos de co- rotina com visitantes que re- operação técnica e científica com empresas e cebe e se passa no Instituto instituições em operação na Ásia e na Europa. destacado como principal referência do SENAI no Bra- Também mantém e avança em projetos de sil para pesquisa, desenvolvi- pesquisa com a Petrobras, a Câmara de Co- mento e inovação com foco mércio da cidade alemã de Trier (EIC Trier) e a nas indústrias de energia eó- GIZ, empresa do governo alemão que execu- lica e solar: O Instituto SENAI ta projetos de cooperação técnica focados em de Inovação em Energias Re- desenvolvimento sustentável. nováveis (ISI-ER). Outros projetos estão no gatilho e em vias Com a conclusão das de serem oficializados no Brasil, diz o diretor obras e o funcionamento do ISI-ER, Rodrigo Mello. pleno dos laboratórios, o ISI- -ER inaugurou oficialmente 33REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN - as instalações no último dia 15 de junho. Foram R$ 15 milhões em investimentos. E os projetos em andamento ou concluí- dos para a indústria já supe- ram a casa dos R$ 20 milhões.

SENAI A pesquisadora do ISI-ER Samira Azevedo instala sensores de medição da radiação solar para calibração IMPULSO “O Rio Grande do A inauguração do Instituto foi Norte é líder nacional avaliada por lideranças empresa- na geração de riais e políticas como um marco energia eólica, tem para o estado e para o avanço da os maiores players indústria de energias renováveis do setor instalados no Brasil. em seu território, e no campo da energia “O Rio Grande do Norte é líder solar, também tem nacional na geração de energia muito espaço para eólica, tem os maiores players do crescimento.” setor instalados em seu territó- rio, e no campo da energia solar, AMARO SALES DE ARAÚJO, PRESIDENTE também tem muito espaço para DO CONSELHO REGIONAL DO SENAI-RN crescimento”, frisou o presidente E DO SISTEMA FIERN do Conselho Regional do SENAI- -RN e do Sistema FIERN – que engloba SENAI, SESI, IEL e Fede- ração das Indústrias do estado – Amaro Sales de Araújo, acres- centando que o ISI “visa fortale- cer a pesquisa e a inovação com foco no crescimento e no fortale- cimento dessa indústria”. 34 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SENAI Fátima Bezerra, governadora pesquisadores formada por en- do Rio Grande do Norte, faz coro: genheiros, meteorologistas, ge- “Esse Instituto significa tecno- ógrafos e químicos, com o apoio logia de ponta para que possa- de mestres e doutores bolsistas mos avançar cada vez mais na nessas áreas. produção de energia, trazendo desenvolvimento e geração de Entre os diferenciais da estru- empregos”, analisou ela, em dis- tura, um dos destaques é o Túnel curso na inauguração, afirman- de Vento, primeiro laboratório do do que o estado terá, até 2026, Brasil projetado para atender a ao menos R$ 7 bilhões em in- demanda da indústria eólica - e vestimentos em energia eólica e onde Leonardo, pesquisador e R$ 2,3 bilhões em energia solar instrutor do Instituto citado no fotovoltaica. início da reportagem, faz experi- mentos com diferentes velocida- O presidente da Confederação des de vento. Nacional da Indústria (CNI), Rob- son Braga de Andrade, também A operação comercial do labo- ressaltou que o ISI vai contribuir ratório permitirá reduzir em pelo para expansão das energias re- menos 3 meses o tempo de lo- nováveis na matriz energética gística que as empresas gastam nacional e que ele faz parte do atualmente para realizar serviços conjunto de 60 Institutos de Tec- de calibração de anemômetros nologia e 26 Institutos de Inova- no exterior, explica o coordena- ção mantidos pelo SENAI no Bra- dor do ISI-ER, Antônio Medeiros. sil como maior rede de pesquisa aplicada da América Latina. O Túnel de Vento integra o chamado “Laboratório de ener- Os trabalhos no ISI-ER são de- gia eólica” e se soma a laborató- senvolvidos por uma equipe de rios nas áreas de energia solar e de sustentabilidade do Instituto. Pesquisadora Mirna Farias no laboratório de Sustentabilidade do ISI-ER 35REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SESI Equipe vence em categoria Inovação com a bala sweet health ROBÓTICA SESI-RN é medalha de ouro no Festival de Robótica EQUIPE SESI CARCARÁ, DO RN, CONQUISTA PRIMEIRO LUGAR EM INOVAÇÃO NO FESTIVAL DE ROBÓTICA 2021 Por Jô Lopes sicas, estimular uma quantida- de ideal da Irisina – hormônio Sweet Health é o nome da produzido endogenamente balinha que foi desenvol- durante o exercício físico –, cuja vida pela equipe Carca- ação consiste em modificar o rá, do SESI Escola Mossoró/RN, metabolismo do tecido adipo- e garantiu o primeiro lugar em so branco, favorecendo o gasto Inovação no Festival de Robó- energético. O público alvo do tica 2021. A proposta visa, em projeto são os praticantes de conjunto com as atividades fí- atividades físicas. 36 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SESI A cerimônia de premiação da versidade Federal do Semi Árido maior competição de robótica (UFERSA), para realizar a extração educacional do Brasil ocorreu no do ácido. dia 26 de junho. “Para a produção da balinha, A equipe que desenvolveu o utilizou-se Gelatina Diet – para projeto faz parte do SESI Escola poder incluir pessoas diabéticas, Mossoró/RN: João Pedro Pinhei- e deixar o produto mais saudável. ro Duarte, Laura Rachel Frota Também foi produzida a embala- Nogueira, Mackênia Samantha gem do produto, sendo em potes Ferreira Leite, Pedro Victor de de plásticos para colocar as bali- Souza Filho, e Janilson Goulart nhas; e utilizaram um saquinho de Maia de Freitas Filho e corpo téc- material sustentável para inserir o nico composto por Mayky Fran- pote com as balinhas – colocando cley Pereira de Lima e Leonardo o adesivo da logo tanto no pote, da Silva Garcia. quanto no saquinho”, detalha a gerente de educação do SESI, Ka- Para desenvolver os testes com renine Medina. o máximo de segurança possível, o projeto foi compartilhado com O Festival SESI de Robótica é vários especialistas: nutricionistas, organizado pelo Serviço Social da engenheira de alimento, quími- Indústria (SESI). Este ano, realiza- cos, farmacêutica hospitalar, far- do remotamente, contou com a macêutica de manipulação, a em- participação de 138 equipes, com presa farmacêutica do ácido que cerca de 800 competidores de es- utilizaram, biólogo, além da Uni- colas públicas e privadas. EDILSON DANTAS/CNI 37REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SESI IDEIA DO PROJETO A equipe explica que, segundo a OMS, em decorrência do isolamento social, causado pela pandemia do novo coronavírus, os índices de sedentaris- mo aumentaram de maneira alarman- te. Em paralelo a isso, houve também a drástica redução na produção do hormônio da Irisina, que é estimulado exclusivamente pelas atividades físicas e fundamental para nossa saúde – atu- ando no combate de várias doenças, inclusive, do Covid-19. Os alunos do SESI Escola Mossoró fi- zeram uso do ácido Ursólico farmacêu- tico – o ácido da LifeSolic – comparti- lharam o projeto com a empresa deste produto, a Via Farma, e certificaram- -se de que não haveria complicações em relação à forma farmacocinética. Utilizaram vários artigos para basear na quantidade de ácido usado nas ba- linhas, e deram o nome comercial do produto: Sweet Health. 38 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SESI EDUCAÇÃO Aluno da SESI Escola sonha em chegar à NASA APROVADO EM TRÊS COBIÇADOS CURSOS SUPERIORES DO PAÍS, ESTUDANTE ACUMULA PRÊMIOS EM OLIMPÍADAS DE CONHECIMENTO Por Jô Lopes sidade Federal do ABC (UFABC), em São Paulo. “Atualmente es- Aaprovação em três dos tou matriculado na UFABC, no cursos universitários entanto, com a conquista de ter passado na universidade dos mais cobiçados do país meus sonhos e de renome em todo brasil, a UNB, farei a matrí- por quem deseja seguir carreira cula nela”, comemora Alfredo. na área tecnológica se somam a José Alfredo em visita do SESI ao centro da Nasa (EUA) outros importantes passos que o estudante da SESI Escola do Rio Grande do Norte, José Alfredo de Araújo Filho, de 17 anos, vem galgando em sua vida escolar no caminho para realizar o sonho de atuar profissionalmente no setor aeroespacial. O aluno da SESI Escola Mossoró é um dos ca- ses de sucesso das unidades de ensino do Sistema Indústria. O aluno SESI foi aprovado em três universidades diferentes no úl- timo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). O resultado mais recente ele recebeu no dia 28 de junho: a aprovação em Engenha- ria Aeroespacial na Universidade de Brasília (UNB). Antes da UNB, Alfredo foi aprovado em Engenharia Mecâ- nica na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e em Ciência e Tecnologia na Univer- 39REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SESI Essas conquistas não são as Open International Lebanon únicas. Apesar da pouca idade, FLL, tendo assim em seu cur- Alfredo já soma várias. Desde rículo, o título de Melhor De- méritos regionais e nacionais sign Mecânico do Mundo nessa até internacionais. Em 2019, competição. recebeu o Mérito Estadual na Olimpíada Brasileira de Robó- Alfredo estudou no SESI Esco- tica; conquistou o 3° lugar First la por três anos. Entrou em 2018 Lego league; e foi também 3° e concluiu em 2020, quando lugar na Maratona de Química prestou o exame do ENEM. “Para do Rio Grande do Norte. mim particularmente, foi tran- quilo. O ENEM, por mais que seja Nacionalmente fez parte da uma prova muito difícil e que equipe classificada para repre- requer muito estudo e discipli- sentar o Brasil mundialmente na, se tornou fácil devido a ajuda no Open International Lebanon que tive dos professores no SESI, da First Lego league 2018/2019. sempre com as aulas direciona- Neste torneio, conquistou o das para a prova, para deixar os Mérito Internacional junto com alunos preparados para o que a equipe, com o 1° Lugar da ca- quer que tenha”, conta o aluno, tegoria de Design Mecânico no agora universitário. Estudante participou de edições da Olimpíada de Robótica e Maratona de Química 40 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SESI Participação no Open International da First Lego League no Líbano NO SESI, O INCENTIVO ESCOLAR QUE PRECISAVA A reportagem do Sistema uma viagem aos Estados Uni- FIERN conversou com Alfredo dos (EUA) e de visitar o centro sobre seus sonhos diante de técnico da National Aeronau- tantas conquistas. “Eu sem- tics and Space Administration pre tive muita curiosidade em (NASA). “Fui lá como integrante relação ao espaço, mas nunca da equipe e apresentei o pro- tive muito incentivo do colégio jeto para um astronauta, Scott onde estudava antes. Na SESI Parazynski, médico geral da Escola consegui, finalmente, espaçonave. Eu estava com as me encaixar”, explica. bandeiras do SESI e a da equi- pe”, conta, emocionado. O que Alfredo deseja é estar em uma atividade que possa “Fui lá como integrante da equipe contribuir para mudar o mun- e apresentei o projeto para um do, de preferência, em conexão astronauta, Scott Parazynski, com o espaço. “Tanto desen- médico geral da espaçonave. volvendo projetos na área ae- Eu estava com as bandeiras do roespacial, como talvez no fu- SESI e a da equipe.” turo participando ativamente dela, pois sempre tive o sonho JOSÉ ALFREDO DE ARAÚJO FILHO (17), ESTUDANTE de participar de viagens espa- DA SESI ESCOLA DO RIO GRANDE DO NORTE ciais, construindo os veículos ou sendo um tripulante. Meu grande sonho é poder parti- cipar de grandes empresas como a SpaceX ou a NASA no futuro”, acrescenta. Alfredo teve a oportunida- de, durante o período da etapa nacional de robótica, de fazer 41REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

SESI Distribuição de 120 toneladas de alimentos através de programa é anunciado durante evento AÇÃO SOCIAL SESI-RN integra programa Brasil Fraterno PARCERIA DO MINISTÉRIO DA CIDADANIA COM O SESI POSSIBILITARÁ A DISTRIBUIÇÃO DE CESTAS BÁSICAS NO RN Por Anna Cláudia Costa da Indústria, SESI-RN. Participa- ram da solenidade o vice-presi- Em evento do Ministério dente da FIERN, Vilmar Pereira, das Comunicações em o superintendente do SESI-RN, parceria com o Ministério Juliano Martins e o assessor téc- da Cidadania, realizado em Mos- nico da CNI, Ernani Bandeira. soró, foi anunciada a distribui- ção de 120 toneladas de alimen- “A cesta básica está para a se- tos através do programa Brasil gurança alimentar, assim como Fraterno. A ação será feita em o carro pipa está para a seguran- conjunto com o Serviço Social ça hídrica. Quando se tem sede, se tem fome nós temos que ser 42 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

SESI ágeis”, destacou o ministro da Ci- O programa Digitaliza Brasil, dadania, João Roma, que duran- que visa expandir a tv digital no te a solenidade também assinou país, foi apresentado pelo mi- termo aditivo para liberação de re- nistro Fábio Faria, que falou do cursos para o Programa de Aquisi- lançamento do edital da fase 1. ção de Alimentos – PAA Leite. O ministro também fez a entre- ga do programa Wi-Fi Brasil, que O superintendente regional leva internet banda larga a loca- do SESI-RN enfatizou que esta lidades remotas. Ainda foi reali- é uma ação voltada a auxiliar o zada a entrega simbólica de um trabalhador da indústria e a po- veículo do MobSUS. pulação que ficou desemprega- da diante da situação de pande- “A cesta básica está para a mia no estado. “Nós, através do segurança alimentar, assim Sistema FIERN, com o SESI-RN, como o carro pipa está para não podíamos ficar de fora desta a segurança hídrica. Quando iniciativa e ajudar na segurança se tem sede, se tem fome nós alimentar”, disse Juliano Martins. temos que ser ágeis.” Entre as ações desenvolvidas JOÃO ROMA, MINISTRO DA CIDADANIA pelo Sistema Indústria de apoio ao combate da pandemia está o projeto Ação Pela Vida, que busca acelerar a vacinação no Estado, e que nesta semana atingiu o nú- mero de 70 mil vacinas aplicadas. A entrega dos alimentos contará ainda com o apoio das arquidio- ceses de Natal, Mossoró e Caicó. (Da dir. para esq.) Vilmar Pereira (FIERN), ministro da Cidadania João Roma, Juliano Martins (SESI), deputado Benes Leocádio e Zeca Melo 43REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

IEL INOVA TALENTOS Parceria para fomentar inovação IEL E INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS LANÇARÃO NOVA EDIÇÃO DO INOVA TALENTOS PARA ATENDER 2.450 PROJETOS, EM CINCO ANOS Para incentivar o desenvol- do programa que une empre- vimento de atividades de sas, que desenvolvem atividades pesquisa e inovação no de Pesquisa, Desenvolvimento Brasil, o Instituto Euvaldo Lodi e Inovação (PD&I), com univer- (IEL) firmou uma nova parce- sitários e egressos da academia. ria com o Instituto de Pesquisas A parceria vai durar cinco anos e Tecnológicas (IPT) e com a Fun- pretende atender até 2.450 pro- dação de Apoio ao Instituto de jetos, que vão movimentar apro- Pesquisas Tecnológicas (FIPT). ximadamente R$114 milhões.  Por meio do acordo, será reali- zado o Inova Talentos - IPT Open Algumas novidades desta Experience, uma edição inédita edição são a redução, em torno de 50%, no tempo de avaliação 44 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN

IEL do projeto e seleção do bolsista; destacou o diretor superinten- e a hipótese de absorver proje- dente do SESI e diretor geral do tos de 6 ou 12 meses, o que viabi- SENAI, Rafael Lucchesi. liza a participação de pequenas e médias empresas, que têm O superintendente do IEL, poucos recursos para operacio- Eduardo Vaz, concorda com Luc- nalizar os projetos.  chesi no que diz respeito à pre- paração de profissionais e afirma O programa auxiliará micros, que vê-los no mercado de traba- pequenas e médias empresas lho é o mais satisfatório. “É gratifi- (MPMEs) a se reerguerem da cri- cante ver que, depois de 12 ou 24 se. “Estamos passando por um meses, os bolsistas conquistam momento complicado, essa pan- espaço no mercado de trabalho, demia aumentou as fragilidades se não na mesma empresa em das empresas, mas eu também que desenvolveram o projeto, na vejo algumas oportunidades. cadeia de suprimentos em que Não podemos nos deixar abater. atuou. O número de pessoas Pelo contrário, precisamos en- com cultura de inovação e pre- contrar soluções e esse progra- paro para enfrentar os desafios ma é uma ferramenta que pode do mercado de trabalho, seja na auxiliar MPMEs que estão en- indústria ou seja em outro setor, é frentando dificuldades. É uma o que nos interessa”, explicou Vaz, grande injeção de recursos nas que conduziu a reunião.  tecnologias e na inovação bra- sileira”, afirmou diretor-geral do IEL, Paulo Afonso Ferreira.  “A parceria entre o IEL e o IPT é uma construção de futuro e é algo fundamental, porque vai ser, a partir do capital humano, que vamos reverter o grave proble- ma que temos hoje: a baixa pro- dutividade no Brasil. Esse acordo é uma contribuição importante para a formação de profissionais de alta qualidade para o futuro”, O QUE É O INOVA TALENTOS Criado em 2014, o programa citar profissionais com vivên- Inova Talentos surgiu com o cia acadêmica, para levar uma objetivo de incentivar a criação nova visão e acelerar os seus de projetos de inovação nas projetos de inovação. Desde empresas e institutos privados a criação, o Inova Talentos já de pesquisa e desenvolvimen- atendeu 320 empresas, promo- to (P&D). O IEL é responsável veu 1132 projetos e concedeu por recrutar, selecionar e capa- 2239 bolsas. 45REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN -

NOTASSINDICATOS FILIADOS Sindicato da Indústria de Álcool dos Sindicato das Indústrias de Reciclagem e Sindicato das Indústrias da Extração de Estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Descartáveis do Estado do Rio Grande do Metais Básicos e de Minerais Não Metálicos Piauí – SONAL Norte – SINDRECICLA-RN do Estado do Rio Grande do Norte – SINDIMINERAIS-RN (84) 3204-6296 (84) 3204-6294 [email protected] [email protected] (84) 3204-6166 PRESIDENTE: Arlindo Cavalcanti de Farias PRESIDENTE: Etelvino Patrício de Medeiros [email protected] PRESIDENTE: Mário Tavares de Oliveira Sindicato da Indústria de Produtos de Sindicato da Indústria da Extração do Sal Cavalcanti Neto Cimento do Estado do Rio Grande do Norte no Estado do Rio Grande do Norte – SIESAL – SIPROCIM-RN Sindicato da Indústria de Sorvetes, (84) 3317-0556 Congelados e Derivados do Estado do Rio (84) 3204-6344 [email protected] Grande do Norte – SINDISORVETE-RN [email protected] PRESIDENTE: Airton Paulo Torres PRESIDENTE: Antônio Medeiros de Oliveira (84) 3204-6330 / 3204-6168 Sindicato da Indústria de Panificação e [email protected] Sindicato da Indústria de Pesca do Estado Confeitaria do Estado do Rio Grande do PRESIDENTE: Zauleide de Queiróz Leite do Rio Grande do Norte – SINDIPESCA/RN Norte – SINDIPAN/RN Sindicato das Indústrias de Curtimento de (84) 3204-6342 (84) 3346-3279 Couros e de Peles do Estado do Rio Grande [email protected] [email protected] do Norte – SINDCOUROS/RN PRESIDENTE: Gabriel Calzavara de Araújo PRESIDENTE: Ivanaldo Maia de Oliveira (84) 3204-6160 Sindicato das Indústrias de Panificação e Sindicato das Indústrias de Mármore, PRESIDENTE: Gustavo Henrique Confeitaria de Mossoró e Região Oeste e Granito e Pedras Ornamentais do Estado Calafange Motta Salineira do RN – SINDPAM do Rio Grande do Norte – SIMARGRAN Sindicato das Indústrias de Calçados [email protected] (84) 3204-6341 do Estado do Rio Grande do Norte – PRESIDENTE: Cesário Henrique de Oliveira [email protected] SINDCALÇADOS/RN Melo PRESIDENTE: Juviano de Oliveira Martins (84) 3204-6160 Sindicato das Indústrias de Extração de Sindicato das Indústrias de Polpas, Sucos PRESIDENTE: Álvaro Coutinho da Motta Calcário, Fabricação de Cimento, Cal e de e Derivados Não Alcoólicos de Frutas Argamassa do Estado do Rio Grande do Tropicais do Estado do Rio Grande do Sindicato das Indústrias de Material e Norte – SINECIM/RN Norte – SINDIFRUTAS-RN Laminados Plásticos do Estado do Rio Grande do Norte – SINDIPLAST (84) 3204-6351 (84) 3204-6329 [email protected] sindif [email protected] (84) 3204-6168 PRESIDENTE: José Gaudêncio de Queiroz PRESIDENTE: Heuler Teixeira Matos [email protected] PRESIDENTE: Maria da Conceição Rebouças Sindicato da Indústria de Construção Sindicato das Indústrias de Cervejas, Duarte Tavares Civil do Estado do Rio Grande do Norte – Refrigerantes, Águas Minerais e Bebidas SINDUSCON-RN em Geral do Estado do Rio Grande do Norte Sindicato da Indústria de Torrefação e – SICRAMIRN Moagem do Café do Estado do Rio Grande (84) 3206-5362/3322-2797 do Norte – SINDICAFÉ [email protected] (84) 3204-6169 PRESIDENTE: Sílvio de Araujo Bezerra [email protected] (84) 3204-6167 [email protected] [email protected] Sindicato da Indústria de Instalação e PRESIDENTE: Roberto Pinto Serquiz Elias PRESIDENTE: Heyder de Almeida Dantas Manutenção de Redes, Equipamentos e Sistemas de Telecomunicações do Estado Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Sindicato das Indústrias da Construção do Rio Grande do Norte – SINDIMEST Mecânicas e de Material Elétrico do Estado Civil de Mossoró/RN – SINDUSCOM- do Rio Grande do Norte - SIMETAL MOSSORÓ (84) 3204-6310 [email protected] (84) 3204-6165 (84) 3316-3762 PRESIDENTE: Alberto Henrique Serejo [email protected] [email protected] Gomes PRESIDENTE: Francisco Vilmar Pereira PRESIDENTE: Sérgio de Souza Freire Júnior Segundo Sindicato da Indústria de Beneficiamento Sindicato da Indústria de Cerâmica para de Fibras Vegetais e do Descaroçamento Sindicato das Indústrias de Laticínios Construção do Estado do Rio Grande do de Algodão do Estado do Rio Grande do e Produtos Derivados do Estado do Rio Norte – SINDICER Norte – SINDFIBRAS-RN Grande do Norte – SINDILEITE/RN (84) 3204-6171 (84) 3204-6168 (84) 3204-6170 [email protected] PRESIDENTE: José Garcia da Nóbrega [email protected] PRESIDENTE: Pedro Terceiro de Melo PRESIDENTE: Túlio Antônio Gurgel Véras  Secretário Executivo: Júlio Lourenço Sindicato das Indústrias de Bonés e Chapéus do Estado do Rio Grande do Norte Sindicato da Indústria de Doces e Conservas Sindicato das Indústrias de Serrarias, – SINDIBONÉS-RN Alimentícias do Estado do Rio Grande do Carpintarias e Marcenarias do Estado do Norte – SINDAL Rio Grande do Norte – SINSERRA-RN (84) 99908-8733 [email protected] (84) 3204-6172 (84) 3204-6173 PRESIDENTE: Francisco das Chagas Sena [email protected] [email protected] de Medeiros PRESIDENTE: Ednaldo Mendonça Barreto PRESIDENTE: Ricardo Bezerra de Farias Sindicato das Indústrias Gráficas do Rio Sindicato da Indústria de Fiação e Sindicato da Indústria do Vestuário no Estado Grande do Norte – SINGRAF-RN Tecelagem em Geral no Estado do Rio do Rio Grande do Norte – SINDVEST-RN Grande do Norte – SIFT/RN (84) 3204-6317 (84) 3204-6331 singraf rn@singraf rn.com.br (84) 2304-6345/3204-6336 [email protected] PRESIDENTE: Pedro Fausto de Oliveira [email protected] PRESIDENTE: Marinho Herculano de PRESIDENTE: João Batista Gomes Lima Carvalho 46 - REVISTA DA INDÚSTRIA DO RN




Like this book? You can publish your book online for free in a few minutes!
Create your own flipbook